Incas

Estátua de Pachacútec no centro de Cusco
Impressionantes muros de pedras feitos pelos incas sem nenhuma argamassa e que sobrevivem a dezenas de terremotos durante séculos. Essa da foto acima se destaca por ser a mais alta restante. 12 pedras
Falar de Peru e Bolívia é falar sobre os Incas, o maior império que existiu nas Américas antes de Colombo. Uma civilização tão avançada que era capaz de até mesmo fazer cirurgias cerebrais com abertura de buracos no crânio sem com que isso implicasse na morte do paciente.

Ao contrário do que eu imaginava, “inca” não era uma etnia, mas sim o título que recebia o dirigente máximo do império. Assim, “inca” seria o mesmo que “imperador”. Os incas na verdade governavam uma miscelânea de civilizações com mais de 700 línguas onde a mais falada, e língua franca, era o quéchua, com destaque também para o aimará. Eu também imaginava que os incas tinham sido um império glorioso, vasto e que durou por centenas de anos. Errei só no centena de anos. O Império Inca durou menos de cem anos, período em que conquistou terras da Colômbia até a Argentina. Porém, deixou diversas marcas como as construções em pedras que, conforme as tradições passadas de gerações em gerações, foram criadas para durarem para sempre. Quando o governante Inca morria, ao invés de luto, havia uma grande festança que durava até oito dias, o tempo que se acreditava necessário para o governante Inca poder se despedir de todos a quem havia conhecido.

Diz a lenda que o Império Inca foi fundado por Manco Capac e Mama Ocllo que foram enviados diretamente pelo Deus Sol e os fez surgir diretamente do Lago Titicaca, demonstrando a importância que esse Lago tinha para os incas (mais ou menos como o Mediterrâneo para os Romanos). Eles caminharam pelas montanhas até que acharam um bastão todo forjado em ouro, local onde foi fundada a cidade de Cusco. Essa de vagar até achar um determinado símbolo é parecida com a lenda da fundação dos astecas, que vagaram até achar uma cobra em cima de um cacto comendo uma serpente, lenda que relato aqui. Andando por Cusco, por diversos momentos, você se depara com uma bandeira com as cores do arco-íris. Quem olha pensa que é alusiva ao movimento gay, mas não. Os incas tinham um profundo respeito pelo arco-íris, haja vista que ele só ocorre após um período de chuvas e chuvas serviam para fertilizar o solo. Um guia que estava com a gente dizia que, quando criança, sua mãe dizia para ele não apontar o dedo para o arco-íris, pois senão o dedo poderia cair, isso vem desde o tempo dos incas e o respeito que eles tinham.

Quando os espanhóis chegaram ao Império Inca os seus olhos brilharam que nem em desenho animado. Isso porque os Incas conseguiram chegar ao ponto de forjar metais e tinham ouro, MUITO OURO. Eles acreditavam que o ouro era o sangue do Deus Sol e a prata lágrimas da Lua, por isso só a nobreza tinha permissão para vestir roupas feitas de ouro. Porém, os incas não chegaram a forjar espadas, usando os metais em sua maioria para decoração e ostentação.

Quando os espanhóis chegaram ao Império Inca, a varíola já tinha chegado ao Império e matava aos milhões. Foi trazida pelos mensageiros que viajavam centenas de quilômetros. Nessa horas ter um e-mail ajuda, né? Além disso, tiveram muita sorte quando chegaram pois os Incas tinham acabado de sair de uma sangrenta guerra civil entre a parte sul e norte, o que havia dizimado parte do Império facilitando a sua conquista. Porém não foi uma batalha fácil. Os Incas batalharam por mais de 30 anos antes de serem capitulados totalmente pelos espanhóis.

Os peruanos dizem que foram os Incas que foram responsáveis pela domesticação de diversos vegetais populares na alimentação humana. Acho pouco provável que isso tenha ocorrido em menos de cem anos, porém com certeza foram os grandes responsáveis, com seu vasto e conectado império, pela popularização de diversos alimentos que até hoje comemos como milho, batata, feijão, batata doce, amendoim, abacaxi, mamão,  graviola… Todas essas frutas são de origem andina. Segundo os peruanos existem milhares de variedades de milho. Não sei até que ponto isso é verdade, mas vi uma coisa é certa, o Chicha Morada ganha de longe o título de milho mais estranho. Ele é PRETO!!! E, cara, faz um dos mais deliciosos sucos que já pude tomar. Se for ao Peru, não deixe de anotar. Anote o nome aí. Suco de Chica Morada!
Variações de milho em um mercado peruano de Cusco. Todos esses nas cestas de baixo são tipos diferentes de milho

Chica Morada, o milho preto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s