Hafisa e a vida na Indonesia

Beleza, ficamos até mais ou menos duas da manhã e seguimos pra casa da Hafisa. No caminho, conversando um pouco sobre Indonésia e Brasil, a Hafisa me falou que era muçulmana. Cara, na hora foi um choque! Não porque deu medo de dormir na casa dela e ela me entregar pro Bin Laden, mas sim porque ela, politicamente correto à parte, parecia tão “normal”! Sim! Ela não usava véu, passou a noite inteira com a gente no barzinho e estava levando um homem que ela havia acabado de conhecer pra dormir na casa dela (não, gente, antes que vocês com essas mentes poluídas pensem, não peguei!).
Gente, essa foto foi montada, tá?
Engracado que depois de ver que eu tinha uma Hello Kitty rosa na minha carteira (longa historia) ela me deu tudo rosa pra eu poder dormir, como pode ser visto ao lado (nao gente, nao chupo o dedo antes de dormir, foi so personificacao)
Pode parecer pouco, mas agarrado aos meus preconceitos e esteriótipos, eu nunca imaginaria que isso poderia ocorrer. Eu achava que ela era católica, tal qual a Mega. A primeira coisa que veio à cabeça quando ela me falou que ela era muçulmana foi:
– Ue’, mas cadê a burca? Cade o véu?
Perguntei a ela e ela deu uma risadinha de boa da minha cara e falou:
– Nem todas as muçulmanas precisam usar o véu. É sua escolha, se você quiser usar, tudo bem! Se não quiser usar, tudo bem também! O islão não obriga ninguém a fazer nada! A escolha é sua. Ninguém vai te incriminar por não usar o véu, na cabeça, apenas os mais imbecis vão te encher o saco!
Fiquei pensando e vi como é a mesma coisa no Brasil. Venho de uma família de protestantes e católicos e entre os meus tios tem desde os que não tão nem aí pra como as filhas se vestem, até os que acham que mulher não pode andar de mini-saia ou usar bikini.
Chegando na casa dela, achei que ia dormir na sala, pois tinha um colchão lá. Fui arrumando minhas coisas pra dormir e ela me falou:
– “Não quer dormi no meu quarto? Tem duas camas, a minha e do meu companheiro de quarto, mas dá pra colocar um colchão no chão. É melhor porque tem ar-condicionado!”
Mermão, foi aí que a vaca foi pro brejo! Como assim, uma mulher, islâmica, me chamava pra dormir no quarto dela? Pra falar a verdade, como assim uma mulher dividia quarto com um homem? Realmente era demais pra mim! Isso e’ algo impensavel ate’ para a “ala mais liberal” da minha familia, cara! Sempre era uma luta danada quando a gente viajava pra nao fazer com que homens e mulheres nao-casados dormissem no mesmo quarto!
No outro dia, ficamos conversando um pouco sobre a vida em países muçulmanos. Na verdade eu fiz quase que um interrogatório com ela, perguntando tudo que sempre quis saber mas nunca tive ninguém pra perguntar.
Ela me falou que a Indonésia é o maior país muçulmano do planeta e ao mesmo tempo possui liberdade de imprensa, liberdade de religião, voto direto pra representantes, venda de bebidas alcóolicas (apesar de ser proibido pelo islã) etc. Não muito diferente do Brasil, cara! O problema, como ela deixou bem claro, nào é a religião em si, o problema é o fundamentalismo! No Alcorão tem escrito que a mulher deve-se vestir adequadamente. Pros Bin Ladens da vida, isso quer dizer que a mulher tem que se cobrir dos pés à cabeça e se ela mostrar os tornolezos é pra descer o cacete nela! Pra outras pessoas vestir adequadamente é usar roupas adequadas aos lugares, porra! Se for à mesquita, usar calças, se for à praia, usar bikinis, nada mais simples!
O que oprime as pessoas em países como Árabia Saudita e Afeganistão, não é a religião em si, mas sim o sistema político que utiliza a religião para se legitimar. Apesar de católicos, acho que os brasileiros não concordam com as diversas pessoas que a Igreja Católica queimou durante a Inquisição ou aos diversos massacres de civis (mulheres e crianças) durante as Cruzadas. Então, porque botar na conta do Islão, o que alguns imbecis fazem, supostamente, em prol da religião? Fica aí o questionamento.
Só pra deixar vocês um pouquinho mais encucados. Em países muçulmanos as mulheres são tratadas como meras reprodutoras, correto? Enquanto o maior país muçulmano do mundo já teve uma chefe de estado mulher (Megawati Sukarnoputri 2001 a 2004), o Brasil nunca teve uma mulher que sequer chegou perto da presidência (me recuso a levar a Heloísa Helena a sério). Enquanto no Paquistão, a maior estrela da oposição era um mulher, Benazir Bhutto (morta num atentado), no Brasil a maior esperança da ala feminista um dia foi Roseana Sarney ¬¬
Coloquei as fotos pra voces compararem

Mas nao esquecam que as mulheres sao inferiores em paises islamicos e tem o mesmo status em paises catolicos.

8 comentários em “Hafisa e a vida na Indonesia

  1. Baixinho!Eu tive alguns professores muçulmanos e alguns amigos também, ele me explicaram que a mulher não é vista como inferior, mas sim como alguém que deve ser protegida. Eles me explicaram também que a mulher é uma jóia muito valiosa e como tal deve ser preotegiada =DE como expoentes políticos ou mulheres de destaque vc poderia ter me citado, já que serei futura ministra da educação =DTE ADORO!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s