TRUJILLO E A REPÚBLICA DOMINICANA – REPÚBLICA DOMINICANA X A QUESTÃO HAITIANA

Existem essas coisas que são engraçadas e que você só descobre viajando. Enquanto todos os países da América Latina comemoram suas respectivas independências dos país, os Dominicanos comemoram a sua independência, veja você, do Haiti!

Sim, depois dos primeiros assentamentos pela República Dominicana, os espanhóis concentraram os seus esforços nas colônias mais lucrativas da América do Sul que rendiam rios de ouro e prata. Com isso, a Ilha Hispaniola virou quase que uma terra de ninguém. Isso abriu espaço para invasões de piratas de outras nações, notadamente a França. Eles chegaram devagarinho, assim, como quem não queria nada e foram levando, levando, levando, quando viram, metade da ilha já estava sob mãos francesas. O que viria ser hoje o Haiti chegou a ser uma das mais ricas colônias do mundo devido a produção de açúcar baseada em mão-de-obra escrava. Para se ter uma noção, quase metade da produção de açúcar DO MUNDO vinha apenas da parte francesa da Ilha Hispaniola. Continuar lendo “TRUJILLO E A REPÚBLICA DOMINICANA – REPÚBLICA DOMINICANA X A QUESTÃO HAITIANA”

SÓSUA – REPÚBLICA DOMINICANA

Como queria aprender espanhol, quis evitar o máximo contato com brasileiros. Por isso, escolhi uma cidade pequena da República Dominicana chamada Sosúa. Foi uma escolha acertada porque, não é que eu não tenha visto brasileiro pela cidade, eu SEQUER ouvi falar de alguém que já tenha visto um brasileiro por lá.

Por incrível que pareça, Sosúa foi praticamente fundada por imigrantes germânicos (alemães e austríacos) judeus que fugiam de uma Europa cada vez mais hostil aos judeus. Encontraram uma terra amigável onde se instalaram e se miscigenaram na sociedade dominicana. Com esse tanto de europeus para lá, Sosúa acabou por se tornar na década de 80 um local badalado para turistas, como é até hoje. Você caminha pelas ruas e vê muitos gringos e absolutamente muitos, mas MUITOS alemães, austríacos e suíços germânicos.

Os germânicos, e seus descendentes, são donos dos principais negócios de Sosúa e a maioria dos restaurantes turísticos possuem cardápios em espanhol, inglês E alemão. Interessante isso. Inclusive a escola onde eu estudei espanhol se chamava Casa Goethe (http://www.iic-spanish.com/).

Porém, há algo bem triste acerca de Sosúa. Com o grande afluxo de turistas para lá, foram também as prostitutas. Cara, mas não é que tenha uma aqui ou lá não. São muitas, MUITAS prostitutas pelas ruas, principalmente haitianas. Tantas que a noite você não consegue nem caminhar direito pelas calçadas pelo tanto que tem por lá. E é uma coisa triste, porque a maioria dos turistas que vão lá buscando prostitutas são gringos acima dos 60 anos. Então a cena comum a noite em Sosúa são aqueles velhos babões com duas, três meninas na mesa ou no colo deles. Tem tanto velhos em Sosúa que os bares chegam a organizar bingos para os velhos que não vão atrás de prostituição. Literalmente.

Acaba que a sair à noite em Sósua é praticamente impossível. As mulheres não saem com medo de serem confundidas com prostitutas e os caras não saem porque sabem que se sentarem em uma mesa e pedirem uma cerveja de dois em dois minutos uma prostituta vai lhe abordar oferecendo “massagem”. Todo mundo quando quer sair a noite por lá pega um carro público (que é mais ou menos um carro comum onde eles apinham seis passageiros um por cima dos outros) e vai a uma cidade do lado chamada de Cabarete.

Sem título
Meninas trabalhando a noite

MORANDO EM SÓSUA

Aluguei um Airbnb para me hospedar, porém depois consegui ter a sorte de alugar um apartamento em um condomínio MUITO legal e, obviamente, cheio de gringos acima de 60 anos. Eles alugavam lá para morar por temporada ou efetivamente compraram os apartamentos para passar as férias e fugir do frio europeu. E, cara, condomínio com várias pessoas idosas é o mesmo em todo mundo. Havia um outro condomínio do lado que estava sempre brigando com o condomínio onde eu aluguei o apartamento. Para você ter uma ideia, um dia eu pulei a cerca do outro condomínio para ter acesso a praia. Rapaz, para que? O velho ligou pro meu condomínio, ligou para o escritório da imobiliária, só faltou chamar a polícia. Enfim, eu só dava risada. Passava minhas tardes ou estudando espanhol ou simplesmente lendo até cair a noite. Vou sentir saudades daquele pôr-do-sol.

101112131415161720180314_132228

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

PASSEANDO POR SANTO DOMINGO. INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA DOMINICANA

Cheguei em Santo Domingo, capital da República Dominicana, a caminho de Sosúa. A primeira impressão que tive da cidade é mais ou menos como uma cidade qualquer latina, nem muito rica, nem muito pobre. Me hospedei em um Airbnb no centro e saí para visitar grande parte dos monumentos os quais já falei no post anterior.

Geralmente, a primeira coisa que sempre faço ao descer em um país novo é, já dentro do aeroporto, trocar 50 dólares em moeda local e comprar um chip de celular de uma operadora local para já ter internet, whatsapp e mapa para me locomover facilmente. Serve de dica para quem está viajando. NÃO IMPORTA o país, no aeroporto JÁ SAIA DE LÁ com um CHIP local de telefone e ALGUM dinheiro local trocado.

