Roma

Cheguei à cidade eterna vindo direto da Eslovênia, como já havia falado. Meu host só poderia me buscar pelo final da tarde e, “infelizmente”, tudo o que me restou foi ficar passeando por Roma e todo a sua impressionante beleza arquitetônica. Cara, a primeira coisa que eu acho que tenho que chamar a atenção sobre Roma é que, cada vez que você vira uma esquina, cada vez que você cruza uma rua, você deve abrir seu guia novamente e ver o que aquilo representa. É uma estátua de 500 anos aqui, uma construção do tempo de Roma ali e muitas, MUITAS, fontes. Rapaz, ow lugarzinho pra ter fonte, viu? Aquilo é impressionante! Virou uma esquina, aparece uma fonte diferente…
Mas o que eu queria mesmo ver era o Vaticano! Corri direto da estação de trem para a Praça de São Pedro e já fui pra fila pra entrar na Basílica de São Pedro. Infelizmente não me foi permitido entrar porque eu estava de bermuda. Tive que me contentar apenas em bater algumas fotos do obelisco e dar uma voltas pelas imediações do Vaticano.
Tem como ser mais claro?
No outro dia, já com calças, em frente ao obelisco na Praça de São Pedro
Bati logo umas fotos da Guarda Suíça, a guarda pessoal do Papa, que chama a atenção por suas roupas, digamos, incomuns. Dizem por aí que foi o próprio Michelangelo que desenhou os seus uniformes, mas se isso é verdade, esse cara devia ter era um péssimo de um mal-gosto. Imagina você tentando impôr respeito num exército inimigo com uma farda dessas? Mais parece um bobo da corte! Como o próprio nome já diz, eles são suíços e, excetuando-se os oficiais, todos celibatários.

Visitei também as ruínas do fórum romano, o antigo centro comercial e coração do Império Romano. Como eu não estava com muito tempo sobrando e, logicamente, sem DINHEIRO sobrando, infelizmente não deu pra eu contratar um guia que pudesse me explicar tudo que existia por lá. Sem histórias e sem alguém que lhe explique alguma coisa, pilastras são apenas pedaços de pedras e ruínas, apenas ruínas… Ficou um sentimento de que eu havia deixado MUITA história trás, mas foi o que deu pra eu fazer devido a sérias restrições orçamentárias.
Imagens do Fórum Romano… Lugar bem frequentado, por sinal…
Depois de algum tempo passeando foi chegada a hora de enfim me encontrar com meu host. Marcamos de nos encontrar em frente à praça de São Pedro e ele foi me buscar.
Couch em Roma
Os caras que me hospedaram em Roma foram realmente bem legais. Eram todos americanos e estavam fazendo um intercâmbio de alguns meses na cidade. Os caras meio que tinham acabado de começar o Couchsurfing e ainda estavam tentando se adaptar as ferramentas. Resultado? Meio que se confundiram, acabaram se enrolando e saíram falando “sim” pra quase todo mundo que pediu couch pra eles. No final eu fiquei hospedado na casa com mais outras quatro pessoas, duas israelenses e um casal francês.
O casal francês em si já merece um aparte. Os caras tinham duas motinhas que eles haviam comprado no Vietnã. Aí você pergunta: “Como foi que eles levaram as motinhas pra Roma?”. Sim, foi exatamente do jeito que você está pensando. Eles vieram dirigindo as bichinhas de lá! Rapaz!! Do Vietnã a Roma eles foram por todo tipo de estrada que você imaginar. Depois de conhecer um cara que foi de bicicleta da Inglaterra à Malásia, um casal que tava indo de moto do Vietnã até a França, ficar na casa de uma menina em Praga que havia viajado da Inglaterra até a Índia de busão, acho que só me faltava conhecer alguém que estivesse fazendo um trajeto desses caminhando… Era só o que faltava..
Durante o dia cada um seguia o seu caminho, mas quando era noite todo mundo se encontrava na casa. Resultado? Festa!! Rapaz, toda noite era uma festa danada naquela casa. Ás vezes a gente cozinhava, às vezes a gente saía pra tomar uma cerveja, às vezes a gente tocava uma viola… Sei lá, sempre se achava uma coisa pra se fazer. Lembrou-me demais a nossa casa no Vietnã.
Além dessa trupe de malucos que fiquei, também pude reencontrar um antigo brother por lá. Ele era canadense e havíamos nos conhecido, na Eslovênia?, não! Reencontrei com um cara que havia conhecido quando ainda viajava por Macau!! Couchsurfing é uma coisa engraçada mesmo, né cara? Eu fiquei em um mesmo couch em Macau com um canadense e alguns meses depois nossos caminhos se cruzam e pudemos nos encontrar em Roma!! O nome dele era Brian e ficamos um dia inteiro caminhando por Roma. Mas isso fica pro próximo post, quando vou comentar sobre como foi a perambulada por Roma.

6 comentários em “Roma

  1. Nossa, andar de moto ess adistância toda??
    Isso que é pique…
    E pdoe ter certeza, a idéia de ir caminhando, já deve ter sido cogitada.Já já você encontra alguém huahua.

    E po Claudiomar, não me respondeu uma pergunta que fiz la nos posts do Líbano.
    Você sofreu algum tipo de discriminação ou agressão pro parte de nacionalistas/neo nazistas em algum momento da viagem??

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s