E no final, será se vale mesmo a pena ir a San Andres/Colômbia?

Apesar de todas as críticas acima, vale a pena ir a San Andres. Desde que sabendo o que vai encontrar. Fui imaginando que iria encontrar um lugar supertranquilo e organizado, como as outras ilhas do Caribe, e acabou sendo o oposto. Viajei imaginando que iria encontrar uma Fernando de Noronha, mas acabei encontrando um Rio de Janeiro em alta temporada. É ruim? Lógico que não! Adoro o Rio de Janeiro.
O que acaba sendo a sua principal vantagem e, ao mesmo tempo, a sua principal desvantagem é que a ilha é um destino barato quando falamos de Caribe. Mensalmente há promoções para lá saindo do Brasil a menos de 1.000 reais e as coisas por lá também não são tão caras. Achei tão caro quanto uma cidade de praia do Nordeste Brasileiro. Esse acaba sendo o principal problema porque onde você vai é sempre muito muvucado e o pessoal nem sempre costuma ser muito educado. Espere pessoas escutando som alto e jogando lixo na praia sem a menor cerimônia. Os passeios para fazer snorkel também são extremamente muvucados. Conversei com um nativo de San Andres e ele me reclamava disso, que o controle dos turistas à ilha poderia ser mais rigoroso para não destruir o local. A deixaria um pouco mais cara, é verdade, mas pelo menos a conservaria.
– É de tranquilo bater foto em cima desse tronco de árvore?
– É sim! Não bate onda nele
– Então de boa…

Coco Loco, um drink típico da ilha

Busão em San Andres

Durante os primeiros dias fiquei hospedado em um Airbnb na região de San Luis, mais ao sul da ilha. É um lugar absurdamente menos turístico e onde a população nativa, raizal, efetivamente mora, então foi uma experiência legal ficar um pouco fora da muvuca que é o centro. Apesar de parecer meio assustador a noite, a violência na ilha é quase que inexistente e não tivemos problema nenhum. O ônibus, apesar de meio caindo aos pedaços, também era de boa, apesar de sempre que queria ir para o centro era só pedir carona que o pessoal parava nos carrinhos de golfe em questão de minutos.

Então qual seria a minha sugestão? Cara, se conseguir uma boa promoção de passagem aérea em um período em que você possa tirar férias, vá! Lá é realmente legal. Agora tente se manter ao máximo longe da muvuca, o que no meu caso significava tentar fazer passeios longe do centro e mergulho de cilindro.

No meio de um tour, os caras vão lá e trazem uma arraia no braço para bater fotos com os turistas. Isso me deixou chocado! Assim como o rapaz, na foto abaixo, tirando a estrela do mar para todo mundo bater foto. Tirar uma estrela do mar da água faz com que ela morra em poucos minutos, mas, enfim, todo mundo merece uma selfie com ela, né?
Turismo sem dano ecológico. Essa estrela-do-mar, por exemplo, nunca mais volta a viver…
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog

San Andres, Fernando de Noronha colombiano?

San Andres é velha conhecida da galera que fica acompanhando passagens aéreas promocionais aqui no Brasil. Direto saem promoções para lá a preços bem atraentes e foi em uma promoção dessas que acabei comprando a minha passagem para lá.
Estava um pouco atarefado com milhares de coisas para fazer e acabou que não deu muito tempo de pesquisar sobre o lugar, mas quando olhei, uma ilhazinha, pequena, no meio do Caribe, imaginei que iria ter uma experiência semelhante com Los Roques na Venezuela (Pode conferir meu post sobre o lugar clicando aqui) ou Fernando de Noronha aqui no Brasil (meus posts sobre Noronha podem serconferidos aqui). Um lugar idílico, paradisíaco, com praias de areias brancas e mar azul-turquesa.
O carro de turista em San Andres é esse. Todo mundo aluga carrinho de golfe para ficar dando volta pela ilha… Direto pegávamos carona..
Capacete para a galera de moto é algo inexistente e motos com duas ou três crianças super existentes…

