Pelas quebradas da Polônia

Antes de começar a escrever acerca da minha viagem posterior à Lituânia, decidi que seria importante escrever sobre alguns figuras que conheci pela Polônia e que marcaram a minha passada por Varsóvia. Além dos já citados Mário e Gosia, acho que tem duas pessoas que preciso escrever sobre.

Reinaldo

Reinaldo foi um brasileiro do Couchsurfing.org que conheci pouco depois de ter chegado a Varsóvia. Ele é oficial de chancelaria, trabalhava na embaixada brasileira na Polônia e foi lotado em Varsóvia assim que eu cheguei por lá.

Antes de eu viajar, nos cruzamos algumas vezes aqui por Brasília em encontros do Couchsurfing.org, mas não chegamos a ser amigos como fomos pela Polônia. O bicho era o meu companheiro inseparável de presepadas, saídas e pau pra toda obra! O que eu achava mais engraçado no figura era que com que ele não tinha meia-hora, era dar um toque no celular dele, chamar pra ir pra um lugar que na mesma hora o cara tava lá, nem perguntava quem ia ou algo do tipo.

Me salvou de várias, como as diversas vezes em que a Karol me trancou do lado de fora da casa e eu ia acabar dormindo no apartamento dele. Ou então quando deixei algumas coisas na Polônia pra buscar depois e não tive como voltar. Acabou que o Reinaldo trouxe algumas das minhas mochilas, mas essa história eu vou contar detalhadamente quando estiver escrevendo sobre a Espanha!

Reinaldo também foi responsável por eu não desaprender a falar português, haja vista que foi o primeiro brother que fiz depois que saí dos Estados Unidos…

Toni Walia

Outro grande, mas GRANDE figura que conheci pela Polônia chamava-se Toni Walia! Toni Walia tinha cara de indiano, nasceu Cingapura, mas parecia mais um sheik do Oriente Médio. Era um Sikh, religião que vou explicar um pouco mais posteriormente quando voltar a escrever sobre o Norte da Índia. Como o próprio estereótipo dos Sikhs já pregava, o cara era gente boa DEMAIS!!

O conheci quando ainda viajava pela Índia em um encontro do Couchsurfing.org em Deli quando nos reunimos para almoçar. Ficamos amigos e combinamos de nos encontrar em Varsóvia quando eu disse que ia viajar para lá posteriormente.

Ao chegar a Varsóvia, descobri que o cara era um dos mais importantes militantes do Couchsurfing.org em caráter mundial e também o segundo maior colaborador do Hospitality Club (o primeiro programa de intercâmbio de hospedagens do mundo que depois foi copiado pelo Couchsurfing.org). Ele tinha um restaurante indiano onde por várias vezes nos encontrávamos antes de sair para as baladas na Polônia.



Galera no restaurante de Toni Walia antes de ir para balada…



Era engraçado demais sair com aquele cara. Imagina aquela cena, você tá numa balada, cercado de polacas fogosas por todos os cantos e, de repente, surge um cara barbudo, com cara de indiano e com um turbante IMENSO na cabeça! Parece até que saído de um filme iraniano ou coisa parecida. Era muito engraçado como ele contrastava com as outras pessoas! Além de tudo ele não bebia nada! Ia pra balada e só tomava suco de laranja.

Toni Walia e Gosia



Das várias histórias que ele contava, uma das que eu mais ri foi quando ele contou a história de uma referência negativa que uma menina deixara para um cara que ela hospedara alguns dias atrás.

Tecla PAUSE

Pra quem não tá muito ligado o que são referências do Couchsurfing.org, elas são um dos pilares do programa e também um dos mais importantes aliados na segurança do site. Como funciona? Eu fico hospedado na sua casa, quando vou embora, deixo uma referência pra você: Fulano foi gente boa, me hospedou na casa dele, é um cara gente boa e blá blá blá. Fulano que me hospedou também deixa uma pra mim: Claudiomar é um cara legal, ficou aqui na minha casa, não fez nada de errado e blá blá blá… Mais ou menos no esquema daquele site da internet “Mercado Livre”. Quanto mais referências você tem, mais você é confiável e mais fácil é para conseguir ser hospedado.

Tecla PLAY

Ele falou que tava dando uma passeada pelos perfis da galera de Varsóvia quando se deparou com uma referência negativa no perfil de uma menina. Como referências negativas são difíceis de ocorrer, ele resolveu dar uma parada pra ler. Quando ele viu a referência que a menina deixou pro cara, ele quase não acreditou. Diz ele que a referência dizia assim:

He is a good guy. I got him in the airport and we came to my home. We made sex. I’m leaving him a negative reference because he woke me up to early!

Traduzindo: – Ele é um cara legal. Eu o busquei no aeroporto e viemos para minha casa. Nós transamos. Eu estou deixando uma referência negativa apenas porque ele me acordou muito cedo!!!

Toni Walia, Kirin Bhala (outro Sikh gente boa demais), Reinaldo e mais alguns amigos na balada em Varsóvia…



Mermão!! Diga aí!! Eu ri demais quando ouvi essa história!! É ter noção demais das coisas, né? A mina não só deixa no perfil dela que ela transou com o cara como ainda por cima deixou uma referência negativa por que o cara:

1 – Envenenou o cachorro dela?

2 – Pegou o namorado dela?

3 – Urinou o sanitário inteiro quando ia ao banheiro?

4 – Esquartejou seus familiares?

5 – Não baixou a tampa do vaso quando usou o banheiro (nossa, essa é a mais grave de todas, diga aí, meninas?)

Não, que nada, tudo isso são banalidades. O que pega mesmo é criar um ódio MORTAL de um cara porque ele comete a audácia de ACORDÁ-LA MUITO CEDO. Engraçado demais… Isso claro, com TODAS as pessoas do Couchsurfing.org tendo acesso e podendo ler. Noção é para os fracos.

Se na minha primeira semana eu não sabia como a minha noite ia começar, só sabia como ela ia terminar, nas outras foi o contrário: Não sabíamos como a nossa noite ia terminar, mas sabíamos que ela iria começar com toda a galera do Couchsurfing.org se encontrando no restaurante do Toni Walia e depois caindo pra esbórnia.



Geral em outro dia no restaurante do Toni antes de ir pra balada…



Bons tempos…

6 comentários em “Pelas quebradas da Polônia

  1. <><>Porra velho, por isso que eu fui contra sair estratégicamente da Índia para retornar à ela depois.
    Agora estou curioso pra cacete para saber sobre a religião sikh.

    Poderia ir no São Google, ou na Santa Wikipedia, mas não teria a mesma graça e classe do que nosso amigo maranhense relatando.

    Enfim…

    Legal os figuras.
    Uma coisa que eu pensei sobre a mina não-sense que escreveu a refer~encia do teu amigo: além de lesada ao falar aos 4 ventos que transou com o cara, e dar uma referência negativa por ele tê-la acordado cedo; ainda pesa (e muito) o fato da mina ter um mau gosto do caralho!!!

    Afinal transar com esse teu amigo na mesmíssima noite que o cara chega em casa, é no mínimo ter preferência muitos estranhas. Ok que ele é gente boa, mas o cabra é feio porra!!

    jhehehehehe

    Abraços meu fio.

    Ps. teu leu o comment que eu havia dito sobre a revista Superinteressante deste mês Claudiomar?<><>

    Curtir

  2. Claudiomar
    Eu acho que é a lei da atração, você sendo uma pessoa aberta, comunicativa e aventureiro, sempre encontra pessoas parecidas com você.
    Eu fiquei muito na minha quando viajava por outros países, acho que por timidez.

    Curtir

  3. Se eu não entendi errado, a história da transa aí num tem nada a ver com o amigo dele kekekekeke.

    E falando nisso, o fato de ser uma referência negativa chama ainda mais atenção né? kekekeke. Essa foi pro grupo das Funny Negative References?

    E você passou mais de uma semana surfando o mesmo couch?

    Vlw mestre! o/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s