Outro coraçãozinho simpático cruza o meu caminho

P.s: Caros, eu vi que algumas pessoas comentaram acerca do forte, pedindo que eu colocasse mais fotos sobre ele. Não há muito a escrever sobre, pois as fotos por si só falam mais do que mil palavras. Atendendo a pedidos, coloquei fotos do Forte mescladas por esse post 🙂 Daqui a dois dias publico um outro vídeo que fiz em uma de suas muralhas que eu acho que vocês vão curtir.
A cidade de Jaipur é realmente interessante. Ao contrário do que inicialmente pode pensar o mochileiro desavisado, o título de “cidade-rosa” conferido à cidade não é por acaso. Realmente, por todos os cantos que você caminha há prédios pintados de rosa. A cidade parece uma casa de bonecas gigante.
No dia que estava decidido a conhecer a cidade de Jaipur, acordei cedo e fui logo contratar um riquixá movido a bicicleta pra poder me levar pra dar uma volta pela cidade. Saí procurando por todos os cantos e o primeiro que se ofereceu eu decidi contratá-lo. Expliquei pra ele que queria uma riquixá pra ficar comigo durante a manhã inteira e pra me levar pra conhecer os principais monumentos da cidade. Ele falou comigo que tava de boa e eu perguntei quanto ele queria pelo serviço. Já estava preparado pra ouvir o cara falar de cara que ia sair por cinco ou até dez dólares (eu queria pagar, na melhor das hipóteses, três) quando veio a surpresa:
– Tudo bem. Posso levá-lo aos principais lugares, a manhã inteira, por dois dólares
Dentro do Forte
ÃHN?!? Como assim? Dois dólares? Tá falando sério? Na mesma hora eu estranhei. Como assim o cara tava me oferecendo um preço abaixo do que eu queria pagar? Tava na cara que isso era sacanagem. Como estava querendo mesmo era que acontecesse presepada comigo (afinal não tinha nada de valor nos bolsos e ainda por cima ia render história pro blog), resolvi, escabreado, aceitar a proposta do papudinho e subi na riquixá dele. O cara parecia até ser gente boa mesmo, foi tentando me explicar, no inglês ruim dele, o que cada edifício era, quando foi construído… Resumindo, eu além de pagar um preço irrisório para um cara pra pedalar um riquixá pra mim, acabei, sem saber, adquirindo um pacote 2X1, guia e “pedalador”. Logicamente isso não ia acabar bem.
Enfim, como tava curtindo o passeio, acabei dando panos pras mangas e resolvi ficar admirando a cidade. O que me deixava mais impressionado eram os seus diversos elefantes caminhando pelas ruas e os pedestres nem aí, como se fosse a coisa mais normal do mundo (pior que pra eles era), como a gente quando se depara com um jumento andando numa calçada. Era interessante ficar admirando aquele zoológico ao ar livre, com elefantes e macacos por todos os lados. Viva a Índia.
Mas nem tudo são flores. Acho que, aproveitando o meu estado de deslumbrância com aquela cena surreal (uma cidade rosa, “empestada” de elefantes), o cara virou numa esquina e começou a pedalar a riquixá pra dentro de uma favela de ruas sinuosas e com pessoas com caras nada amigáveis. Era chegada a hora, pensei! Era a hora do bote! Peguei o tripé que eu usava para bater fotos, coloquei na mão e assumi posição de ataque esperando a primeira reação do cara anunciando o assalto para poder virar o tripé na cara dele. Fiquei naquela tensão uns dez minutos e, após isso, o cara parou em frente ao Hawa Mahal, pra bater aquela famosa foto tronxa que eu já tinha falado pra vocês. Ufa, era alarme falso. Parei, desci, bati a foto e continuei sempre alerta.

