De Helsinque, Finlândia para Tallin, Estônia – É só pegar um ferry boat

Como já estava ali do lado, decidi pegar um ferry boat direto para Tallin na Estônia, outro país o qual eu nunca havia visitado. Além de ferries para Tallin, você também pode ir de barco para Suécia e até para São Petersburgo na Rússia, doido, né¿

Como a Finlândia é um país extremamente rico, tudo lá é EXTREMAMENTE caro, de forma que eu tava tentando fugir o mais rápido possível de lá. Tava até me saindo bem, até descobrir que a minha forma de fuga iria quase que me levar um rim embora! Mano, o ferry-boat mais barato para Tallin custava 35 EUROS!  Como eu acabei chegando no porto na hora do ferry mais disputado, acabei por pagar 55 EUROS, que com taxas ficava 61 EUROS! Bicho, quase uma passagem de Brasília pra São Luís de avião. Continuar lendo “De Helsinque, Finlândia para Tallin, Estônia – É só pegar um ferry boat”

Perambulando por Helsinki (Helsinque) – capital da Finlândia

igEu nunca tive curiosidade de viajar a Helsinque e quando cheguei à cidade eu descobri o porquê. Mano, a Finlândia tem vários passeios legais nas florestas, avistar ursos e coisas do tipo, mas Helsinque me pareceu uma cidade sem muitas atrações. Para você ter uma ideia, quando entra no Tripadvisor, a atração que aparece como a principal da cidade é “andar no super eficiente sistema de bonde de Helsinque”. Ok, realmente é eficiente, mas você não vai sair do Brasil para chegar em um lugar e ficar andando de bonde, né¿

Andei, andei, andei e tirando algumas construções esparsas e uma igreja construída dentro de uma pedra, não vi nada muito interessante para se ver em Helsinque.

IMG_5503
Igreja construída no meio de uma pedra. Fica quase que no centro de Helsinki

Um dos motivos foi que a cidade foi completamente destruída em um incêndio em 1812, portanto não restaram muitos prédios medievais. Continuar lendo “Perambulando por Helsinki (Helsinque) – capital da Finlândia”

Finlândia – o mais russo dos países da Europa Ocidental

Um amigo meu dos tempos de faculdade em Brasília iria se casar na Ucrânia e me convidou pro casamento dele. Como precisava comprar uma passagem que saísse de Brasília e me deixasse o mais longe possível (e, portanto o mais próximo possível da Ucrânia), optei por comprar uma passagem de Brasília para Helsinki com conexão em Lisboa.

Eu chegaria as seis da manhã de Lisboa e partiria onze e meia da noite do mesmo dia para Helsinki, de forma que aproveitei e ainda passei o dia em Lisboa.

20180601_180317
Na terra dos patrícios, ora pá!

Entrei no avião doido para dormir, mas a droga do avião tinha, algo que eu NUNCA tinha visto, assentos que não reclinavam! Sim, mano, um voo noturno com assentos que não reclinavam. Obrigado portugueses. Cheguei em Helsinki, peguei um busão e desci para meu albergue para tirar um cochilo o qual eu precisava desesperadamente.

Chegando ao albergue, uma surpresa, havia uma atendente que sabia falar português! Ela havia morado em São Paulo e me disse que aquele era o primeiro dia dela trabalhando lá, parecia que ela tinha sido contratada só para me atender.

E não é que a Finlândia é o país mais russo da União Europeia?

Todo mundo conhece a Finlândia pelo seu super eficiente sistema de ensino e qualidade de vida (em ambos a Finlândia sempre está entre os melhores do mundo), mas o que eu não sabia é que a Finlândia era um país subalterno até os idos da década de 50 do século XX, ou seja, 60 anos atrás.

Durante algum tempo, foi apenas um território subalterno do Império Sueco até ser tomada pelo gigante russo no século XIX. Entre idas e vindas, a Finlândia foi se alternando em períodos de maior ou menor autonomia do Império Russo, mas nunca conquistando sua independência de fato. Foi conseguir a sua independência apenas no começo do século XX e ainda assim sob uma forte influência dos russos

Durante a Segunda Guerra Mundial, como estava já de saco cheio da Rússia, se aliou a Alemanha ao cerco de quatro anos a São Petersburgo na Rússia. Porém, com a Alemanha perdendo a guerra, a batata assou pro lado dos finlandeses que tiveram que pagar pesadas indenizações aos russos e ceder 10% do seu território e cidades que mantinham 20% de sua produção industrial. Em 1950, era um país pobre, agrário e atrasado.

