Angkor Wat

De todos os templos de Angkor, com certeza, o Angkor Wat é o mais conhecido, preservado e limpo. Não sei se vocês lembram daquela eleição que fizeram pras sete maravilhas do mundo contemporâneo, aquela que elegemos o Cristo Redentor. Pois é, o Angkor Wat também participou e, numa injustiça tremenda, não foi eleito (isso em parte porque quase ninguém no Sudeste Asiático tem internet e não puderam votar).Como todos os templos do Angkor, não há 100% de certeza acerca de porque foi feito e quais são os significados implícitos no templo. Acredita-se que tenha sido construído como um templo funerário (gente, não sei se esse é o termo certo, tou traduzindo do inglês funerary temple) para o rei Suryavarman II (1112 – 52) em honra ao Deus Vishnu, Deus hindu que o imperador mais se identificava. Essa idéia de que o Angkor Wat primeiramente tenha sido construído para ser um templo, decorre do fato do templo ser voltado para o oeste (que simbolicamente é a direção que representa a morte para os hindus) e os afrescos nas paredes foram feitos para serem vistos em sentido anti-horário (que também significa morte). O fato também de estar voltado para oeste pode estar relacionado a que Vishnu sempre está associado ao oeste. Seguem as fotos: 

Alguém sabe para que lado fica o Angkor Wat? Macho que é macho anda com bicicleta de cestinha, amigo!
O templo é cercado por um fosso de água semelhante aos dos castelos medievais europeus, mas absurdamente maior com seus 190 metros de diâmetro, o que faz a área do templo ser um gigantesco retângulo de 1,3 km por 1,5 km. As pedras utilizadas para construir o templo foram trazidas de uma região a mais de 50 quilômetros do templo. Gente, imagina como os caras fizeram isso? Como se constrói um fosso de 190 METROS e se transporta pedras com algumas toneladas sem a utilização de guindastes ou veículos motorizados? É bom lembrar que tudo isso ocorreu há quase mil anos, quando a América ainda não tinha sido “descoberta” e a Europa vivia os anos obscuros do feudalismo.
Após passar a ponte do fosso, há uma “pequena” avenida de 475 metros e 9,5 metros de largura ligando o portão central ao templo central. Ao lado da avenida, ainda é possível ver as ruínas de duas livrarias.
Avenida central do templo
Livraria

5 comentários em “Angkor Wat

  1. Olá, Claudiomar. Parabéns pelo bloge cuide-se rapaz. Cuidado com a Diretiva de Retorno!!! rsrsrsCara, quem me deu a info sobre o seu périplo foi minha amiga amazonense Matilde. Ela está morando na Alemanha, mais precisamente, em Menden (Sauerland) fica proximo de Dortmund,no estado de NortRein Westfalia.Pois bem, entrei no seu blog, ou melhor no nosso blog, (rsrsrs) e comecei a ler seus relatos. Uma sugestão, se me permite, procure saber como as pessoas por onde você passa vêem o Brasil, os brasileiros e a Amazõnia.Concordo com muitas das suas opiniões sobre o sudeste asiático. Devia ser o roteiro de muitos brazucas. E o governo devia implementar uma política de aproximação e intercâmbio sistemática com os países da região. Um abraço, o meu melhor. Antonio Diniz

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s