Fes – Cidade marroquina do couro e maior zona de exclusão de automóveis do mundo

Depois de Laayoune lá vou eu pegar mais cinco horas, entre voos e conexões, e passar a terceira vez por Casablanca em menos de cinco dias. Estava a caminho de Fes.
Se muitos dizem que a Marrakesh é a cidade turística do Marrocos e Casablanca a cidade dos negócios, Fes é a cidade histórica e também um dos locais mais importantes para os marroquinos.
Foi nesse cidade, fundada no final do século VIII (!!!!!), que iniciou-se a luta pela independência marroquina e foi essa a cidade que por mais tempo foi capital do Reino do Marrocos.
Fes é uma cidade de superlativos e alguns marcos. É a maior cidade medieval islâmica do mundo e tem a maior Medina (aglomerado de edifício históricos protegidos por uma muralha) do Marrocos. Lá dentro não é permitido o trânsito de carros, assim, em Fes há a maior zona de exclusão de automóveis do mundo. Assim, lá dentro, caminhando por aquelas vielas sem carros, você realmente se sente como que transportado para um microcosmo medieval, onde as pessoas comerciam as mesmas coisas há centenas de anos.
Além disso, em Fes foi fundada a primeira universidade do mundo (construída em 859. Obviamente, os europeus  não reconhecem isso) e que se encontra em operação até hoje.
Fes se destaca pela indústria do couro. Ele é trabalhado de forma artesanal com poucas mudanças nessas centenas de anos. Fui visitar uma cooperativas dessas e fiquei impressionado com o quão desumano é o trabalho que eles fazem por lá. Cara, é um cheiro tão insuportável de carne em decomposição (já que eles arrancam o couro do animal e deixam ele de molho em uma pedra especial para retirar restos de carne e pelos) que, antes de você entrar na cooperativa, os caras te dão algumas folhas de menta para você ficar cheirando e disfarçar o cheiro forte.
Setor do couro em Fez

Você olha os caras lá embaixo, maltrapilhos, envoltos em matéria orgânica decomposta, aquela água fétida escorrendo e é impossível não ficar com pena deles. O cara da cooperativa me falou que antes a situação de trabalho era bem pior, apesar de ser difícil de imaginar o que seria pior que aquilo. De qualquer forma, só podemos ver uma pequena parte do que antes era o lugar onde eles trabalhavam. O lugar foi declarado patrimônio da humanidade pela UNESCO que agora está o reformando.

Reforma do lugar de tratamento de couro sendo financiada pela UNESCO. Notem o guindaste na foto
Lembrem de olhar para essa foto toda vez que acharem ruim seus trabalhos. Mano, é muito mais chocante ao vivo, ainda mais por causa do cheiro forte

Outra coisa engraçada foi que no albergue onde eu estava hospedado encontrei uma colega de universidade do tempo de UNB. Que coincidência.
Albergue onde fiquei em Fes

COMPRAS EM FES

Por lá, aproveitei para fazer algumas compras também. Comprei um bom cinto de couro por sete reais, uns bons perfumes por 10, 15 reais, lembrancinhas para dar de presente no Brasil…
Esqueçam preços tabelados, no Marrocos não tem nada disso e você tem que discutir tudo que vai comprar.
Quando eu precisava comprar alguma coisa perguntava no albergue antes “Ow, quanto achas que devo pagar por tal coisa?” e eles me respondiam a faixa de preço que eu deveria negociar. No wikitravel.com tem inclusive uma TABELA com preços de quanto você deve pagar por determinados tipos de produtos, de sapatos a alimentos.
Tabela de preços do wikitravel onde se vê de sapatos a tatuagem de henna
Você descobre mais ou menos quanto é e sai negociando. Eu detesto isso, pois sempre saio com a certeza de que fui roubado, mas é inegável que é engraçado. Com certeza eu ainda conseguiria pagar mais barato pelas coisas que comprei, mas para mim já estava barato suficiente.

DO YOU WANT CHILDREN? CHILDREN ARE CHEAP…

Um amigo meu ao chegar em Marrakech obviamente se perdeu e não conseguiu achar o seu albergue. Matutou, matutou, matutou e nada de conseguir. Decidiu pedir informação a um vendedor que foi super solícito e lhe explicou como era o caminho. Quando ele terminou de explicar o caminho virou para o meu amigo e ofereceu: – “Mas então, você não quer levar uma criança? Crianças aqui são baratas…”. Meu amigo disse que se empaledeceu e se assustou na hora. “Caraca, é tão descarado assim?”. Só depois que ele foi entender que na verdade o comerciante estava oferecendo uma criança para guiá-lo até o albergue, não para ele levá-la como escrava.
Em Fes é a mesma coisa. A Medina é tão gigante e tem tantas vielas, que eu acabei contratando uma criacinha também para me levar ao meu albergue.
Se liga na marra do meu primeiro guia

No albergue havia uma tartaruga de estimação. Era engraçado que vez ou outra a gente ia caminhando pelo albergue e quando via ela tava emborcada de cabeça para baixo sem conseguir se desvirar. Aí a gente ia lá e ajudava bichinha
Cara, por onde você andava tinham esses meninos vendendo pão nesse carrinho. Os caras devem gostar demais de comer isso no Marrocos

Fes vista de cima. Reparem no TANTO de antena parabólica nas casas. O sinal analógico lá não deve ser dos melhores…
Viela onde só cabe uma pessoa? Queriam nem saber! Era sair da frente para não ser atropelado por burros
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s