Porém, devido a fatores que eu não consegui entender porque, o país se desenvolveu e é um dos principais Estados de Bem Estar Social do mundo. Se alguém souber porque, por favor, deixa nos comentários porque até agora que não conseguiu entender.220180602_15004920180602_15013420180602_15033520180602_15052120180602_15054420180602_150718 (2)20180602_15083820180602_150905 (2)

20180602_151135
Uma das principais atrações turísticas de Helsinque no Tripadvisor é o seu “sistema de bondes urbanos”. Tá, é legal, mas, isso lá é atração turística? Mano, isso ocorre porque Helsinki não tem atração turística quase nenhuma

20180602_15130820180602_15141020180602_155603 (2)

20180602_160235
Essas barras de gelo ficavam derretendo no meio de uma praça de Helsinque. Era algum tipo de obra de arte, só não consegui entender o que queria dizer
20180602_175702
Proximidade da Finlândia com a Rússia. Em Helsinki há várias placas como essas espalhadas
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

PERAMBULANDO POR CABO HAITIANO (CAP-HAÏTIEN)

Depois de fazer o passeio pela Citadela, resolvi dar uma volta pela cidade de Cabo Haitiano a pé. A primeira coisa que me impressionou foi o TANTO de lixo que tem pela cidade e principalmente nas praias, o que era bem triste. Parei em um lugar para comer uma pizza (não sem antes conferir no tripadvisor.com se o local era confiável). De repente começou a parar um bando de carros, começou um furdunço, veio um bando de segurança, um bando de fotógrafo e foi aquela comoção no restaurante. Sério, eu pensei que era até o presidente do país que tava chegando.

Depois me disseram o nome do cara lá, era um cantor, até famoso nos Estados Unidos, mas que eu nunca ouvira falar. Jason Derulo. Enfim.

Comi minha pizza e saí pela cidade procurando alguma coisa que parecesse interessante para fotografar. Quando estava batendo foto de uma pilha de lixo no meio de uma praça da cidade, me para um carro do lado e me desce uma tia que começou a me ESCULACHAR! Siô, mas ela gritava comigo. E gritava. GRITAVA. Acho que ela tava meio brava de eu estar batendo foto de pilha de lixo, de forma que eu simplesmente botei a câmera no lixo e dei no pé. Depois de um tempo andando pela cidade, percebi que eu chamava bastante a atenção já que eu era virtualmente o único não-negro (tá, não sou branco, cara, mas também não sou negro) andando pelas ruas. Para piorar, tava meio que deserto, pois era um sábado a tarde. Quando comecei a pensar em voltar pro hotel vi que estava um tanto quanto perdido. Eis que DO NADA, como uma verdadeira cavalaria de um filme de faroeste, me para o carro do hotel do meu lado e o motorista me convida para entrar. Enfim, fui voltar pro hotel para me preparar pra voltar no outro dia.

616263

65
Esse era o ilustre desconhecido. Um tal de Jason Derulo. É filho de pais haitianos e já gravou até com Snoop Dog e Lady Gaga. Eu nunca tinha ouvido falar dele

6466

67
Essa foto foi o motivo do esculacho

6871

31
Comparem essa orla com a orla do Rio de Janeiro abaixo. Elas não são parecidas? Porém uma gera empregos e é um dos principais pontos turísticos do mundo, enquanto a do Haiti é um grande depósito de lixo a céu aberto. Muito triste

aterro flamengo

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

VIAJANDO A CABO HAITIANO (CAP-HAÏTIEN) – A CITADEL LAFERRIERE

Quando estava planejando minha viagem ao Haiti, imaginava que a única atração seria visitar o Haiti em si, porém, como sempre ocorre quando vou visitar países não tão conhecidos, fui surpreendido.

O Haiti foi uma daquelas gratas surpresas que a gente tem viajando para países no qual se houve muito pouco falar. Sim, é pobre como eu imaginava, mas não foi tão caótico ou perigoso quanto eu esperava (pelo menos a parte Norte). Ainda que eu só tivesse um fim de semana para dar uma escapada, descobri que seria possível conhecer a maior fortificação já construída nas Américas: A monumental Citadel Laferriere, com suas paredes de 40 metros de altura e possibilidade para abrigar um exército de até CINCO MIL soldados, por até um ano, em caso de cerco. Foi construída após a independência do Haiti para se proteger de uma invasão francesa que nunca ocorreu. A cidadela levou 15 anos para ser construída e hoje é patrimônio mundial da UNESCO. Continuar lendo “VIAJANDO A CABO HAITIANO (CAP-HAÏTIEN) – A CITADEL LAFERRIERE”

