Problemas com a Intercultural – parte 1

Bem, eu já tinha prometido há algum tempo e agora, aproveitando o tempo que eu tenho aqui no trem, vou escrever o que aconteceu entre mim e a Intercultural e porque não recomendo a ninguém viajar pela mesma.

Primeiramente eu gostaria de pedir desculpas aos amigos leitores. Eu sei que muita gente vem aqui pra poder dar risadas, pra poder aprender mais sobre as minhas viagens e coisas do tipo. Mas, cara, desculpa, é que às vezes dá vontade de desabafar, saca? Não posso deixar passar em branco. Tenho que utilizar o único meio que disponho, o blog, pra poder dar um recado pra galera.

Eu ficaria muito grato se vocês gastassem um pouquinho do tempo pra ler isso. Se quiserem mais detalhes, podem perguntar depois. Eu só não quero me alongar muito e ter um texto, na medida do possível, conciso.

Mais uma vez volto a reiterar. Se você for de Brasília, utilizem os serviços da Intercultural de lá. As gerentes são duas amigas que estudei junto na UnB e elas fazem um trabalho realmente muito bom. Todas as vezes que precisei de ajuda das meninas de Brasília nunca me foi negado nada. Meu problema foi quando eu não pude contar com a filial de Brasília e tive que conversar com a nacional. Leiam e entendam o que digo.

Concurso de Blogs

A galera que estava nos primórdios do blog, mas assim, beeeemmm nos primórdios mesmo, deve estar lembrada do concurso “Be a World Citizen” que a Intercultural organizou e que eu participei com MUITO empenho.

O concurso era basicamente o seguinte: Toda e qualquer pessoa que estivesse participando do programa de trabalho temporário nos EUA (que nem eu), poderia registrar um blog, um álbum de fotos e um vídeo no site da Intercultural. Outras pessoas poderiam visitar o site e votar. Os mais votados ganhavam uma certa quantia em dinheiro. Eu, como tava empolgado com meu blog, resolvi me cadastrar e ver de “qual é”.

Cara, durante três meses, durantes longos três meses, fiquei pedindo pra galera que lia o blog (naquele tempo o blog tinha uma média diária de 50 acessos por dia) pra poder votar. Mas enchia o saco mesmo! Perturbava amigos no MSN e tudo mais. Me empenhei bastante porque sabia que ia passar algum tempo na estrada e alguns dólares a mais ajudariam e MUITO!
Pra falar a verdade eu até me empolguei já que o meu blog, dentre todos os participantes, era o único que tinha posts semanais e os comentários que eu recebia em UM post superavam o número de comentário em TODOS os posts dos concorrentes. Confiei e continuei empenhado! Na sessão de vídeos eu até desencanei de competir, já que o dos concorrentes era nitidamente melhor e meu negócio era blog, não vídeo. Também fiquei pedindo votos pro meu álbum de fotos, afinal, eu tinha um blog super acessado pra poder fazer um jabá.

Resultado?

Pois é, saiu o resultado. E, como já expliquei em milhares de posts, pra poder virar post no blog, tem que dar errado. Deu errado. A diferença é que dessa vez eu não vou dar risada, dessa vez eu não vou tirar onda com isso, já que, afinal, promovi alguém, alguém ganhou dinheiro às minhas custas (sim, pelo menos duas pessoas me falaram por e-mail e scrap que iriam fazer o mesmo programa que o meu com a Intercultural só porque tinham lido meu blog. Eu tenho guardado até hoje a mensagem dos dois. Fora outros que podem ter sido influenciados por mim e não me falaram. Um desses dois caras, inclusive, chegou a ir numa agência da Intercultural só pra falar isso), pra no final levar uma ninharia. Bicho, não pelo digo dinheiro não, cara! Não recebi foi nem um obrigado, meu amigo! E é isso que me deixa mais indignado!

Cara, vocês acreditam que eu não fiquei em primeiro em nenhuma das paradas? Perdi na sessão de fotos, perdi na sessão de blogs e perdi na sessão de vídeos. Na sessão de vídeos já era até esperado. O que mais me doeu foi ter perdido na sessão de fotos e, principalmente, de blogs.
Sério, eu fiquei muito injuriado quando vi que tinha perdido em todas as categorias! Confesso que me senti um idiota. Pra começar, o vídeo vencedor, só pra vocês terem uma idéia, teve menos visualizações no youtube que o vídeo que eu cadastrei (isso porque, como falei, o meu vídeo era periférico). O meu álbum de fotos depois de duas semanas de início do concurso ficou sendo o mais visto e por mais de dois meses não saiu do topo. Perdi também.

Agora o blog. Bem, o blog. Rapaz, teve um cidadão, que cursa Ciências da Computação lá pelo sul, que foi lá e fez um blog pra ele. Se liga no blog do figura link. Eu acho que o bicho, só pra zoar, fez isso e depois criou um programinha em PHP ou em qualquer linguagem de programação qualquer (pombas, o bicho aprende a fazer isso na facul) e botou pra votar diariamente. Resultado? Ele pegou o prêmio maior com 5000 votos. 5000 votos em 90 dias de promoção, dá por volta de 60 votos diários. Velho, mas tá na cara que o blog do bicho não tinha isso!! Basta ver o blog dele… Enfim, de começo eu fiquei puto pacas, mas depois eu fiquei imaginando que ele deve estar rindo até doer a barriga com 700 dólares a mais no bolso. Eu, de consolação ainda recebi um prêmio de 100 dólares, o que é nada. Se eu colocar um Google Ads, recebo o mesmo sem ter que fazer nada e sem ter que perturbar nenhum dos meus amigos.

O site da Intercultural tinha vários meios de se trapacear, dava pra votar várias vezes apenas abrindo e fechando o navegador do Explorer, ou limpando os cookies do Mozila Firefox. Um brother meu até se ofereceu pra poder fazer um programa pra me dar 100 votos por dia, mas acabei recusando porque tinha medo deles checarem os votos pelo IP, perceberem que eu postei várias vezes do meu próprio PC e aí me tirarem o prêmio. Resultado? Não trapaceie e me danei.
Eu tava com tanto medo de ser desclassificado (pô, eu tinha máxima certeza que ia ganhar) que eu li e reli várias vezes o regulamento. Fui lá, coloquei o nome dos bichos no título da página, coloquei banner deles pra galera votar e tudo. Eu não me importo de perder, cara! Não me importo mesmo! O que eu me importo é de ter perdido por trapaça e a Intercultural achar que tava tudo certo.
Como falei, pedi votos, promovi uma empresa e no final fiquei chupando dedo.
Semana que vem posto a segunda parte.
Abraços maranhenses