Entrada principal da Cidade Histórica de Jaipur
E por três ou quatro vezes eu ficava daquele jeito. Tirava o tripé da sacola, colocava na mão e ficava esperando a hora que ele dele me assaltar ou me levar pra uma rua onde tivesse uns malandros me esperando, sei lá… O cara tava cobrando muito barato e era isso que me encucava. Só sei que no final, ele me deixou em frente ao meu hotel e perguntou se eu queria algo mais. Falei que não. Ele só pediu os dois dólares dele. Quando eu dei, ele falou obrigado e já tava indo embora. Quando eu vi que REALMENTE nada ia acontecer e o cara REALMENTE tinha sido muito gente boa, chamei-o novamente e o entreguei mais três dólares de agradecimento. Ele ficou sem entender nada e depois agradeceu. Pô cara, no final acho que ele mereceu. Ele era GENTE BOA DEMAIS!!

Entrada do Forte
Depois, recolhido no meu aposento fiquei me perguntando. Porque será que ele foi tão gente boa? Ele além de ter sido gente boa, ainda por cima iria me cobrar MUITO barato! Pela primeira vez na minha vida, uma história que realmente me surpreendeu na Índia. Na hora lembrei a história do moleque de Kajuharo e me lembrei que, pela primeira vez, alguma história na Índia me surpreendeu com alguma pessoa sendo gente boa desde o começo.

Outra entrada do forte
Fiquei de cara…
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

12 comentários em “Outro coraçãozinho simpático cruza o meu caminho

  1. <><> Inacreditível!!!Além de responder a dois comentários meus, a fazer uma menção subliminar a minha pessoa no post, o Claudiomar ainda atendeu de pronto ao meu pedido por mais fotos.E para completar, fui o primeiro a postar!!!É sorte demais para um mero mortal. Acho que vou jogar no bicho… hehehehehehe<><>

    Curtir

  2. <><> E quanto ao post, se Jaipur “não te encantou absurdamente” como outros lugares, mesmo tendo toda essa beleza; meu amigo, os lugares que te encantaram devem ter sido mesmo muuuuito lindos!!Po, aquelas fotos do Palácio das Águas, mais as entradas do forte me impressionaram!!Valeu a pena mendigar por mais fotos!! heheheheheh <><>

    Curtir

  3. <><> E quanto ao post, se Jaipur “não te encantou absurdamente” como outros lugares, mesmo tendo toda essa beleza; meu amigo, os lugares que te encantaram devem ter sido mesmo muuuuito lindos!!Po, aquelas fotos do Palácio das Águas, mais as entradas do forte me impressionaram!!Valeu a pena mendigar por mais fotos!! heheheheheh <><>

    Curtir

  4. vai ver ele te axou bonito maranhãoda um abraço pra jackson lagos 😛ao menos o sergio naya morreu no hotel do lado da minha casa, menos uma otra peste no mundo..asuihsaisa

    Curtir

  5. é claudiomar… como diz a minha mãe, é por causa de pessoas assim que o mundo ainda gira! se não fossem elas, a Terra já tinha acabado!!!hehehehehe

    Curtir

  6. Maranhão,Onde você cortava o cabelo, se cortava?Podia fazer um post sobre isso (essas necessidades). Um amigo meu foi para o egito e o barbeiro lá usou um fio pra cortar o cabelo dele! Tesoura pra quê?comédia!abraçosvitor;sp

    Curtir

  7. Pooow, tinha certeza que no fim do post vc ia dar falta de alguma coisa..!easiuehasiuheaisuheiasuEnfim alguém bom de verdade na Índia.. easihueasiuehAbraaço!p.s.: e o Jô, vai ser quando hein!? ;D

    Curtir

  8. Por que vc não cria uma outra categoria na votação, tipo normal, não foi nem interessante nem desinteressante??

    Curtir

  9. Aquela foto dos elefantes, aparece no canto o homem que foi seu motorista?Até que enfim encontrastes uma pessoa honesta na Índia!Adorei as fotos!

    Curtir

  10. e ai cara? sua estória ficou com cara de “ainda não terminou e o cara das pedaladas ta te esperando”. E aí vc realmente acreditou que ele era gente boa? ou será que vc não descobriu que ele armou pra vc?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s