AGRA, O LAR DO TAJ MAHAL

Obviamente nenhuma cidade da Índia é tão visitada ou tão sonhada como Agra. Ela é a lar de um dos monumentos mais lindos e mais famosos da história da humanidade, o Taj Mahal. Ele foi construído pelo imperador Shah Jahan em homenagem a sua esposa Mumtaz Mahal que morreu no parto ao dar a luz ao seu último filho. Foi construído entre 1632 e 1653 e empregou mais de 20.000 homens para construí-la. Diz a lenda que o Shah Jahan cegou os olhos do arquiteto que o construiu para que ele nunca mais visse algo tão bonito na sua vida. Sendo hoje a maior obra de arte já construída genuinamente por amor.

Apesar de toda essa história bonita, o Taj Mahal tem uma história trágica. Shah Jahan terminou por sofrer um golpe de estado do seu filho e foi aprisionado no forte de Agra (outro monumento incrível) e ficou ali pelo resto da sua vida em um espaço onde ele podia ver todos os dias a sua principal obra. Continuar lendo “AGRA, O LAR DO TAJ MAHAL”

MCLEOD GANJ, LAR DO DALAI LAMA E A SAGA PARA CHEGAR

Ainda em 2008, depois de ter viajado por Amritsar iria seguir para Mcleod Ganj, a região na Índia onde fica o governo do Tibet no exílio. Ela fica nas montanhas e foi realmente chegar por lá. Fui à rodoviária e as informações eram desencontradas, cada guichê falava uma coisa diferente, isso quando falava inglês. Fiz amizades com uns gringos que conheci na rodoviária e quando enfim conseguimos um busão para nos levar até lá era hora encarar o caminho. A cidade fica a apenas 210km de Amritsar. O único problema é que as estradas vão pirulitando entre as montanhas até chegar à Mcleod Ganj. Resultado? Levamos NOVE HORAS para poder percorrer 210 míseros quilômetros.

LAR DO DALAI LAMA

Basicamente o Tibete é um país que hora é independente, hora é um país vassalo da China. Atualmente faz parte da China. Depois da última anexação chinesa em 1950, diversos tibetanos fugiram do país temendo retaliações dos chineses, entre eles o Dalai Lama, líder dos tibetanos. Na Índia, fundaram um governo no exílio em Dharamshala, cidade onde fica Mcleod Ganj. No Tibet, a imagem do Dalai Lama, vista em vários lares mundo afora, é simplesmente proibida e o Dalai Lama ele teve que fugir para não ser morto. Continuar lendo “MCLEOD GANJ, LAR DO DALAI LAMA E A SAGA PARA CHEGAR”

AMRITSAR, A JÓIA DO NORTE DA ÍNDIA E CAPITAL DOS SIKHS

Em 2008, durante a minha primeira viagem a Índia, cheguei a Amritsar em uma viagem de trem quase que diretamente de Goa, só não cruzei a Índia de Sul a Norte de uma vez porque fiquei alguns dias em Delhi antes. Dessa segunda vez, 2017, peguei um voo direto de Jaipur e cheguei a Amritsar.

Depois de Agra, Amritsar com certeza foi a segunda cidade que mais me encantei viajando pela Índia. Tudo lá é muito diferente, além de que, meu, que lugar lindo é aquele Golden Temple (Templo de Ouro), o local mais sagrado para os Sikhs. Continuar lendo “AMRITSAR, A JÓIA DO NORTE DA ÍNDIA E CAPITAL DOS SIKHS”

Voltando à Índia

Então era dado início a nossa viagem. Como a Bruna me falava que sempre teve o sonho de viajar a Índia, que até hoje foi o país que mais gostei de viajar, topei na hora. Aproveitando que já ia por ali mesmo, fui logo a Bangladesh, Maldivas e Sri Lanka, relatos que já deixei por aqui.

Não pretendo refazer posts sobre cidades da Índia o qual já havia escrito, na verdade, vou aproveitar a oportunidade e terminar de escrever sobre cidades os quais passei nove anos atrás e ainda não havia escrito, fazendo uma comparação com os dias atuais. Tais cidades são Amritsar, McLeoa Ganj e Agra.

ÍNDIA, O QUE MUDOU NOVE ANOS DEPOIS

Viajei à Índia em 2008, portanto há nove anos. A primeira coisa que posso falar sobre a Índia depois é que houve uma transformação deveras impressionante. Digamos que a Índia mudou da água para o vinho em questão de viagem.

Em 2017, quando eu queria jantar, basicamente realizava uma rápida busca na região e encontrava os melhores restaurantes avaliados no tripadvisor.com ou no Google. Isso pode parecer pouco, mas pode fazer a diferença entre comer bem e pagar barato X comer mal e depois ter uma intoxicação alimentar (se centenas de pessoas comeram em um lugar bem avaliado e não passaram mal, porque você iria?). Além disso, o dono do restaurante sabe que grande parte das pessoas que estão indo lá o fazem devido a avaliações da internet, portanto, ele vai pensar 20 vezes antes de me sacanear na conta, o que era bastante comum na Índia de 2008.

Se eu quiser escolher um lugar para ficar, eu basicamente procuro um quarto na casa de alguém no Airbnb.com ou um hotel no Booking.com lendo as referências. Pode parecer pouco, mas isso é a diferença entre você achar um lugar decente e barato ou você dormir em algum lugar infestado de baratas e ratos e ainda assim alguém entrar no seu quarto para roubar suas coisas, o que era bastante comum na Índia de 2008. O dono do local sabe que eu estou lá devido a avaliações da internet, então vai pensar 20 vezes antes de tentar me sacanear.

Antes de chegar à cidade, enquanto tiver boa internet, eu baixo todo o mapa pelo Google Maps e posso me guiar pela cidade utilizando o GPS, MESMO o celular em modo avião! Cara, isso dá uma liberdade que você não faz ideia.

Agora o principal, O PRINCIPAL, é que estamos livres da coisa mais IRRITANTE da Índia de 2008: pegar um táxi. Com o advento do Uber (que tem em quase todas grandes cidades da Índia) e do “Ola Cabs” (Uber Indiano que tem em todas cidades grandes da Índia), você não precisa mais ficar na mão da raça MAIS FILHA DA PUTA DO MUNDO, os taxistas. Com esses dois aplicativos, você basicamente faz o pedido de onde está para onde quer ir e relaxa no banco de trás com ar-condicionado, já que o motorista também trabalha a base de avaliações, então ele faz tudo para poder te agradar.

Em 2008, ou ainda não existiam essas ferramentas ou elas ainda eram incipientes, de forma que minha vida era um inferno por lá. Hoje em dia, a Índia (e os outros países da região), ficaram mamão com açúcar para viajar. E tudo porque a concentração do poder de informação (ou como dizemos na economia, a assimetria de informação) pendeu do lado dos prestadores de serviço para os consumidores. Em menos de nove anos vi uma revolução digital que transformou o modo com que eu se viajava em um dos países mais irritantes do mundo. É óbvio que a Índia ainda tem muita sujeira, pessoas desesperadas tentando conseguir dinheiro de você e desorganização, mas nada muito longe do que era o Brasil 10 anos atrás. Portanto, se está lendo as minhas postagens de 2008, tenha em mente que aquela Índia infernal, ao que parece, não existe mais.

Além disso, a própria vida dos indianos parece ter melhorado bastante. Ok, ainda há valas a céu aberto e pessoas desamparadas vivendo em situação de rua, mas isso é ÍNFIMO com o que vi nove anos atrás. Se antes a Índia tinha uma miséria desesperadora de se ver, hoje ela está um pouco mais parecida com cidades pobres do Brasil. A renda do país foi catapultada e hoje a Índia é um dos países que mais crescem no mundo. Isso ocorreu sem que nenhum salvador da pátria aparecesse ou uma revolução com sangues e balas tomasse corpo. Basicamente tudo isso pode ocorrer deixando a economia florescer, eliminando barreiras, deixando invencionices e ideias revolucionárias de lado. Totalmente o contrário do vemos vendo no Brasil nos últimos anos.

