Um maranhense, um paraibano, um elefante e uma câmera digital

Galera que foi pra Ayutthaya dormindo na casa de Nicknack
Dando um rolê por Ayutthaya, Nicknack nos propôs algo interessante:
– Ei galera, vocês já andaram de elefante?
Pô, já tinha visto uma galera caminhando com elefantes no meio da rua, mas nunca tinha subido em um. Fala aí, andar de elefante deve ser uma parada da hora, né não?

Não pensamos duas vezes. Falamos com NickNack e foi todo mundo andar de elefante. Eu, o paraibano e a alemã. Cara, chegamos numa casinha de telhado quebrado e de paredes amarelas descascadas. Nicknack já chegou gritando em Tailandês e lá de dentro saiu uma mulher e uma menina com o seu bichinho de estimação na coleira. A menininha era fofa demais, tinha por volta de uns sete anos e trazia na coleira o seu singelo tigrinho. Sim, cara, enquanto no Maranhão a gente cria cachorro, gato, capivara e cotia, na Tailândia eles criam tigres! Mermão, fiquei de cara demais!!! Depois dei uma olhada no jardim de trás e pude ver mais duas criancinhas dormindo no quintal. Dois belos tigrinhos tirando uma soneca. E eu achando que eu tava sendo “hardcore” porque tinha um pastor alemão guardando minha casa.
Sim, o tigrinho ficou tentando comer a minha bermuda jeans. A melhor foto que deu pra tirar com ele foi essa.
Eu acho que eu vi um gatinho

Nicknack ficou lá negociando o preço do “Elephant trekking”. Eu e os outros dois ficamos batendo fotos com o tigrinho. Cara, Nicknack voltou de dentro da casa com más notícias. A mulher não aceitou fazer o trekking por menos de 500 baths, o que dá por volta de uns 30 reais. Não tínhamos outra opção, já que ele falou que não teve jeito de baixar o preço (cara, quando um “local” não consegue baixar o preço é porque não tem jeito mesmo). Resolvemos embarcar.
Subimos eu e o paraibano num elefante e a alemã em outro. Vou te dizer, foi uma experiência única na minha vida, viu? Andar de elefante foi algo totalmente novo e sem parâmetros a tudo que já tenha ocorrido na minha vida medíocre! Rapaz, foi uma experiência impressionante! Cara, imagina, você sentado lá em cima! No lombo de um elefante? Vendo tudo de uma visao panoramica? Imagina, meu amigo???

Imaginou?? Hein? Hein?

Eu vou descrever pra você como é um passeio de elefante! Presta atenção na riqueza dos detalhes.
Um passeio de elefante, é assim: Ele anda, anda, anda, anda. Pára pra comer um pouco, anda, anda, anda. Faz uma curva e anda, caminha, anda, caminha e… E? Tchan, Tchan, Tchan, TCHANS!!! E ANDA!
Doido, eu vou te dizer, eu NUNCA passei tanta raiva na minha vida! Cara, andar de elefante foi uma das coisas mais CHATAS e ENTEDIANTES que eu já pude ter o desprazer de fazer! Algo como uma aula de botânica sobre o ciclo reprodutor das briófitas! Sério, doido!
Cara, não tem nada demais! Você sobe no lombo do bicho, ele anda pra um lado, anda pro outro e pronto, acabou! Mas não é assim, “acabou”. Vinte e cinco minutos andando no lombo daquele bicho me custaram quinhentos baths. Eu disse QUINHENTOS! Cara, trinta reais é dinheiro que só a molesta no Brasil, agora, imagina na Tailândia? Pra vocês terem uma idéia, quinhentos baths pagam 10 refeições num restaurante “padrão”. Depois eu vou falar o que dá pra fazer com quinhentos baths aqui na Tailândia e vocês vão fazer o seu julgamento.
O pior que é isso. Você sobe no lombo do bicho todo empolgado, fica feliz que só mosquito em campo de nudismo, acha que vai ser uma coisa de outro mundo e depois de cinco minutos você enjoa e fica os outros 20 minutos pensando como você desperdiçou dinheiro pra não fazer nada! Até andar de cavalo é mais divertido, já que cavalo pelo menos é rápido e você sente o vento no rosto. Cara, sério, se um dia vocês tiverem a “oportunidade” de andar de elefante, NÃO ANDEM! Paguem pra bater uma foto em cima do pescoço do bicho e peçam pra andar 10 metros. É mais do que o suficiente pra poder se entendiar. As fotos em cima do elefante vocês podem mostram praquele “Zé povinho” que vocês não gostam e fazer inveja neles. Não esqueçam de falar que andaram por quase duas horas e foi sensacional, assim se um dia eles tiverem a “oportunidade” de andar de elefante, eles vão jogar dinheiro fora. Hehehehe.

Eu lembro que um dia eu falei que, quando crianca, costumava tomar refrigerante em saquinho plastico. A galera de Brasilia nao perdeu a chance e zoou da minha cara ate nao poder mais. Me chamaram so’ de Jeca Tatu e o Maranhao de fim de mundo. Olha so o que um dos tailandeses ficou fazendo enquanto a gente andava de elefante…
O elefante só tem um marfim!!