COMO CHEGAR AO HAITI E VISTO

Cara, se a República Dominicana é um dos países mais visitados do mundo, o Haiti é um dos menos. Isso faz com que quase não haja voos para lá. Acaba que ainda há alguns voos para Porto Príncipe, também pela Copa Airlines, porém achei eles um pouco caros. Na verdade, na verdade, acho que a melhor forma de se chegar ao Haiti é fazendo o caminho que eu fiz, pela República Dominicana. De lá há ônibus que saem para Porto Príncipe ou Cabo Haitiano. O busão para Cabo Haitiano é super tranquilo. Você vai a uma cidade na República Dominicana chamada Santiago e de lá o busão vai direto para Cabo Haitiano. Ele é direto, não para em nenhuma cidade no caminho. O único porém é que você tem que pagar as passagens de ida e de volta com dólares, eles não aceitam pesos dominicanos na rodoviária. Continuar lendo “COMO CHEGAR AO HAITI E VISTO”

VIAJANDO PARA PRIMEIRA REPÚBLICA NEGRA DO MUNDO – HAITI

Como já estava ali mesmo na Ilha Hispaniola e o Haiti era só ali do outro lado, decidi em um fim de semana pegar um busão para lá e conhecer ao menos uma cidade, Cabo Haitiano, uma das cidades mais ricas do país.

É um choque absurdo quando você cruza a fronteira da República Dominicana pro Haiti. Sério. A República Dominicana não é um país lá tão rico, mas é muito parecido com a gente. Alguns lugares pobres, outros ricos, alguns limpos, outros mais bagunçados, porém por onde você passa você nota uma certa presença do Estado.

Rapaz… quando você chega no Haiti. Parece que você entrou em outra dimensão! É aquele Deus nos acuda, aquele Salve-se quem puder e aquela sensação de total ausência de qualquer tipo de Estado ou organização social. O que é triste, já que a ilha Hispaniola é um lugar lindo e, conforme falei, a República Dominicana é um dos países mais visitados do mundo por isso.

O Haiti é famoso por ter sido o primeiro país das Américas a conquistar a independência, antes mesmos dos Estados Unidos da América. Porém, ocorre que a sua independência foi ao mesmo tempo a sua benção e a sua maldição, já que foi a principal responsável pelo estado de miséria que hoje está o país. Continuar lendo “VIAJANDO PARA PRIMEIRA REPÚBLICA NEGRA DO MUNDO – HAITI”

TRUJILLO E A REPÚBLICA DOMINICANA – REPÚBLICA DOMINICANA X A QUESTÃO HAITIANA

Existem essas coisas que são engraçadas e que você só descobre viajando. Enquanto todos os países da América Latina comemoram suas respectivas independências dos país, os Dominicanos comemoram a sua independência, veja você, do Haiti!

Sim, depois dos primeiros assentamentos pela República Dominicana, os espanhóis concentraram os seus esforços nas colônias mais lucrativas da América do Sul que rendiam rios de ouro e prata. Com isso, a Ilha Hispaniola virou quase que uma terra de ninguém. Isso abriu espaço para invasões de piratas de outras nações, notadamente a França. Eles chegaram devagarinho, assim, como quem não queria nada e foram levando, levando, levando, quando viram, metade da ilha já estava sob mãos francesas. O que viria ser hoje o Haiti chegou a ser uma das mais ricas colônias do mundo devido a produção de açúcar baseada em mão-de-obra escrava. Para se ter uma noção, quase metade da produção de açúcar DO MUNDO vinha apenas da parte francesa da Ilha Hispaniola. Continuar lendo “TRUJILLO E A REPÚBLICA DOMINICANA – REPÚBLICA DOMINICANA X A QUESTÃO HAITIANA”

SÓSUA – REPÚBLICA DOMINICANA

Como queria aprender espanhol, quis evitar o máximo contato com brasileiros. Por isso, escolhi uma cidade pequena da República Dominicana chamada Sosúa. Foi uma escolha acertada porque, não é que eu não tenha visto brasileiro pela cidade, eu SEQUER ouvi falar de alguém que já tenha visto um brasileiro por lá.