IMG_4671
Bruna era uma das maiores atrações. Toda hora famílias pediam para bater foto com ela
IMG_5011
Delhi
IMG_4679
Mumbai
IMG_4727
Couchsurfers que encontramos em Mumbai

IMG_4862

IMG_4865
Varanasi

IMG_4921IMG_4990

IMG_5050
Tatuagem de henna
IMG_5056
Essa aqui todo mundo conhece
IMG_5099
Jaipur

IMG_5289

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

No táxi a caminho do aeroporto de Colombo, dando uma volta com o Estado Islâmico antes de sair do Sri Lanka

Depois de Galle, resolvi gastar algumas horas em Colombo antes de embarcar. Dei uma volta pela cidade e chamei um Uber para me levar ao aeroporto. O caminho era longo, mais ou menos uma hora de carro, de forma que fui conversando com o motorista. O cara era bacana, falava um inglês legal e imitava a voz do Michael Jackson que, mano, era igualzinha, parecia que tinha ligado o rádio.

Fomos conversando e ele começou a me falar que tinha morado na Arábia Saudita e começou a me contar que era meio complicado morar por lá. Concordei com ele, falei que imaginava que era um país que parecia meio complicado para se viver, que as mulheres quase não tinham direitos… até a hora que ele me interrompeu: “Mas é claro que as mulheres tem que ter menos direitos! Os homens têm que ser tratados como superiores! A mulher foi feita da costela de Adão, então ela sempre está abaixo do homem! ”.

Plim! Nessa hora buguei. Achei que era brincadeira, mas acabou que eu fui dando corda e vendo até onde o cara ia. Rapaz, ali estava uma das pessoas mais piradas com quem já pude conversar. Se liga no papo do figura…

O cara começou a me explicar que existia uma ordem mundial governada pelos Iluminatis e que eles estavam lutando forte para poder fazer as pessoas pararem de louvar a Deus e começarem a louvar o Diabo, mas, claro, isso sem elas perceberem. Que eles estavam tentando reescrever os livros sagrados para poder fazer as pessoas acreditarem que as depravações nada mais eram que coisas normais para posteriormente louvarem a Satã sem se tocarem. Que isso já ficava claro quando você via nos filmes e nos jornais as pessoas aceitando mulheres andarem de biquínis, casais se beijando no meio das ruas, mulheres se vestindo de qualquer jeito e, obviamente, mulheres querendo ser iguais aos homens!

Onde já se viu isso? Isso é um absurdo! – ele dizia.

Eu fui dando corda e concordando em tudo com ele.

Disse que os Iluminati agora estavam proibindo, veja você, que fosse permitido bater em seus filhos! Como assim, cara? Como é que você vai educar um filho sem dar uma surra nele? Eles queriam filhos mal-educados e inconsequentes para colapsar a sociedade e eles saírem como heróis no final! Além disso, os Iluminatis também proibiam sacrifício de animais para costumes religiosos, costume que ocorria desde a época de Abraão! Ele dizia que a maior prova da Nova Ordem Mundial era que o símbolo máximo dos Iluminatis, uma pirâmide com um olho no meio, estava nas notas de dólares ao lado da expressão “Deus seja louvado”. Era CLARO que os Iluminatis eram os donos da Nova Ordem Mundial, pois quem tem dólares, tem poder! Rapaz, isso ele falou como se fosse a maior sacada do planeta! Os olhos deles chega brilhavam quando ele me falava da “prova” do domínio dos Iluminatis!

E, assim, enquanto o bicho falava, os olhos do cara começavam a ficar vermelhos e as veias do pescoço saltavam enquanto o cara babava de raiva dos Iluminati. Falava que eles já estavam cantando vitória, mas que os homens valorosos de bem iriam se unir e derrotar essa Nova Ordem Mundial que propunha a destruição da sociedade valorosa que tanto trabalho deu para construir. Rapaz, eu sei que esse bicho foi se exaltando e babando de raiva, que quando desci do carro nem tive as caras de perguntar a religião dele, mas provavelmente ele era ou cristão ou muçulmano, já que citou Abraão. Budista sei que ele não era.

Ele me agradeceu a corrida, pediu para eu pensar no que ele havia falado, se não fazia sentido, que depois podíamos conversar mais e para eu ter cuidado com os Iluminatis.