15 comentários em “Um maranhense, um paraibano, um elefante e uma câmera digital

  1. Maranhão, Bom Dia !!!Estou indo pra terrinha neste fim de semana…Só queria saber como vc conseguiu subir neste élefante …rsrs…Vc contou como foi o passeio, mas esquecer de nos contar a aventura de subir e/ou descer..rsrs.. ??Abs,Ethianne Lucena

    Curtir

  2. cara gostei muito que vc se ferrou de raiva nesse pobre elefante, que pra te servir teve sua vida interira ferrada.Cynthia do Goiás.

    Curtir

  3. Essa de tomar refri no saquinho achei o máximo, apeza de de nunca ter visto isso. Esse povo de Bsb tem que zoar mesmo, são uns puta povo sem referêncial, sem cultura própria. Qual a comida típica de Bsb? qual a roupa típica deles? qual? qual e qual?kkkkkkk!!!!!Cynthia

    Curtir

  4. Essa de tomar refri no saquinho achei o máximo, apeza de de nunca ter visto isso. Esse povo de Bsb tem que zoar mesmo, são uns puta povo sem referêncial, sem cultura própria. Qual a comida típica de Bsb? qual a roupa típica deles? qual? qual e qual?kkkkkkk!!!!!Cynthia

    Curtir

  5. Fala Claudiomar, Sou o Jesse, irmao da Janaina Nelson, eu acho que vcs estudaram juntos na UnB, Rel. Achei seu blog atravez de um topico em uma comunidade de viagem volta ao mundo no orkut, foi um dos meus dias mais produtivos no trabalho, e realmente gostei de ler os seus posts. Achei muito engracado e muito bacana o que voce esta fazendo, sempre tive vontade de conhecer o mundo, e por enquanto eu conheco boa parte da america do sul viajando de mochilao com a minha irma e familia. Eu ja cheguei at’e a pesquisar os precos de voos volta ao mundo e como funcionam, mais o que falta ‘e coragem e o investimento inicial para embarcar em uma aventura como essas, eu acho que vou fazer essa aventura em etapas, sou muito “chicken” quando chega a hra de largar tudo por um ano, mais pago mohh pau pra quem enfrenta de peito aberto uma parada dessas! Bem, se voltar para os EUA sul da Virginia, mais precisamente Blacksburg no proximo ano(tempo que falta para eu me formar), vc jahh vai ter um “couch” onde passar um tempo se quiser, depois disso, sabe deus o que eu vou fazer da vida, quem sabe voltar a Manaus, ou quem sabe criar coragem e conhecer o mundo por um ano!!Bem, boa sorte por onde quer que esteja no mundo, eu comecei a ler ontem, e estou lend cronologicamente quando tenho tempo e ou quando nao tem niguem olhando no trabalho!!! Tudo de bom pra vc um abraco

    Curtir

  6. oiEu fui em Bangckok em 2005, tirei fotos em Ahyutaya, vi os elefantes, mas não tive coragem de pagar 500 baths, fiquei mais é com dó dos bichos que são explorados pelos nativos para fazer isso.a Japa

    Curtir

  7. Meu tb achei muito bom que vc tenha se ferrado e perdido dinheiro com esse elefante. Tomara que sirva de licao. Sem querer ser politicamente correta mas ja sendo. Esses animais sofrem demais com toda essa exploracao humana a busca de dinheiro a qualquer custo. E a cada vez que um turista resolvi pagar os tais 30 reais, para poder tirar fotos e dizer ” ahhhhhh olha que iradooo andei de elefante, peguei um tigre para os amigos” So esta incentivando.Os tigres filhotes estao vivendo em cativeiro enquanto deveriam estar aprendendo a sobreviver. Enfim, tinha que dizer isso.Realmente POBRE ANIMAIS.Mas enfim isso sempre vai existir. Infelizmente.E imagino o que leva turistas a fazer isso.

    Curtir

  8. A talvez essa seja a resposta para o “onde esta o outro marfim”Mas olha deixando claroAdoro vc e o seu BLog. Continuo achando o seu blog muito bom. E ja mandei a mensagem para o programa do Jo. Mas tinha que falar alguma coisa sobre essa exploracao. Que nao e so Ahyutaya.Mais uma vez Parabens pelo blog

    Curtir

  9. é, honestamente nunca tive vontade de andar em cima de elefante… me parece muito desconfortável é tem uma carinha que dá dó…
    mas valeu o toque 😉
    é muito interessante ler tanto sobre as experiências positivas quanto as negativas!

    Curtir

  10. Meu querido Claudiomar, quem vos fala é Rogério…caboco de de Belém do Pará, acompanho seu blog já faz um tempo pois estava planejando minha volta ao mundo…agora já estou 3 meses na estrada, 2 de Ásia…acabei de chegar de um passeio aqui em Chiang Mai, e tenho que comentar sobre os elefantes…acho que o teu passeio foi tipo num campo e em linha reta(eu vi esse elefantes numa praça em Ayuttaya), por isso foi sem graça. Não segui seus conselhos….fiz um trekking aqui nas redondezas, com passeio de elefante, FOI MUITO DOIDO !!!!, pois a gente subiu uma montanha e eu fui no lombo do bicho, do caralho ver as plantações de arroz lá do alto, e no pescoço dum elefante! Tenho que descordar de ti véi! Uma abraço.(também tô escrevendo um blog…dá um trabalho, né!!)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s