Welcome to the Jungle – Vivendo nos Estados Unidos

Caraca, depois dos parcos tres comentarios que recebi no meu primeiro blog (que eu achava que ia ser o grande, o magnanimo, o que todos iam comentar!!!) comecei a achar que ninguem ta lendo isso aqui. Nao sei se foi um problema de propaganda, se e’ que ninguem gosta de ler mesmo ou se ja ta ficando chato a maneira com que escrevo. O lance e’ que, ja na minha primeira postagem, ninguem falou nada e, dos tres que postaram, um foi a namorada e o outro foi o fiel escudeiro macarrao, pessoas muito proximas que so postaram por consideracao. Eu hein! Fiquei chocado!

Chega de balelas, vamos comecar o blog.

Voces nao imaginam o tanto de coisas que aconteceram essa primeira semana que eu passei aqui na California…Mlk, ja rolou de tudo aqui, tudo o que seria mais que necessario pra um thriller de cinema ou para uma boa postagem no blog. Porrada, traicoes, armadilhas, amor, desespero, felicidade… Eu juro que eu tou falando serio! Com tudo isso acontecendo, parece que eu ja estou e’ ha quase um mes aqui na California. Apesar de nao ter conseguido emprego ainda e de achar que dificilmente conseguirei juntar muito dinheiro, a viagem ta sendo MUITO enriquecedora. Meu ingles ta ficando impressionantemente melhor cada dia com a convivencia que eu tou tendo com as pessoas aqui na minha casa.

Depois de ter sido praticamente “acolhido” pelo nosso amigo Mauricio no meio da rua, tremendo mais que Toyota Bandeirante de frio, fui me hospedar por uma noite no hotel aqui de Santa Barbara, cujo gerente, Orlando, acabou ficando um grande amigo. Foi meio foda ficar hospedado por la, nao porque o lugar fosse ruim, muito pelo contrario, o lugar era MUITO bom, mas sim porque era MUITO caro. Apesar de ter gastado uma grana pra poder ficar la, foi importante porque acabei fazendo amizade com o cara que eu falei pra voces que me ajudou MUITO no comeco. Foi interessante ficar la tambem porque pude ter um pouco mais de contato com o “submundo” em que vivem os brasileiros e mexicanos que vivem ilegais aqui na California.

Cara, os mexicanos aqui sao numerosos! Todo lugar que vc andar por aqui voce pode ve-los fazendo os trabalhos menos qualificados possiveis. Sao mexicanos lavando carros, mexicanas trabalhando como faxineiras, mexicano pintando paredes etc. Isso ocorre devido ao fato de Santa Barbara estar a apenas 5 horas de carro da fronteira mais proxima do Mexico, a apenas 5 horas da cidade de Tijuana no Mexico. Logo, e’ so os bichos passarem a fronteira pulando o muro, ou se enfiarem escondidos dentro da roda do carro que eles praticamente ja estao aqui em Santa Barbara. Agora, o mais engracado dos bichos, e’ que eles nao falam sequer uma palavra em ingles. Cara, isso e’ muita loucura! Falei com um mexicano que era pintor do hotel o qual eu estava hospedado e o bicho me falou que ja estava a mais de 5 anos aqui nos EUA e nao falava NADA de ingles. Mas, mesmo sem falar nada, o cidadao chega de Honda Civic no trabalho. Conheci um outro cara que ja estava a mais de 15 anos e arrastava um ingles RUIM pra cacete. Era meio complicado conversar com as figuras, eu entendia tudo o que eles falavam, mas ele nao entendiam nada do que eu falava em portugues, logo, para conversarmos eles falavam em espanhol e eu tentava responder em ingles pra eles entenderem.