Estado Islâmico era moderado para um pirado que nem aquele. Eu héin…

20170921_18123320170921_20175020170922_11304020170922_12032720170922_13343720170922_133515

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

 

Perambulando por Galle – Cidade histórica do Sri Lanka

Sobre Galle não há muito a se falar. Como iria encontrar com Bruna logo logo na Índia, aproveitei para só descansar um pouco (pombas, apesar de tudo, isso era uma viagem de férias e eu só tinha corrido para cima e para baixo nas Maldivas e, principalmente, Bangladesh) e colocar um pouco da leitura em dia.

Cheguei em baixa temporada, os bares estavam vazios e as praias quase desertas. Fui até a praia procurar um mergulho, era até barato, 35 dólares. Porém, antes de contratar, fui fazer um snorkel. A água estava extremamente barrenta, o que acabou por me fazer mudar de ideia.

PASSEIOS PARA AVISTAR BALEIAS AZUIS, O MAIOR ANIMAL DO PLANETA

Continuar lendo “Perambulando por Galle – Cidade histórica do Sri Lanka”

Perambulando pelo Sri Lanka, a caminho de Galle

Todo mundo que eu havia consultado, havia me falado que não muito o que se ver em Colombo, que é apenas uma cidade grande sem muitas atrações. Há vários sítios históricos no Sri Lanka e um santuário onde supostamente há guardado um dente do Buda, mas na verdade eu queria mesmo era ficar na praia. Acabei decidindo ficar na cidade história de Galle.

Galle foi durante alguns bons anos o principal porto dos holandeses, que inclusive levantaram um forte na cidade. Desci no aeroporto internacional de Colombo e peguei um Uber que me levou até a estação de ônibus de Kaduwela. Lá havia um “Luxury Bus” que basicamente fazia um trajeto até o forte de Galle. O ônibus não tinha nada de luxuoso, mas o fato de possuir ar-condicionado, poltronas acolchoadas e fazer o trajeto em pouco mais de uma hora já o fazia um luxo comparado com os outros paus-de-arara que você podia escolher que custava um quinto do preço, mas demoravam entre três e quatro horas além de que você era transportado COMO galinhas e COM galinhas. Detalhe, no “Luxury Bus” paguei 20 reais. Os paus-de-arara eram 5 reais. Pense em quanto intrépido você é e tome sua decisão. Eu já passei dessa idade =) Continuar lendo “Perambulando pelo Sri Lanka, a caminho de Galle”

Sri Lanka – Sobre o país. O que tem por lá?!?!?

Dando prosseguimento ao giro pelo sul asiático, meu próximo país foi o Sri Lanka.

O Sri Lanka é um destino pouco conhecido pelos brasileiros (na verdade, grande parte das pessoas que eu falava não sabia nem em que continente ficava, ainda mais apontar o país no mapa), mas tem a sua joia em si. Apesar de ser uma pequena ilha do lado da Índia no Oceano Índico, tem passeio para todos os gostos. Lá tem montanhas, praias de água cristalina, mergulho, história (com vários sítios Patrimônios da Humanidade) e, principalmente, é um destino barato!

CURIOSIDADES SOBRE O SRI LANKA

Apesar de ser uma pequena ilha do tamanho da Lituânia, lá andou pegando fogo nas últimas décadas. Existe uma minoria Tamil que vive na parte Nordeste e Leste da ilha e não curte muito a ideia de ser massacrada e morta regularmente pela maioria cingalesa, então eles meio que iniciaram uma guerra civil que foi terminar não tem nem dez anos.

Nos últimos séculos, o Sri Lanka sofreu invasões e foi colônia de portugueses, holandeses e ingleses. A maioria de sua população é budista, apesar de eles possuírem uma pequena elite de cristãos, herança do tempo em que eram colônia de países europeus. Assim como diversos países da região, a sua religião é determinada na sua certidão de nascimento e até há alguns poucos anos atrás, apenas budistas tinham direito a acesso a universidades públicas.

Assim como diversos países da região, tráfico de drogas dão pena de morte, apesar de ser um país budista e não um país muçulmano.

COMO CHEGAR AO SRI LANKA E VISTO

A forma mais simples para se chegar ao Sri Lanka do Brasil é voando para a Índia e de lá pegar um dos inúmeros voos diretos para a sua capital, Colombo. Também é possível viajar para lá por meio de voos diretos da Tailândia, Malásia ou Cingapura, porém são destinos bem mais longes.

