Economia e sociedade na Índia

<!–[if !mso]> st1\:*{behavior:url(#ieooui) } <![endif]–> <!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-ansi-language:EN-US; mso-fareast-language:EN-US;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 70.85pt 70.85pt 70.85pt; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;}

–>

A Índia possui uma população estimada em um bilhão de pessoas. É o segundo país mais populoso do planeta e em 2035 espera-se tornar o mais populoso, ultrapassando a China. O seu produto interno bruto é similar ao do Brasil, mas com os índices de crescimento que possui, mais cedo ou mais tarde nos ultrapassará. A Índia também é um país rural com 75% de sua população vivendo no campo.
Apesar de possuir um PIB semelhante ao nosso, a Índia é um país muito, mas MUITO pobre, cara! Sério, São Luís não é uma cidade lá muito rica no Brasil, mas das cidades que passei na Índia, só Mumbai e as cidades do estado de Goa pareciam ter um índice de desenvolvimento humano semelhante ou melhor do que o de São Luís. Falo sério, mesmo, cara! Bicho, é impressionante como você tem cidades com 800.000 habitantes, um milhão de habitantes e não é possível ter acesso a serviços básicos como água corrente e eletricidade (quando tem eletricidade, apagões são diários!). Não importa o tamanho da cidade, se for acima de Mumbai, ela sempre vai parecer com um dos piores interiores do Maranhão.
<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-ansi-language:EN-US; mso-fareast-language:EN-US;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 70.85pt 70.85pt 70.85pt; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;}

–>

Varanasi, uma das maiores cidades da Índia. Caos total! Ao fundo vacas comendo no meio da rua!
A Índia possui 350 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha de miséria (sobrevivendo com menos de um dólar por dia), 75% desses infelizes em zonas rurais. A maior causa dessa pancada de pobres deve-se a baixa qualificação (o índice de alfabetização é de 75,3% para homens e de apenas 53,7% para mulheres) e também ao grande crescimento populacional que em muitas regiões supera o crescimento econômico (notadamente as regiões mais pobres possuem os maiores índices de crescimento populacional).
Como em todas as regiões pobres, a miséria leva ao desespero de sobrevivência. Estimativas dizem haver 10 milhões de prostitutas na Índia, sendo 20% delas, o que é mais triste, menores de idade. Apesar da exploração do trabalho infantil ser proibido e teoricamente combatido com rigor pelo estado, estimativas dizem haver por volta de 60 milhões de crianças trabalhando em condições degradantes, a maior taxa do planeta. A dura realidade é que as famílias simplesmente não têm como sustentar os seus filhos e os mandam para trabalhar para ver se eles conseguem sobreviver. Cara, a Índia é triste, brother!
Mas apesar de todos esses pesares, a Índia, assim como o Brasil é um país de contrastes. A Índia hoje é um gigante na produção de softwares. Isso se deve não ao fato de que eles sejam mais inteligentes que o resto do mundo, mas sim de que a sua mão-de-obra, apesar de qualificada, é muito barata. A cidade de Bangalore na Índia hoje é conhecida como o “Vale do Silício Indiano” tamanha a sua pujança. Conversando com um indiano de Bangalore, ele me falou que apenas na cidade de Bangalore eles tem 56 universidades diferentes só formando engenheiros (cara, uma coisa que eu admiro os indianos é isso. Eles não perdem tempo criando esses cursinhos “véi besta” como história, literatura ou relações internacionais em suas universidades. Eles gastam cartucho com cursos que realmente interessam e fazem rodar a economia como engenharias, administração etc.).
<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-ansi-language:EN-US; mso-fareast-language:EN-US;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 70.85pt 70.85pt 70.85pt; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;}