Galera brincando com escafandro
Cara, eu não poderia estar mais enganado.
Realmente, as praias de lá são bem bonitas e o mar realmente é bem azul, agora minha previsão ficou por aí. O lugar originalmente é paradisíaco. Originalmente. Onde você vai, é gente, gente, gente para todo lado. Vai fazer um snorkel? Você vai ver mais gente do que peixe. Mergulho? Pode ter a sorte de fazer com poucas pessoas, como meu primeiro, ou com quase 10 não certificados, o famoso “batismo”, e comprometer o seu mergulho devido ao grupo não sair do lugar porque o pessoal fica debaixo d´água se debatendo como um pato (sim, na primeira vez todo mundo fica assim, por isso existe o curso =P).
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

San Andres, situação hoje

Hoje, a superpopulação da ilha salta aos olhos. Só para efeito de comparação, o país insular Granada (confira meus posts sobre Granada aqui), com uma ilha 12 vezes maior que San Andres, tem apenas 50% a mais de população. Além disso, em 2012, 630 mil turistas visitaram o lugar, 87% deles colombianos. Disso tudo você imagina o tanto de gente que tem por lá.
Isso é uma rua em Granada
Assim são as ruas de San Andres

Até percebi uma certa preocupação em se manter a limpeza das praias principais e mais próximas da costa, onde há mais turistas, porém dando uma volta pela área de San Luis, onde fiquei hospedado por uns dias, e pelas praias mais afastadas é possível ver o que digo por superpopulação. Praias e ruas com restos de roupa, embalagens, plásticos, enfim, lixo para todo o lado.
Sem falar na triste pobreza em que parecem viver os raizals. Chegou a me lembrar Georgetown na Guiana.
Casa em Georgetown, Guiana
Casa em San Andres, Colômbia
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

San Andres – Entendendo mais sobre a ilha colombiana

San Andres é uma ilha colombiana no Mar do Caribe.
Devido à dificuldade em se atracar, a pouca área agricultável e a distância da costa, ela foi parcamente povoada antes da chegada dos europeus.

Um dos vários navios encalhados em San Andres que você pode ver hoje. Dá para ver que até hoje não é fácil atracar por lá
Acredita-se que tenha sido visitada já por navios da esquadra de Colombo e, inicialmente, ela ficou sob jurisdição da Capitania Geral da Guatemala, porém depois foi transferida para a Colômbia. Como a Nicarágua “herdou” o legado da Capitania da Guatemala ela até hoje reclama a soberania de San Andres.
Como a Coroa Espanhola não se preocupou muito em colonizá-la, os britânicos “tomaram” a ilha importando escravos da África e pela própria movimentação voluntária de massas de imigrantes. Obviamente impuseram o inglês e a religião protestante, ainda que os escravos tenham conservado seus dialetos e credos africanos. A Espanha decide reconquistar o lugar e logra êxito, porém permite que os ingleses fiquem no local desde que jurem fidelidade a Coroa Espanhola. Assim, ficou algo estranho: uma ilha que falava inglês e criolo (mistura de inglês e línguas africanas) em que a população tinha características do Caribe inglês, mas que era parte da Espanha e posteriormente da Colômbia.
Após a independência do Panamá, que era parte da Colômbia, houve uma preocupação maior dos colombianos em consolidar a soberania em todo seu território. A migração para San Andres foi incentivada. Na década de 50, o presidente Gustavo Rojas achou que seria uma ótima ideia conceder incentivos fiscais à ilha para, assim, dinamizar a sua economia e o turismo. Houve uma migração em massa das regiões pobres colombianas e de imigrantes do Oriente Médio, principalmente de libaneses e sírios (que os locais chamam genericamente de “turcos”), para a ilha. Hoje a população nativa, que é chamada de raizal, tornou-se minoria dentro de sua própria ilha, sendo por volta de 30% da população do local. Os outros são os “turcos”, como eles chamam os sírios e libaneses, e os “continentais”, como eles chamam os colombianos.
Mesquita em San Andres
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila