Um pouco mais sobre moradia


Pois é, galera, a casa é assim mesmo. 

É uma casa grande que o dono aluga só pra estudantes. Eu disse “só” porque é estritamente “só” para estudantes. Eu só consegui uma vaga aqui pra ficar por esses dias porque eu fui conversando com o dono da casa, “passei o migué” que também era estudante no Brasil e que eu só queria ficar temporário. Fui conversando com ele e no final o bicho me deixou ficar por um mês, com possibilidade de renovação pra outro mês.

Morar aqui é bem legal, a galera aqui costuma ser gente boa, os quartos não são “nenhuma Brastemp”, mas são melhores do que o albergue, e

a relação custo-benefício é boa. Além de que, sempre tem alguém aqui pra poder conversar em inglês. A única parte ruim, responsável por eu estar me mudando, é que aqui é MUITO longe do meu trabalho e também porque consegui um lugar mais barato pra poder morar.

E lá vai mais uma história inusitada…
Cara, eu não sei o que tá acontecendo, mas vários fatos que estão ocorrendo estão começando a me deixar encucado. A primeira é que o dono dessa casa que eu moro, o Karl, é um senhor de idade. Ele parece aquele esteriótipo de vovô bonachão. Velhinho, gordinho e de fala manssaaa… Além de que ele tem um abraço que te envolve, parece um papai noel. Ele não precisa do dinheiro do aluguel aqui da casa pra poder viver, já que ele vive de renda e tem várias outras casas alugadas no estado dele. Ele só aluga a casa porque gosta bastante de estar presente com estudantes internacionais. Ele aposentou-se como professor e só depois que eu pude ver no contrato que o nosso amigo é, nada mais nada menos, do que Phd em educação. Phd mesmo, ele tem essa titulação.
Até aí tudo comum pra mim.
A única quebra de paradigmas é que o cidadão é um senhor de mais de 80 anos casado com… err… hum… casado com um chef de cozinha. Sim!! O tiozão aqui é gay e casado há mais de vinte anos com um outro cara. Tá, não deixei de abraçá-lo ou de conversar com ele porque ele é gay, isso não tem nada ver e eu não tenho esse preconceito bobo de pensar que ele vai “tirar uma casquinha” de mim, isso é coisa de idiota! Se fosse por isso, nenhuma mulher me abraçaria porque acharia que eu estaria me aproveitando dela. Continuo conversando com ele da mesma maneira e adoro conversar com ele, já que ele é MUITO culto. Mas cara, é uma quebra de paradigmas muito grande pra mim. Ver aquele velhinho, senhor de idade e saber que ele é casado com um homem. Tenho vários amigos gays, mas todos são da minha faixa etária, nunca na minha cabeça me veio essa imagem de dois senhores juntos e, o mais importante, felizes. É muito estranho quando você precisa pagar o aluguel, vai no quarto dele e tá ele e o outro (que eu não lembro o nome) só de roupão no quarto.
Agora, além do fato desse “casal” de senhores, o meu próximo companheiro de quarto também é gay. Mais uma vez volto a repetir, não é porque o cara é gay que quando for dormir no mesmo quarto que eu, no meio da noite ele vai pular em cima de mim com uma lingerie rosa e uma bolsa cheia de lantejoulas e falar “me possua, meu maranhense lindo!”. Também vai ser uma experiência nova, já que, apesar de ter alguns amigos gays, nunca convivi tanto tempo assim com alguém homossexual como vou conviver aqui em SB. O cara é gente boa e já demos várias risadas juntos, acho que vai ser massa morar com ele.
Tá, depois de todas essas delongas, “pisando em ovos” pra poder falar sobre homossexualismo e afins, evitando futuros mal-entendidos e como, já disse, mágoas de amigos homossexuais, deixa eu sair um pouco do campo do “politicamente correto” e falar porque eu tou divagando tanto. A situação é o seguinte… Porra, é muito arco-íris pra mim nessa história toda!! Já não bastava eu ter morado com um bando de viado em Brasília, ter mudado pra uma casa com um casal de homossexuais como donos, me transferir pra um quarto com outro homossexual? Além disso tudo, cês acreditam que um dos meus chefes ainda vai se chamar BRÁULIO?!?!
Hhahaehaehaeh!! Sério!! Sem brincadeira! Um do chefes do hotel se chama, nada mais, nada menos, que Bráulio!! B-R-Á-U-L-I-O!!
Resumindo, eu tou achando é que tem muito bráulio pra pouco maranhense nessa história. Tá, cara, de boa tudo isso sobre moradia, mas o meu gerente tinha que ter logo um nome desses?? Porra, o cara pode se chamar Adamastor Pitaco, Tiririca, até Galvão Bueno, mas porra, pra que diabos o cara vai querer se chamar de Bráulio, parceiro???? Já não basta esse jardim todo que tá se “desabrochando” aqui na Califórnia?? Agora ainda vou ter que mexer com o Bráulio???? Isso só me deixou feliz (muito cuidado com o que você vai pensar), porque ainda vai me render muitos trocadilhos no blog. Heheheheheheheh.. É uma cilada, Bino!!

4 comentários em “Um pouco mais sobre moradia

  1. Morar numa casa com um bando de gays em Brasília, né? E eu que pensei que vc tivesse escolhido a califórnia para passar uns tempos num ambiente menos homofóbico!Ah! pode deixar que já entreguei suas calcinhas da moranguinho pro Ivyson entregar pro teu pai, ok!8:29 AM

    Curtir

  2. Meu amigo Claudiomar..Se o clima de SB te contagiar, e você mudar seu comportamento e afinidade sexual.. Vou continuar gostando de vc do mesmo jeito, tá?Esteja aberto para novas experiências, sempre!:pDe sua amiga.. independendte do que aconteça..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s