Por incrível que pareça, Sosúa foi praticamente fundada por imigrantes germânicos (alemães e austríacos) judeus que fugiam de uma Europa cada vez mais hostil aos judeus. Encontraram uma terra amigável onde se instalaram e se miscigenaram na sociedade dominicana. Com esse tanto de europeus para lá, Sosúa acabou por se tornar na década de 80 um local badalado para turistas, como é até hoje. Você caminha pelas ruas e vê muitos gringos e absolutamente muitos, mas MUITOS alemães, austríacos e suíços germânicos.

Os germânicos, e seus descendentes, são donos dos principais negócios de Sosúa e a maioria dos restaurantes turísticos possuem cardápios em espanhol, inglês E alemão. Interessante isso. Inclusive a escola onde eu estudei espanhol se chamava Casa Goethe (http://www.iic-spanish.com/).

Porém, há algo bem triste acerca de Sosúa. Com o grande afluxo de turistas para lá, foram também as prostitutas. Cara, mas não é que tenha uma aqui ou lá não. São muitas, MUITAS prostitutas pelas ruas, principalmente haitianas. Tantas que a noite você não consegue nem caminhar direito pelas calçadas pelo tanto que tem por lá. E é uma coisa triste, porque a maioria dos turistas que vão lá buscando prostitutas são gringos acima dos 60 anos. Então a cena comum a noite em Sosúa são aqueles velhos babões com duas, três meninas na mesa ou no colo deles. Tem tanto velhos em Sosúa que os bares chegam a organizar bingos para os velhos que não vão atrás de prostituição. Literalmente.

Acaba que a sair à noite em Sósua é praticamente impossível. As mulheres não saem com medo de serem confundidas com prostitutas e os caras não saem porque sabem que se sentarem em uma mesa e pedirem uma cerveja de dois em dois minutos uma prostituta vai lhe abordar oferecendo “massagem”. Todo mundo quando quer sair a noite por lá pega um carro público (que é mais ou menos um carro comum onde eles apinham seis passageiros um por cima dos outros) e vai a uma cidade do lado chamada de Cabarete.

Sem título
Meninas trabalhando a noite

MORANDO EM SÓSUA

Aluguei um Airbnb para me hospedar, porém depois consegui ter a sorte de alugar um apartamento em um condomínio MUITO legal e, obviamente, cheio de gringos acima de 60 anos. Eles alugavam lá para morar por temporada ou efetivamente compraram os apartamentos para passar as férias e fugir do frio europeu. E, cara, condomínio com várias pessoas idosas é o mesmo em todo mundo. Havia um outro condomínio do lado que estava sempre brigando com o condomínio onde eu aluguei o apartamento. Para você ter uma ideia, um dia eu pulei a cerca do outro condomínio para ter acesso a praia. Rapaz, para que? O velho ligou pro meu condomínio, ligou para o escritório da imobiliária, só faltou chamar a polícia. Enfim, eu só dava risada. Passava minhas tardes ou estudando espanhol ou simplesmente lendo até cair a noite. Vou sentir saudades daquele pôr-do-sol.

101112131415161720180314_132228

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
 
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
 
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
 
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

PASSEANDO POR SANTO DOMINGO. INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA DOMINICANA

Cheguei em Santo Domingo, capital da República Dominicana, a caminho de Sosúa. A primeira impressão que tive da cidade é mais ou menos como uma cidade qualquer latina, nem muito rica, nem muito pobre. Me hospedei em um Airbnb no centro e saí para visitar grande parte dos monumentos os quais já falei no post anterior.

Geralmente, a primeira coisa que sempre faço ao descer em um país novo é, já dentro do aeroporto, trocar 50 dólares em moeda local e comprar um chip de celular de uma operadora local para já ter internet, whatsapp e mapa para me locomover facilmente. Serve de dica para quem está viajando. NÃO IMPORTA o país, no aeroporto JÁ SAIA DE LÁ com um CHIP local de telefone e ALGUM dinheiro local trocado.

Não sei porque cargas d´água pensei que não seria uma boa ideia fazer isso em Santo Domingo. Pulei do aeroporto direto em um Uber e segui para o local onde iria ficar. Péssima ideia. Depois me deu um belo de um trabalho achar um local para trocar dinheiro e outro para comprar um chip de celular. Pensa isso na cidade onde você mora, se eu te perguntasse onde eu posso trocar dinheiro, você saberia responder? Ainda mais em um bairro específico? Pois é isso que acontece quando preciso trocar dinheiro em cidades grandes. Continuar lendo “PASSEANDO POR SANTO DOMINGO. INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA DOMINICANA”