A grande populacao de mexicanos aqui na California acaba fazendo com que o estado seja praticamente bilingue. Todos os locais e as placas tem nomes em espanhol e em ingles assim como todos os numeros de atendimento ao consumidor sao bilingues. Outro fato interessante e’ que esses lazarentos bebem tequila como quem bebem agua. Tome cuidado quando for para uma festa que so tem mexicanos, eu acabei pegando o apelido de “Chicken” por me recusar a virar a SETIMA dose de tequila. Portanto tome cuidado ao sentar numa mesa com mexicanos e tequila. Um fator interessante que distingue bem os mexicanos ilegais dos brasileiros ilegais que vivem aqui e’ que a maioria deles sao de baixissima qualificacao e oriundos de familias pobres, ao contrario dos classe media brasileiros. Apesar de menos qualificados, concorrem com os brasileiros pelos empregos de baixa qualificacao e possuem uma vantagem de falarem espanhol, logo sao bem procurados por estabelecimentos voltados para a populacao hispanica, que, como ja disse, e’ bem numerosa. Os brasileiros que estao aqui, ou aprendem espanhol ou saem perdendo para os mexicanos, ja que aqui quase ninguem fala portugues e, apesar do portugues ser talvez mais falado que o frances ou o italiano, nao acaba sendo nenhum vantagem especial falar portugues por aqui.

Muitos dos mexicanos sao absurdamente ilegais, mas mesmo assim residem aqui nos EUA, com familia e tudo. Pulam o muro para tentar buscar uma vida melhor na America. Eles ja sao tao numerosos, que, segundo a BBC Brasil, as suas remessas de dinheiro para o Mexico ja sao a segunda maior fonte de renda do pais, so menor do que a receita gerada pelo petroleo e maior do que a de setores como o turismo. Ainda segundo a BBC, os mexicanos enviaram mais de 13 bilhoes de dolares para suas familias no Mexico em 2004. O fluxo de dinheiro dos latinos que vivem nos EUA excede e muito a ajuda o valor que os essas regioes recebem de ajuda externa. Em paises como El Salvador, 30% da populacao chegam a depender de alguma maneira das remessas externas. Conheci algumas familias de mexicanos numa festinha que o hotel deu pros funcionarios e pude perceber que pelo menos os filhos dos bichos falam um ingles absurdamente impecavel. Todos os mexicanos aqui parecem viver como aquela musica do Manu Chao chamada “Clandestino”:

“Solo voy con mi pena

Sola va mi condena

Correr es mi destino

Para burlar la ley

Perdido en el corazn

De la grande Babylon

Me dicen el clandestino

Por no llevar papel

Pa’ una ciudad del norte

Yo me fui a trabajar

Mi vida la dej

Entre Ceuta y Gibraltar

Soy una raya en el mar

Fantasma en la ciudad

Mi vida va prohibida

Dice la autoridad

Solo voy con mi pena

Sola va mi condena

Correr es mi destino

Por no llevar papel

Perdido en el corazn

De la grande Babylon

Me dicen el clandestino

Yo soy el quiebra ley

Mano Negra clandestina

Peruano clandestino

Africano clandestino

Marijuana illegal”

Alem dos mexicanos tambem ha aqui um grande numero de brasileiros ilegais, todos filhos de familia de classe media no Brasil, em sua maioria com curso superior completo que competem com os mexicanos pelos sub-empregos aqui na California. Em sua maioria sao jovens que vieram pra ca depois dos vinte anos pra poder aprender o ingles, ou apenas melhora-lo, se encantaram com a vida facil aqui de poder trabalhar de manha e depois poder ir surfar e foram apenas ficando como ilegais aqui nos EUA. Hoje, depois de tres ou quatro anos de muita cana, surfe e muitas vezes drogas, muitos deles nao sabem como voltar ao Brasil, ja que estao com mais de 26 anos e nunca tiveram uma experiencia profissional relevante, pois perderam os seus anos mais produtivos aqui na California entregando pizza ou trabalhando como garcons. Provavelmente nao conseguirao um trabalho um pouco mais qualificado no Brasil ja que sao formados em faculdades medianas, nao tem nenhuma experiencia profissional e tem que competir com a concorrencia voraz de milhares de outros jovens recem saidos da faculdade com 21 ou 23 anos, reflexos de um pais que nao tem um surto de crescimento desde a decada de 70. Resumindo os anos da California sairam caro pros mesmos e agora eles tentam se virar entregando pizza 7 vezes por semana pra poder pagar um curso especializante medio aqui nos EUA (que e’ muito caro) e poder ao menos voltar com algum diferencial pra casa. Isso quando nao tem planos de ficar por aqui mesmo ilegais e trabalhando com subemprego pro resto da vida.