O visto é relativente simples de se conseguir. Ele é todo eletrônico (https://www.eta.gov.lk/slvisa/visainfo/center.jsp?locale=en_US) e barato, custa 35 dólares. O grande problema era que era necessário preencher um formulário que depois se apagava quando meu cartão de crédito era recusado. Depois de testar três cartões diferentes e refazer esse mesmo formulário umas dez vezes, acabou que desisti e acabei indo para a Embaixada do Sri Lanka em Brasília para pedir ajuda. Paguei o valor em dinheiro que teoricamente deveria pagar com meu cartão de crédito e eles basicamente fizeram o preenchimento do formulário que eu fiz, pagaram a taxa e depois de três dias mandaram todos os papéis no meu e-mail. Galera da Embaixada era super gente boa e solícita, o que não costuma ser muito comum nas Embaixadas que já fui.

20170921_181350

20170921_181620
Que pôr-do-sol…
20170922_122453
Muralhas que cercam a cidade histórica de Galle
IMG_4625
Crianças sempre em brincadeiras sadias
IMG_4652
Como essa por exemplo…

20170922_122719

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

Turismo nas Maldivas – Mergulhando por lá

As Maldivas são conhecidas no mundo inteiro pelos seus mergulhos com cilindro. Eu fiz e não me arrependo. Vi tubarões, tartarugas e peixes, peixes por todos os lados. Porém, o momento mais bonito, sem sombra de dúvidas, foi quando um verdadeiro cardume de arraias jamanta começaram a danças por cima das nossas cabeças. Em Los Roques, eu tinha visto uma POST LOS ROQUES, porém por segundos (foi o suficiente para desestabilizar e desorganizar todo nosso grupo de mergulhadores). Porém, nas Maldivas, elas ficaram por nossas cabeças por quase uma hora. A qualidade de visão da água era ruim, porém, ela atraiu as jamantas devido ao tanto de comida suspensa na água. Foi muito legal!

No final, todo mundo me pergunta. Vale a pena viajar às Maldivas? Cara, se você estiver ali pela região e pesquisar um resort com um preço bem justo, acho que vale a pena. Mas você sair do Brasil, pegar dezenas de horas de voo só para ir para lá e ainda gastar toda a grana que você tem guardado da vida por três dias de all inclusive, acho que não vale a pena. Se estiver procurando hoteis all inclusive e destinos de lua-de-mel sugiro muito mais ir a Fernando de Noronha ou ilhas caribenhas (Cuba, com certeza, a mais legal). Você vai gastar metade do que iria gastar nas Maldivas e acredito se divertir bem mais do que em uma bolha de um all inclusive. Se tiver procurando lugares para mergulho, em Maldivas foi bom, mas o Mar Vermelho no Egito e Fernando de Noronha achei bem melhores.20170919_094104

SDFDSFADS
O problema de espaço na capital das Maldivas é tão sério que ÚNICO cemitério da cidade é no MEIO do CENTRO

20170919_10160320170919_11595620170920_21005220170919_13495320170920_09142420170920_15032720170920_152336

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

Como chegar as Maldivas e Visto para as Maldivas – E não é que deu problema para entrar?

Acredito que a forma mais simples de chegar às Maldivas do Brasil seja por meio de promoções de companhias aéreas com escala na Etiópia (que conforme já falei, tem um aeroporto que é uma ZONA). Se não tiver paciência de esperar uma promoção, a outra forma mais simples é conseguindo um voo para Tailândia, Índia, Cingapura ou Malásia e de lá saem diversos voos para as Maldivas, nem que você faça uma pequena conexão no Sri Lanka.

O visto para as Maldivas é mamão com açúcar. Brasileiros (e acredito que grande parte das nacionalidades) não precisam de visto, é só chegar no aeroporto com passaporte na mão que é só alegria. Bem, depende. A não ser que você chegue nas Maldivas como eu cheguei. Sozinho, sem reserva para ficar em algum resort e com uma bela cara de fi duma égua. Continuar lendo “Como chegar as Maldivas e Visto para as Maldivas – E não é que deu problema para entrar?”