Ótima reportagem sobre os acontecimentos do Rio de Janeiro

DEU EM O GLOBO

O inimigo agora é o mesmo

Guilherme Fiuza
O governador do Rio declarou que os traficantes estão desesperados. Enquanto isso, o porta-voz da Polícia Militar orientava a população a manter a calma durante os ataques da bandidagem, explicando que é melhor perder o patrimônio do que a vida. E assim, com os bandidos em pânico e a população em paz, o Rio de Janeiro e o Brasil celebrarão mais uma vitória dos seus Napoleões de hospício contra o crime.
Foram décadas de investimento público na formação do exército de marginais. Proibição de drogas altamente rentáveis, tolerância populista aos territórios das “bocas de fumo”, polícia corrupta garantindo o ir e vir da cocaína e dos fuzis, governantes fazendo acordos tácitos com chefes de morro em nome da paz e dos votos. De repente, as autoridades resolvem melar o jogo — ou a parte mais visível dele.
A ocupação policial de favelas, enxotando traficantes, foi uma medida ousada. Só faltou combinar com a indústria da delinquência, alimentada a pão-de-ló por tanto tempo.
Para o público, que se sente vingado pelo Capitão Nascimento quando ele espanca um político na tela do cinema, está tudo OK. As coisas são simples assim. O ideal seria que Wagner Moura assumisse o lugar do secretário Beltrame e acabasse de vez com a raça dos vilões — cuja vocação é essa mesma, apanhar.
O problema é que na vida real o roteiro é diferente. Não basta dizer que o inimigo agora é outro e ensinar o pessoal a detestar as milícias enquanto come pipoca. O inimigo agora é o mesmo — exatamente aquele que o poder público cultivou carinhosamente por uns 30 anos, com a hipocrisia bilionária das drogas proibidas e da inundação das favelas com armamento de última geração (que ninguém sabe, ninguém viu por onde passou).
Uma indústria robusta, que teve até blindagem ideológica: a claque do Capitão Nascimento chegou a apontar, como vilão da violência urbana, o maconheiro do Posto Nove.
Até Michael Jackson pediu autorização ao tráfico do Morro Dona Marta para filmar seu clipe mundial. O Rio de Janeiro e o Brasil assistiram, consentiram, dançaram conforme a música. O poder marginal virou uma instituição em solo carioca.
Na dinastia Garotinho, o antropólogo Luiz Eduardo Soares tentou depurar a polícia e quebrar a espinha dessa indústria. Foi expelido. Seu pecado: atacar a cadeia de complacências jamais quebrada por qualquer governo do Rio ou de Brasília.
De repente, como no cinema, vem a ordem: vamos invadir. Um ato heroico do governador Sérgio Cabral e de seu respeitável secretário de Segurança. Apenas um ato heroico.
Quem quebrou a espinha da indústria “Drogas & Armas S.A.”? Quem asfixiou seu poder de fogo (econômico e bélico)? Quem interveio para valer nas polícias fluminenses, madrinhas e sócias da firma? Não se tem notícias. Com quantos soldados confiáveis se finca UPPs suficientes para empurrar o poder marginal sabe-se lá para onde? Melhor convocar o exército chinês.
As autoridades do Rio de Janeiro iniciaram, com amplo respaldo do eleitorado, uma guerra que não sabem como vai terminar.
Foi interessante ver alguns morros libertados do tráfico. Não foi interessante ver a proliferação de arrastões em áreas nobres e relativamente tranquilas da cidade. O que é pior?
No cardápio das escolhas de Sofia, surge a onda de atentados. Quem já foi arrancado de seu carro para não tostar junto com o patrimônio não está achando a menor graça nesse “Tropa de Elite 3”. Qual é o final possível desse filme?
O Bope vai tomar a Rocinha numa batalha sangrenta e ficar lá para sempre? O tráfico, conformado, vai desistir dos territórios e das armas e se mudar pacificamente para a internet? Mais fácil o Rio virar Bagdá.
Não se combate um sistema criminoso enraizado no Estado com um punhado de operações policiais estoicas. Na Itália, a operação Mãos Limpas parou o país. No Brasil, o governo federal sequer se envolve. No máximo, tem espasmos de solidariedade e empresta umas tropas para o teatro de operações.
A pouco mais de um mês de sua posse, a presidente eleita não dá uma palavra sobre a guerra. Parece estar preparando a transição para governar a Noruega.
Possivelmente Dilma Rousseff esteja sendo orientada por seus marqueteiros a ficar longe das chamas do Rio. É o que os especialistas chamam de “evitar o desgaste”. Desgaste mesmo é entrar num ônibus que pode virar um microondas na próxima esquina. Mas esse calor não chega até Brasília.
Os estrategistas do novo governo estão muito ocupados com temas mais urgentes, como a cota de mulheres no ministério. O show tem que continuar (com CPMF, que ninguém é de ferro).
Enquanto isso, o Rio se firma como capital nacional de um flagelo internacional, torcendo pela TV para que o Capitão Nascimento apareça no “Jornal Nacional” enxotando todos os bandidos da tela.
Quem sabe o super-homem não aparece também, com um plano nacional de segurança pública?

Lei da Ficha Limpa

Galera, há um tempo atrás, bem atrás (mais ou menos uns oito meses), a Paulistana postou um vídeo bem interessante sobre a Lei da Ficha Limpa. É a entrevista no Jô do Índio da Costa, sim o mesmo que foi candidato a vice na chapa do Serra, mas não foi eleito.
Deixei pra postar só depois da eleição pra ninguém achar que eu fazia propaganda pra nenhum lado específico, ainda que o Índio da Costa nem tivera sido escolhido candidato a vice no tempo da entrevista.
Vale a pena dar uma assistida pra poder tirar umas dúvidas e ver como é importante esta lei que ainda está dependendo da indicação do último ministro do STF para que possa valer já nesta eleição. Ele é bem didático e tira várias dúvidas sobre seu funcionamento.
Abraços maranhenses

VotoSerraPq

Bem, galera, eu não acredito que ninguém vá ver esse vídeo antes de ir votar hoje, mas ainda assim resolvi postá-lo.
Alguns amigos do grupo Brasil & Desenvolvimento tiveram uma ideia de fazer um video ironizando algo como o “voto conservador” no Serra ou até mesmo algumas de suas propostas. Postaram no youtube e a parada explodiu. O primeiro video já tem quase 300.000 acessos, o segundo 130.000 e o terceiro, que eu participei, já tem quase 100.000 acessos. Resolvi postar por aqui porque eu achei muito engraçada a proposta dos bichos e também porque ainda que você não vote na Dilma ou não se importe com as eleições, ainda assim dá pra render várias risadas assistindo os videos abaixo. Depois deem uma olhada. Vou indo dormir porque o dia amanhã em Curitiba vai ser complicado…
O primeiro

Senadora Diane Savino na votação do projeto de lei sobre casamento gay (NY)

Galera, eu não sei se vocês estão ligados, mas recentemente a Argentina tornou-se o primeiro país da América Latina a permitir o casamento de duas pessoas do mesmo sexo. Muito louvável esta iniciativa e são por coisas como essas que às vezes eu invejo os avanços que Argentina consegue atingir enquanto nós ficamos parados no tempo.
Obtive acesso esses dias a um vídeo no youtube que gostaria de compartilhar com vocês. Ele foi feito durante a votação de um projeto parecido, e indeferido, no Senado dos Estados Unidos da América. É da Senadora Diane Savino justificando o seu voto em plenário. Acho que vale a pena gastar uns sete minutos da sua vida pra poder dar uma olhadinha.
Belíssimo…
Quase certeza que amanhã já consigo postar sobre Viena. Fiquem no aguardo.
Abraços maranhenses

A semana em fatos

Bem, galera, tou ligado que eu tinha falado pra vocês que hoje viria post novo. Bem, eu prometi, mas mais uma vez não vai dar pra eu cumprir. Meu pai surgiu de surpresa aqui em Brasília e acabei passando o dia inteiro com ele aqui, portanto longe do computador. Eu já até tinha escrito mais da metade do post na sexta e hoje era só pra terminar, mas infelizmente ocorreu esse imprevisto e não vai dar pra eu cumprir o prometido.

Amanhã, sem falta, posto o que estou devendo 😛

http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?mediaId=3089816

abraços maranhenses

Projeto ficha limpa

Aí galera, infelizmente hoje não deu pra fazer o post.

Mas então, pra não deixar passar em branco, gostaria de mandar um recado pra vocês. Acho que todo mundo já tá ligado no projeto ficha limpa, que barra a candidatura de parlamentares já condenados por alguns tipos de crimes. A bancada podre do Congresso tá tentando de toda maneira fazer com que ele não seja votado valendo pras próximas eleições.

Quem quiser ajudar e dar uma força ao projeto basta apenas participar do abaixo assinado online que tá rolando no avaaz.org. Segue o comentário da Paulistana passando o bizú e pedindo uma força aí:

“Esqueci de falar – vamos dar uma força pro projeto ficha limpa? Faz um post com sua opinião sobre o projeto, divulga aí a petição no seu blog, Claudiomar!