Nao precisa explicar que a grande “meta” da vida de grande parte desses cidadaos e’ casar com uma americana, conseguir um green card e ficar aqui pra sempre, pelo menos vivendo legais. Nem que para isso continuem entregando pizza depois de passarem mais de 15 anos da sua vida estudando em colegios e faculdades caros. Voces tinham que ver uns caras que eu conheci aqui que tinham green card. O bicho se achava a ultima bolacha do pacote so porque tinha um green card e podia trabalhar legalmente aqui nos EUA. Andava mais inchado que sapo cururu por causa disso. Mas se achava muito mesmo. Eu apenas sentia pena do cidadao, ja que se voces vissem a mulher que ele tem que se deitar todas as noites pra poder garantir o seu green card voces iam saber do que eu tava falando… hehehehehehe… Feia que so paraguaio baleado e meio chatinha… Eu hein, prefiro ficar lavando carro do que falar “eu te amo” pra alguem por interesse e precisar disso pra trabalhar legalmente. Pra mim nao ha diferenca entre um cara desses e a pior das “maria-gasolinas”.

Com toda essa descricao nao precisa dizer que a vida aqui entre os brasileiros se parece com uma selva, ne? Chega a ser engracado como parece que todos os brasileiros estao o tempo todo tentando passar a perna um no outro e ninguem pode confiar em ninguem. Eu particulamente nao confio em quase ninguem, so no gerente do hotel que conheci e em alguns brasileiros que vieram a Santa Barbara com visto temporario que nem o meu. So pra voces terem uma ideia da situacao que eu me encontro aqui, eu, que tenho menos que uma semana de California, quase cai em um golpe.

Achar casa pra morar aqui em Santa Barbara, parece ser mais dificil que arrumar emprego. Esses dias, antes de mudar pra casa que eu tou agora, eu tava desesperado a procura, pois tava ficando caro pra mim ter que ficar pagando albergue. Eu ja tava comecando a ficar desesperado porque de maneira alguma eu conseguia arrumar um teto pra eu ficar embaixo, ja tava achando que ia ficar era no meio da rua mesmo. Depois de muito sair perguntando pra todo mundo se alguem precisava de roomate pra dividir quarto, o Orlando me passou o bizu de um amigo dele que teria o quarto da casa dele vago por duas semanas e eu poderia ficar com eles ate o dia 15 de janeiro. Nao era a melhor coisa, mas saia pela metade do preco do albergue (400 dolares por mes, eu so ficaria quinze dias, logo 200 dolares) e seria um local aonde eu poderia ficar mais de boa e talz.

O problema era que eu so poderia ir pra la depois de uma semana, o que ficaria inviavel pra mim, ja que eu tava precisando de casa “pra ontem” e tava pagando caro pelo preco diario do albergue. Conversei com o Roberto, expliquei minha situacao e ele me falou que era de boa, eu poderia ficar na sala ate o dia 1 de janeiro, esperando vagar a minha cama no quarto e depois eu comecaria a dormir em uma cama como uma pessoa normal.

Pra dar historia de blog tem que dar errado. Cara, acredita que os caras quiseram me passar um goelao na maior cara de pau? Quando eu cheguei na casa, os outros dois que ia morar la comigo ja foram falando:

– Entao, o Roberto combinou que ia ser 400 dolares pra voce ficar aqui, ne?

– Ahn? Mas 400 conto era pra eu ficar por um mes, eu so vou ficar duas semanas.

– Nao, mas perai, voce tem que ver que voce vai ficar tres semanas, uma na sala e duas no quarto, e alem do mais vamos ficar so tres na casa.

– Uai, se vao ficar so tres na casa a gente bota mais um temporario e quando o outro chegar eu e o outro cara podemos sair, sem problemas. Alem disso, o aluguel nao ja ta pago ate o dia 1? Logo, eu vou teoricamente comecar a pagar so dia 1, nao?

E foi nessa, meu amigo, os caras o tempo todo me passar o goelao, tentando me fazer idiota. Eu o tempo todo que nem gato comendo mingau quente, mordendo pelas beiradas os bichos, quando ficou bem claro que eles queriam mesmo era ganhar dinheiro em cima de mim, queriam que eu pagasse o dobro pra poder embolsar 200 dolares sem fazer nada. Depois de muitos blogs “Chapeu de Otario e’ marreta” eu ja estou calejado pela vida e me aplicar um golpe nao e’ assim tao facil, ainda mais que, depois de alguns relatos que ja ouvi sobre a brasileirada ilegal, ando mais vivo que gato dormindo em cima do motor em relacao a esses bichos.

Da pra acreditar que isso aconteceu, cara? Porra, cem dolares os caras ganham aqui em um dia de trabalho ou ate mais. Porque arriscar criar uma inimizade por causa de cem dolares? E’ como expliquei pra voces, nao acho que essas pessoas tenham nascidas com o espirito mal ou coisa do tipo, os dois caras eram educados, filhos da classe media alta, formados em universidades, nao duvido que tenham tido um educacao adequada e um formacao de valores ainda na infancia. O problema e’ que com os anos passando aqui e a falta de perspectiva pro futuro, constante competicao com mexicanos que sequer falam ingles por migalhas de empregos, a constante luta pela sobrevivencia, vao moldando essas pessoas e transformando-as em pessoas sem valores e desesperadas por algum dinheiro. Algo como a tabula rasa de Jonh Locke . Eu juro que eu apenas sinto pena. E’ por essas e outras que a partir de hoje so vou tentar me relacionar com brasileiros que estao que nem eu, de passagem, ou brasileiros residentes aqui com visto legal e com uma vida mais estavel.

Voltando a historia. Conversei com os figuras e eles deixaram eu dormir na casa deles por uma noite e na outra eu poderia dar certeza pra eles. Na verdade eu tava era muito afim de tacar o foda-se, ligar pro Orlando e pedir pra ele ir me buscar pra eu poder dormir no albergue, mas eu, dormindo na casa dos bichos por aquela noite eu economizava 20 dolares (preco da diaria do albergue) em cima dos “espertinhos” e ganhava tempo ja que estava esperando resposta de aceitacao em outra casa.

No outro dia peguei minha mochila menor e vim andando pro centro da cidade de Santa Barbara pra poder ver se conseguia arrumar emprego e tambem pra dar uma sacada na vizinhanca e poder ter uma nocao de como era o bairro, ja que eu ainda estava cogitando em morar com os bichos. Cara, quando eu comecei a dar a volta no bairro que foi a melhor! Ai’ foi que eu tive certeza que eu nao ia morar por la mesmo. Mermao, o bairro parecia MUITO aqueles bairros que aparecem no GTA San Andreas e em filmes de trafico de drogas americanos. Era aquele esteriotipo mesmo, parecia ate bairro de periferia do Brasil. Casas mal-pintadas e feitas com material de construcao barato alem de todas, eu disse TODAS, com grades altas para protege-las. Isso pode parecer banal, mas nao e’. No bairro que eu estou morando agora nenhuma das casas tem muros ou grades, apenas algumas cerquinhas pra enfeitar e delimitar o espaco da casa. Dai voces imaginam o que levam a familias, que nao tem grana pra poder pintar a casa, gastar com a construcao de grades pra suas casas. Os figuras moravam, simplesmente, no bairro mais perigoso de Santa Barbara. Bairro que domina as manchetes policiais com brigas de gangues e policiais sendo baleados. Capiche?

Nao precisa dizer que nao quis mais nem voltar pra a casa dos caras, ne? So voltei la pra pegar a minha mala e me preparar pra voltar pro albergue. O Orlando mais uma vez foi gente boa e me levou la. Quando eu tava voltando com ele pro albergue recebi uma ligacao de um proprietario de uma imensa casa no centro de Santa Barbara e que aluga pra estudantes morarem dizendo que eu poderia ficar na casa dele por um mes. Casa que estou morando agora. Isso eu conto no proximo blog. A casa tem por volta de vinte estudantes e eu sou o UNICO brasileiro. Hehehehehe. Doido demais, velho!!! Enfim vou fazer a minha galera aqui em SB so de estrangeiros e afinar de vez meu ingles.

Esse blog ta muito serio, deixa eu contar uma historia engracada so pra poder descontrair um pouco. Esses dias eu fui pegar um busao, com todas as minhas malas pra poder mais uma vez dormir em uma casa diferente e aconteceu algo inusitado. Tou eu sentando na parada de onibus quando chega o busao. Fiz sinal e subi. Quando eu entrei no onibus comecei a contar as minhas moedas pra poder pagar ao motorista. Comecei a estranhar que a mulher nao deu partida como de costume no busao e parecia esperar eu contar minhas moedas pra poder comecar a andar. Quando eu menos me espanto a mulher comecou a gritar:

– SAO 25 CENTAVOS A PASSAGEM, VOCE VAI PAGAR OU NAO?

Tomei ate um susto:

– Sim, minha senhora, eu tou so contando as moedas aqui.

– ENTAO PAGA LOGO E POE AS FUCKING MOEDAS NA MAQUINA

Comecei a pensar se eu tava pegando um onibus ou recebendo ordens de um oficial nazista para ir em direcao a camara de gas em Auschwitz, ja que a mulher gritava mais que mulher de malandro apanhando e parecia tremer mais que britadeira de raiva. Meio assustado, meio apressado, meio que tremendo com medo da mulher voar na minha goela, ainda deixei cair umas moedas no chao antes de colocar o dinheiro na maquinazinha e pegar o meu ticket. Fiquei ate pensando:

– E’ assim que os bichos tratam os turistas aqui em Santa Barbara? Ou sera isso um tipo de pegadinha? Cade a camera escondida? Cade a camera escondida?

Mas serio, a mulher parecia uma louca. Quando eu coloquei o dinheiro na maquininha eu vi que ela ficou um pouco mais calma. Respirou pra mim e falou:

– Desculpa, eu achei que voce fosse um hippie.

AEUHAEUHUuaehuhauhaeuh. Acredita nessa historia?? Ow, depois dessa eu ate pensei em cortar o meu cabelo. Ser confudido com hippie e quase ter o pescoco cortado por isso nao foi muito agradavel. Que historia surreal da porra, meu.

Galera, vou parando por aqui, o blog mais uma vez ta muito grande. Esse post nao ficou muito engracado como de costume, pois tou experimentando uma nova maneira de escrita o que pretendo fazer por toda a viagem. Tentei colocar um pouquinho de humor, mas, antes de tudo, pretendi fazer mais algumas analises sobre a regiao o qual estou e as pessoas com que estou vivendo. Nao sei se ficou muito tedioso, mas preferi fazer assim pra poder deixar a galera mais situada e tambem para poder fazer com que isso aqui nao seja so um local para poder dar risadas, mas tambem que voces possam participar um pouco mais da minha experiencia, tendo um pouco mais de contato com as minhas conclusoes e assim poderem aprender mais sobre diversas regioes do mundo, pois pretendo fazer analises como essas quando estiver viajando em outros paises. Nao sei, gostaria de sugestoes. Vou tentar mesclar um pouco mais palhacada com informacao pra tentar fazer com que meu blog tenha alguma relevancia intelectual, seja um pouco mais, na medida do possivel, jornalistico. O bom de escrever em blogs e’ isso, total oportunidade de mudanca de estilo e de maneira de escrita. Esse ficou um pouco chato porque foi a primeira experiencia analitica, o proximo eu prometo colocar algo mais engracado! Se comecar a ficar muito chato, volto a colocar so as presepadas mesmo.

Abracos Maranhenses

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

10 comentários em “Welcome to the Jungle – Vivendo nos Estados Unidos

  1. Faala Boizão? Muito irado vc voltar com o blog cara. Não esqueça de colocar em letras garrafais o site aqui pq galera esqueçe, e por isso naum comenta. Que loco q o aprendizado tá valendo dimais… ehauea ri pra caralho imaginando vc um numa enrascada tipo GTA San Andreas. Vai na fé aew q . E se cuida com os cabrons por, hein muchacho!! el culo!! ehauehau! Abraços símios!

    Curtir

  2. Clau clau!!Como meu comentário no post anterior foi ignorado nesse post eu achei que n faria falta meu singelo comentário aqui! Mas tudo bem…uahsuhauhsuahsEu to gostando do blog, mas eu, como amiga (da onça) de longas datas me divirto muito com as loucuras que SÓ acontecem contigo! Mas as informações são válidas, principalmente quando tu fores pro outro lado lá!!!E atualiza com mais frequência né!? Esse eu já tinha lido no email há diiaass!Boa sorteee!! =)))))))Beijãaoooo

    Curtir

  3. Pô, achei legal esse negócio de tu além de contar as histórias normalmente, também fazer uma análise do local, dá até um toque de “utilidade” pro blog e visto o fato que tu vai viajar pelo mundo essas análises chegam a ser bastante interessante e até indispensáveospô, os caras já tavam querendo dar golpe? achei da hora a dissertação que tu fez sobre os brasileiros que moram aí…ri daquela parte do cara que se acha a última bolacha do pacote e vai ter que se deitar todas as noites com aquela mulher para garantir o green card huahua huauhhuauauFalou

    Curtir

  4. Ola Claudiomar!!Descubri hoje o seu blog e desde que comecei a ler nao conseguir parar. Muito bom o seu blog, vc esta de parabens. Estou tentando ler numa sequencia entao nao sei por enquanto o seu paradeiro e como esta a viagem. Temos algumas coisas em comum, como moro em brasilia tb, fiz o msm programa de intercambio que vc por duas X e estou planejando fazer uma grande viagem como vc, mas nao exatamente uma volta ao mundo. Foi o pq acabei descubrindo o seu site. Nesse meu 2intercambio acabei resolvendo ficar por aqui como estudante. Estou morando em Las Vegas que pela proximidade e muito parecida com a California. Simplesmente adorei as suas analises, sobre o mexicanos, brasileiros sem perspectivas e nao confiaveis entre outras coisas e concordo completamente com todas as sua analises. Nao ficou chato essa mudanca de redacao nao. Mais uma vez vc esta de parabens, estou gostando muito do seu blog. bjs

    Curtir

  5. cara!!tá muito firmeza teu blog.. na boa.. eu to devorando que tu escreve, meu sonho é fazer RI, mas por enquanto eu nem posso ($$$)… ai to fazendo SI, pra posteriormente, poder me formar e fazer uma viagem dessas… hehe mas continua ai que eu sempre vou passar pora aqui!haihiuehuaehuia.. po, agora não são só seus amigos e parentes que comentam aqui!abraço!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s