Cultura dos povos mexicanos

Apesar de haver vários povos indígenas quando Cortéz chegou no México, a cultura deles meio que se originou de um tronco comum, motivo que eu vou descrever só os pontos que eu achei mais interessantes, sem descrever se é maia, astecas, olmeca etc.
Versão mexicana do Touro de Wall Street

Acho que o principal ponto é e sempre vai ser o sacrifício humano. Por que eles faziam isso? Bem, eles acreditavam que estávamos em um quinto ciclo da vida que fora iniciado com um sacrifício dos deuses. Dos raios do quinto sol nasceram todos os minerais e serem vivos que temos na terra. Portanto, as armas, as pedras, os animais, os seres humanos, todos nós somos partes de deuses. Comemos da terra e a terra nos come, formando um clico de vida e morte. O sacrifício nada mais era que uma forma de honrar os deuses, devolver parte de sua energia como uma forma de humildade e retribuir o seu sacrifício. Acreditava-se que se o sacrifício fosse parado, o sol deixaria de se nascer e o quinto ciclo seria finalizado. Era algo tão importante que quem era sacrificado quando finalizado o jogo de futebol maia, era o capitão do time vencedor e não do time perdedor. 
Atribuía-se uma boa colheita ao sacrifício deste capitão que voltava a terra para fertilizá-la. Não entendi direito porque, mas eles só ofereciam o crânio, o coração e o fêmur como oferenda aos deuses, o resto do corpo era incinerado. 
“Cenote”, poço natural onde os restos mortais eram oferecidos como oferenda. Neste poço foram encontrados dezenas de crânios, pedaços de fêmur e crânios
Entre um dos motivos que eram realizadas guerras era para captura de prisioneiros para posterior sacrifício.
Outro ponto que achei interessante foi como eles acreditavam que ocorriam as chuvas. Tudo era gerenciado por um deus chamado Tlaloc, que morava em uma casa com quatro quartos. Em cada quarto, eles tinha um vaso guardando um determinado tipo de água: a água boa para fertilidade e colheitas, a água escassa das secas, a água abundante das enchentes e a água gélida das geadas. Ele comandava o movimento das nuvens e, segundo as suas instruções, assistentes derramavam a água escolhida em uma determinada região. O trovão era o barulho dos vasos se espatifando ao chão. Portanto, Tlaloc era um dos deuses que mais recebiam oferendas, pois eles queriam apenas que ele derramasse a água boa.
Outro ponto interessante era que, como todos nós éramos pequenas peças montadas de deuses, o uso de recursos da natureza deveriam ser utilizados com parcimônia, pois todos os animais possuíam equivalentes humanos. A nobreza, os sacerdotes, por exemplo, eram equivalentes dos jaguares e se transformavam neles quando estavam dormindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s