Para assinar a petição:
http://www.avaaz.org/po/brasil_ficha_limpa/

Problemas com o Youtube

Amigos, hoje eu ia postar o video que havia feito na rodoviária de Antákia momentos antes de ir procurar um lugar pra dormir na rodoviária. Era pra demonstrar pra vocês a felicidade de um homem que acabou de pegar 15 horas de busão, SEM DORMIR (sim, eu esqueci de falar isso no post de Antália, mas eu saí direto da balada com as polonesas pra rodoviária, não dormi um minuto!) e no final descobre que terá que dormir na rodoviária!!
Infelizmente o vídeo é TÃO melancólico que nem o youtube resolveu aceitá-lo hoje. Tentei três vezes enviá-lo hoje para o youtube, mas a internet lenta daqui de casa e o servidor do site não quiseram ajudar e, infelizmente, não consegui upá-lo hoje. Amanhã vou tentar, de qualquer jeito, upá-lo e disponibilizarei pra vocês!!!
Pra não deixar o blog sem nada, vou postar um discurso do Lula que eu achei muito bom. Ele não é relacionado a política ou algo assim, mas fala do Brasil que hoje sai mais forte dessa crise internacional, de um Brasil que, graças a 16 anos de bois bons governantes, pôde hoje voltar a sonhar em ser uma das maiores nações do planeta. O discurso foi proferido quando Lula recebia um prêmio da Editora Três, responsável pela revista ISTOÉ.

Que venha 2010!!!

Abraços maranhenses

Brasília, 09/12/09 – O dia em que o DEM voltou a ser Arena

Direto do blog de um velho amigo, Rogério Tomaz Jr.


http://brasiliamaranhao.wordpress.com/2009/12/09/o-dia-em-que-o-dem-voltou-a-ser-arena/

Pra quem mora em Brasília, está indignado e não quer ficar vendo só tudo pela televisão, vamos participar, galera. Hoje há um carnaval fora de época na Rodoviária do Plano Piloto às 18h. Eu não vou estar lá pq meu concurso já está aí, mas vou acompanhando as informações…

Brasília, 9 de dezembro de 2009. Dia Mundial de Combate à Corrupção.

Milhares de pessoas se reúnem na Praça Buriti, em frente ao Palácio do mesmo nome, antiga sede administrativa do Governo do Distrito Federal, no Eixo Monumental (no mapa, o “corpo” do avião).

Estudantes, sindicalistas, militantes e profissionais de todas as áreas, aposentados, crianças acompanhadas dos pais, parlamentares e lideranças populares.


Ato pacífico. A única “ousadia” dos manifestantes foi retardar por alguns minutos o tráfego, como forma de chamar a atenção para o ato e mostrar à população que os escãndalo do Panetonegate não vai ficar sem resposta do povo. Aliás, a maioria dos motoristas e passageiros nos ônibus buzinava e acenava em sinal de apoio à manifestação que expressa a indignação contra a máfia que ocupa o GDF.

Até que a Polícia Militar do governador José Roberto Arruda – aquele que violou o painel de votação do Senado em 2001, quando era do PSDB – resolve rasgar a Constituição e mostrar com quantos porretes, balas, bombas, gases e cascos se faz uma democradura.

– Rodoviária, não! De jeito nenhum!, foi a ordem que ouvi o Tenente Coronel Silva Filho, comandante da operação, passar ao telefone para algum subordinado.

A essa altura, a cavalaria da Tropa de Choque da PM já havia promovido duas investidas contra os manifestantes (víde abaixo). E o BOPE (sim, o BOPE!) já havia bloqueado a caminhada que os manifestantes faziam pelo gramado central do Eixo Monumental (vídeo abaixo também). Foram, literalmente, acuados e empurrados para a pista do Eixo no sentido Leste-Oeste, por onde o trânsito já fluía normalmente.

Silva Filho é um oficial extremamente experiente (os cabelos brancos atestam) e extremamente preparado emocionalmente, como se vê nesse vídeo:

No Dia Mundial de Combate à Corrupção, o único governador do Democratas no Brasil fez o seu partido deveras orgulhoso ao permitir uma rememoração real dos gloriosos tempos em que eles, com o nome de Aliança Renovadora Nacional (Arenaclique aqui), mandavam e desmandavam no país.

Por algumas horas, Brasília voltou à década de 1960, quando a Universidade de Brasília fora invadida pelos militares e as manifestações políticas estavam proibidas.

Curioso que o argumento utilizado por outro oficial (na matéria do Jornal Nacional, abaixo) para descer o porrete e os cascos nos manifestantes foi que estes (“um pequeno grupo”) estavam ameaçando o direito de ir e vir da “sociedade brasiliense”… não impediu que a Polícia Militar impedisse o direito de ir e vir dos manifestantes que pretendiam ir à Rodoviária do Plano.

Esse é o governo Arruda. E só agora entendemos o real motivo que o fez transferir a sede do GDF para bem longe do Plano Piloto.

E esse é o tipo de mentalidade que predomina nesse grupo protofascista que se organiza na forma de partido e tem saudades da ditadura civil-militar por meio da qual tanto se lambuzaram com o doce poder.

Esse é só o começo. Ocupação na Câmara Legislativa e primeiro ato público. Brasília não vai parar enquanto Arruda e sua máfia não for varrido!

Mais informações:

http://foraarrudaetodamafia.wordpress.com

http://www.foraarruda.com

http://www.brasilialimpa.com.br

Matéria do Jornal Nacional mostrando o alto grau de preparação da PM-DF

Fotos: Rogério Tomaz Jr.