Sarney, o homem incomum

Muito bom este artigo escrito pelo jornalista “Leandro Fortes” em seu blog. Resume de uma maneira bem esclarecedora toda a patifaria que Sarney, “o homem das letras”, detona no meu querido e infeliz estado. Vale a pena pra ler e entender um pouco mais sobre o “último grande coronel” brasileiro! Se tiverem tempo, leiam, vão por mim, vale a pena!

Interessante quando ele fala que quando Lula vendeu a sua alma para o “homem incomum” ele jogou à própria sorte 6.000.000 de maranhenses, a população mais miserável do Brasil… O artigo vale a pena:

Sarney, o homem incomum

Há anos, nem me lembro mais quantos, os principais colunistas e repórteres de política do Brasil, sobretudo os de Brasília, reputam ao senador José Sarney uma aura divinal de grande articulador político, uma espécie de gênio da raça dotado do dom da ponderação, da mediação e do diálogo. Na selva de preservação de fontes que é o Congresso Nacional, estabeleceu-se entre os repórteres ali lotados que gente como Sarney – ou como Antonio Carlos Magalhães, em tempos não tão idos – não precisa ser olhada pelas raízes, mas apenas pelas folhagens. Esse expediente é, no fim das contas, a razão desse descolamento absurdo do jornalismo brasiliense da realidade política brasileira e, ato contínuo, da desenvoltura criminosa com que deputados e senadores passeiam por certos setores da mídia.

Olhassem Sarney como ele é, um coronel arcaico, chefe de um clã político que há quatro décadas domina a ferro e fogo o Maranhão, estado mais miserável da nação, os jornalistas brasileiros poderiam inaugurar um novo tipo de cobertura política no Brasil. Começariam por ignorar as mentiras do senador (maranhense, mas eleito pelo Amapá), o que reduziria a exposição de Sarney em mais de 90% no noticiário nacional. No Maranhão, a família Sarney montou um feudo de cores patéticas por onde desfilam parentes e aliados assentados em cargos públicos, cada qual com uma cópia da chave do tesouro estadual, ao qual recorrem com constância e avidez. O aparato de segurança é utilizado para perseguir a população pobre e, não raras vezes, para trucidar opositores. A influência política de Sarney foi forte o bastante para garantir a derrubada do governador Jackson Lago, no início do ano, para que a filha, Roseana, fosse reentronizada no cargo que, por direito, imaginam os Sarney, cabem a eles, os donatários do lugar.

Quem quiser ler o resto do artigo, favor clicar aqui e visitar o blog do figura

3 comentários em “Sarney, o homem incomum

  1. Sobre Sarney, há pano p/ fazer rede daqui p/ Marte, infelizmente o povo maranhense é aprisionado pelo Coronel e sua corja. O artigo está ótimo, gosto também de alguns comentários do pessoal do CQC da Band sobre politica.
    Abraço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s