Não sei porque cargas d´água pensei que não seria uma boa ideia fazer isso em Santo Domingo. Pulei do aeroporto direto em um Uber e segui para o local onde iria ficar. Péssima ideia. Depois me deu um belo de um trabalho achar um local para trocar dinheiro e outro para comprar um chip de celular. Pensa isso na cidade onde você mora, se eu te perguntasse onde eu posso trocar dinheiro, você saberia responder? Ainda mais em um bairro específico? Pois é isso que acontece quando preciso trocar dinheiro em cidades grandes. Continuar lendo “PASSEANDO POR SANTO DOMINGO. INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA DOMINICANA”

CAPOEIRA NA REPÚBLICA DOMINICANA

Continuando com o projeto que venho desenvolvendo de escrever sobre capoeira nos países o qual venho viajando, cheguei à República Dominicana e comecei a procurar contato de uma escola de capoeira. Entrei em contato com um professor de Capoeira chamado Kazan e qual não foi a minha surpresa ao descobrir que ele era do Alemar, mesma escola de Capoeira do Minhoca, professor que encontrei na Romênia e cujo bate papo eu publiquei aqui.

O encontrei pelo link da escola dele no Facebook, o Alemar Capoeira RD.

Marcamos de nos encontrar em uma praça de Santo Domingo e comecei a ouvir a história do Kazan em um bate papo que foi muito legal. 

Ele é de Goiânia e me contou que se mudou para República Dominicana há quase 14 anos atrás acompanhando uma tia que era diplomata e que para ele era quase como uma mãe. Até ali, ele já tinha 16 anos de capoeira pois havia começado a treinar porque tinha uma pequena alteração física nas pernas que a prática de atividade física ajudava a mitigar. Quando perguntei se ele era mestre de capoeira, ele me explicou que era professor e que não era como grande parte dos capoeiristas que saem do Brasil e viram “mestres de avião”. O cara é um professor no Brasil, mas quando está no avião indo em direção a Europa se torna mestre por si só já que no exterior ninguém tem como checar a história pregressa dele. Isso acaba por se tornar um problema para imagem da Capoeira fora do Brasil, afinal, um Zé Mané qualquer se intitula Mestre e compromete um trabalho que é sério. Minhoca, na Romênia, já tinha me contado isso também. 

Continuar lendo “CAPOEIRA NA REPÚBLICA DOMINICANA”

REPÚBLICA DOMINICANA, O QUE TEM POR LÁ? UM POUCO DE HISTÓRIA DA ILHA E O LEGADO DE CRISTÓVÃO COLOMBO NA REPÚBLICA DOMINICANA.

Coisas que são engraçadas quando você resolve viajar para algum país o qual se ouve falar pouco sobre ele. O que será que eu poderia encontrar viajando lá no Norte do Caribe? Cara, qual não é a minha surpresa ao descobrir que a Ilha Hispaniola (ilha onde ficam República Dominicana e Haiti) foi um dos primeiros lugares onde Cristóvão Colombo aportou e onde de fato ele montou o primeiro assentamento europeu.

Os taínos, povo nativo que habitava a Ilha Hispaniola antes dos Espanhóis, receberam Colombo com bastante respeito e admiração. Como agradecimento, Colombo achou que seria super da hora, assim, nada demais, SEQUESTRAR alguns Taínos para serem exibidos na Europa. Depois de um tempo com os europeus seguindo o script de sempre, matando, saqueando, estuprando e escravizando (fora as doenças que eles trouxeram que dizimaram quase 80% da população da ilha), os Taínos começaram a achar que não era tão bacana assim acolher as doçuras espanholas. Em resposta a todos esses problemas e, principalmente, ao sequestro, os Taínos dizimaram o primeiro assentamento que Colombo havia feito. Isso obrigou aos poucos espanhóis que sobraram, fugir e fundar uma cidade ao sul da ilha, Santo Domingo, que se mantém hoje como a cidade mais antiga das Américas. Isso faz com que Santo Domingo hoje tenha muitas coisas “primeira das Américas”. Primeira universidade, primeira igreja, primeiro genocídio, coisas assim.

Menos de 30 anos depois da chegada doce dos espanhóis, sobraram poucos dos quase 500.000 Taínos que existiam na ilha, o que obrigou, inclusive, os espanhóis a importarem muita mão-de-obra escrava da África.

513151719020

25
E essa ilha no meio do nada?

1814

18
E olha quem a gente acha no meio das ruas de Santo Domingo? Tiradentes!

23

24
Cena típica de Santo Domingo. Todo canto tem um tiozinho com uma escopeta debaixo do braço

21.jpg

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

VIAGEM A REPÚBLICA DOMINICANA

122216Precisava aperfeiçoar um pouco meu espanhol e comecei a pesquisar a quais países eu poderia viajar. Na América do Sul, iria encontrar muitos brasileiros e, portanto, corria o risco de falar muito português e treinar pouco o meu espanhol. Na Espanha, iria encontrar portugueses e também brasileiros, de forma que optei por viajar para a América Central. Depois de pesquisar um pouco, a República Dominicana acabou me caindo como uma luva pelo fato de que era um país bastante afastado do Brasil e também porque havia a oportunidade de estudar em uma cidade pequena afastada da capital, ou seja, menor ainda a possibilidade de encontrar brasileiros. Arrumei as malas, estava me mudando para Sosúa, no norte da República Dominicana.

Seria a minha oportunidade de visitar os dois países, República Dominicana e Haiti, que dividem quase que ao meio a Ilha Hispaniola, que é como se chama a ilha onde ficam e ver o grande contraste entre eles. Continuar lendo “VIAGEM A REPÚBLICA DOMINICANA”