Porque não querer enjaular pessoas por qualquer coisa não é ter pena de bandido, mas sim pena do meu bolso…

Esse último fim de semana fui ao Maranhão por causa das festas juninas, de longe o melhor momento para visitar São Luís. Porém, o que me impressionou dessa vez não foi o bumba meu boi (que é impressionante, vou postar as fotos depois), mas sim o medo da violência. Não, não é aquele medo que somos acostumados desde criança: não andar com joias, não ostentar as coisas, não sair sozinho à rua a noite. Não, é pavor em uma escala como eu nunca presenciei em 31 anos de vida.
Daí eu me pergunto por quê. Direitos humanos são uma piada no Estado. Pode até haver Corregedoria nas polícias, porém elas estão longe de ser tão efetivas em punir execuções e torturas quanto às dos Estados sulistas, que parecem gostar muito mais dos bandidos que nós. Nas nossas prisões, onde mais de 50% dos presos foram sequer julgados, não existem regalias, os presos realmente pagam pelos crimes em uma realidade medieval sob tortura diária. Isso quando saem vivos, pois o Maranhão tem a maior mortalidade per capita nos presídios de todo o Brasil (superando em quase 4 vezes o segundo colocado, portanto nossa pole position está assegurada com tranquilidade). Há uma probabilidade 60 vezes maior de um cidadão morrer dentro de um presídio maranhense, ou seja, sob custódia de um Estado que deveria estar lhe reeducando, do que fora dele. Logo, o Maranhão é o estado mais próximo de possuir pena de morte para criminosos, sonho da bancada da Bala da Câmara dos Deputados. Ah sim, grande parte desses mortos em 2014 foram mortos decapitados, assim como o Estado Islâmico gosta de fazer e a gente até fica chocado de ver quando não é em um “criminoso”.
Portanto, o Maranhão é o laboratório perfeito das políticas de segurança propostas pelos homens de bem do Facebook, a Bancada da Bala e parte de líderes religiosos (tristeza porque quem já leu a Bíblia sabe que ele é um livro que fala de amor e não de ódio). Como recompensa por estar fazendo “tudo certinho”, não dando espaço para os frescos dos Direitos Humanos, o Maranhão teve uma taxa de homicídio que triplicou em 15 anos? Gente, TRIPLICOU! EM QUINZE ANOS!
Infelizmente a vida não é binária ou tão simples quanto a gente quer imaginar. Hoje o Brasil tem a quarta maior população carcerária do país (a título de comparação temos mais presos que a Índia, que tem uma população SEIS VEZES MAIOR e uma taxa de homicídios ridícula comparada com a nossa). Essa galera presa custa dinheiro, MUITO DINHEIRO. Um menor internado custa 8,9 mil reais por mês. Um detento em uma prisão federal, 3500 reais por mês. Uma criança na escola, 2222 reais. AO ANO! Sim, incríveis 185 reais ao mês. Um adolescente sob custódia do Estado custa o mesmo que quase CINQUENTA na escola!
Por isso que ser contra enjaular pessoas que cometeram crimes não significa ter pena de bandido, mas sim ter pena do meu próprio bolso. Gastamos uma grana feia para que 70% deles possam cometer mais crimes quando saírem, dessa vez melhores capacitados no crime. Prisão precisa ser o último recurso a ser empregado em quem comete crimes, não o primeiro.
Serve como reflexão nesses dias onde está tão na moda achar que violência vai resolver nosso problema e não políticas de ressocialização efetiva, investimento em educação e medida socioeducativas. Ou então enfiar adolescentes em presídios.

Um comentário em “Porque não querer enjaular pessoas por qualquer coisa não é ter pena de bandido, mas sim pena do meu bolso…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s