Coreia do Sul

A Coréia situa-se próxima à China, Japão e Rússia. Como todo mundo deve saber, fica na chamada península coreana e foi dividida depois da Segunda Guerra Mundial, com um lado sobre influência comunista e o outro sobre influência capitalista (assim como o Vietnã e a Alemanha). Em 1950, cinco anos depois, o pau comeu feio na península, o que ocasionou a famosa Guerra da Coréia, que por muito, mas muito pouco, não levou a uma guerra total entre várias potências de peso como Rússia, Japão, China e EUA. Muita gente fala que quase levou a Terceira Guerra Mundial, não é brinquedo não.
A Coréia do Sul, país que visitei, tem uma população de mais ou menos 50 milhões de pessoas e um PIB respeitável (cara, o PIB deles é semelhante ao brasileiro, que possui uma população quatro vezes maior). Possui um índice de qualidade de vida altíssimo, sendo equivalente ao IDH da Alemanha.
Durante toda sua história, eles sofreram grande influência chinesa e japonesa. O alfabeto principal deles provém do alfabeto chinês, mas, assim como o Japão, eles inventaram um outro alfabeto, algo como um alfabeto auxiliar. Devido ao posicionamento estratégico da península, o pau sempre comeu feio por lá. Durante a história dos bichos eles sofreram sucessivas invasões de vários povos asiáticos diferentes, notadamente do Japão que parece que queimava a Coréia por esporte (é impressionante! Século sim, século não, tem uma grande invasão japonesa na história deles).
Outra coisa que aprendi e que achei bem interessante foi relacionada à bandeira deles. Antes eu achava que a bandeira deles era apenas um Yang Ying colorido no meio e um quadrado branco como pano de fundo. Mas cara, a parada é muito louca! Se liga na descrição da Wikipédia sobre o simbolismo do Yang Ying presente na bandeira:
“As divisões representam na parte superior (vermelho) o “Yang” e a inferior (azul) o “Ying” antigo símbolo do universo originário da China. Esses dois opostos expressam o dualismo do cosmo, a eterna dualidade: fogo e água; dia e noite; escuridão e luz; construção e destruição; macho e fêmea; ativo e passivo; calor e frio; mais e menos; o ser e o não-ser; a vida e a morte; etc. A presença da dualidade dentro do Absoluto indica o paradoxo da vida e a impossibilidade de aprendê-la integralmente”
Mermão, doido demais isso!! Enquanto tem país que representa ouro, floresta e céu, os caras colocaram “o dualismo do cosmo e a eterna dualidade” na bandeira nacional deles. Eu também nunca tinha reparado, mas aqueles quatro quadradinhos pretos em volta do [ não são iguais. Eles têm pequenas diferenças e cada um tem um significado diferente. Eles representam água, terra, fogo e céu. Você nunca ia pensar nisso, diga aí?

2 comentários em “Coreia do Sul

  1. Só uma pequena nota…As cores de nossa bandeira não tem esse intuito tão bonitinho assim nãoSe eu não me engano na ordem, o amarelo vem da casa real Austríaca, o verde da casal real Portuguesa, e a parte central serve apenas para abrigar o lema “Ordem e Progresso”, pertencente ao positivismo, corrente dominante no exército na época em que eles proclamaram a repúblicaSensacional, não é? ><

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s