–>

Verdade seja dita! Mumbai, a “São Paulo Indiana”, parece uma cidade européia.
Só pra vocês terem uma idéia de como a mão-de-obra deles é barata, empresas de telemarketing estão fechando as suas filiais em território estadunidense para poder abrir filiais na Índia. Funciona assim, o cara nos Estados Unidos compra um laptop e acha que veio estragado, ele vê na parte detrás da caixa o telefone do atendimento ao consumidor e resolve ligar pra poder ver o que fazer. Disca o 0800 e, surpresa, atende um cara com o sotaque indiano! Sim, indianos trabalhando na Índia atendem pelo telefone consumidores estadunidenses! Enquanto um atendente de telemarketing ganha por volta de 15 dólares por hora na Califórnia, na Índia ele vai receber entre 250 e 300 dólares POR MÊS, talvez menos da metade do que um brasileiro e com a vantagem de que vários indianos têm inglês como língua nativa. O custo de ser uma ligação internacional ao invés de local (como seria caso eles estivessem nos Estados Unidos) compensa e muito para a empresa! Bom para os empresários, bom para os empregados! “Toda essa grana” que eles pagam aos operadores de telemarketing é mais do que a média de uma empresa indiana! A parada é tão maluca que eles recebem até aulas de como imitar sotaques ocidentais e adotam nomes como David ou Mike pra poder diminuir a diferença cultural. Doido demais, cara!
Outro ponto que me deixou fascinado em relação a esse abismo entre o preço da mão-de-obra do resto do mundo e a indiana refere-se ao novo tipo de turismo hoje em crescimento na Índia. É o “turismo médico”. Sim, isso mesmo, turismo médico, cara! O cara, estadunidense, tem que fazer um processo cirúrgico. A cirurgia nos Estados Unidos custa de 150.000 a 200.000 dólares. Na Índia, com um médico de igual qualificação, muitas vezes formado em universidades americanas, 10.000 dólares. O que fazer? O cidadão junta seus apetrechos e vai de mala e cuia pra Índia. Realiza a operação, fica um mês no país se recuperando, depois mais um mês viajando, volta pros Estados Unidos e gasta metade da grana que ia gastar só pra ser cortado nos EUA. Compensa? Cara, só pra vocês terem uma idéia de como isso já tá disseminado na Índia, no cartão de imigração que eles te dão pra preencher vem escrito: Motivo da viagem à Índia a) Turismo b) Negócios c)Trabalho Humanitário d)Tratamento médico e etc. Esse tipo de “turismo” injeta hoje 350 milhões de dólares por ano na economia indiana!
Por último, algo que eu achei interessante. Apesar de a Índia ser a maior democracia do mundo, lá o homossexualismo é proibido por lei! Dá pra acreditar nisso? Eu fiquei impressionado, cara! Em alguns países islâmicos mais radicais a gente até entende, mas numa democracia como a Índia? A seção 377 da legislação nacional proíbe toda e qualquer relação “carnal que seja contra a natureza”, o que na prática proíbe o homossexualismo! Quem praticar sexo anal na Índia pode pegar até DEZ ANOS DE PRISÃO mais MULTA! Mermão, a parada é complicada, cara! Apesar de ser um lei da era colonial de antes de 1861 e hoje raramente utilizada, ela ainda não é uma lei revogada e, portanto, homossexuais sofrem problemas de extorsão, chantagem e o que mais você imaginar para não ser denunciados! Até rola de acontecer paradas gays na Índia, mas vai todo mundo mascarado! Se essa moda pega em Relações Internacionais na UnB… Ia todo mundo assistir aula de máscara (menos os maranhenses, né brother? Porque eu e meu irmão “samo” macho! Nós “samo” macho até debaixo de outro macho!)…

9 comentários em “Economia e sociedade na Índia

  1. Maranhese seu blog e muito show…To lendo ele a uma semana e não consigo parar de ler…Alem de ter varios hitorias loucas, estou aprendendo muito coisa que nem procurava saber…Parabens pelo Blog…

    Curtir

  2. oi Sou viciada no seu blog, caramba…é blog-cultura mesmo! coisa assim, que tú sentiu na pele e não dá para botar tudo no blog, e fala um pouco da comida, vc. teve que comer com as mãos?abraços!da Japa

    Curtir

  3. “Eles não perdem tempo criando esses cursinhos “véi besta” como história, literatura ou relações internacionais em suas universidades.” Ok, você acabou de me decepcionar. tsc tsc tsc…

    Curtir

  4. Finalmente alcancei! Tô lendo o blog desde o começo, mas só leio no horário de estágio hahahahaha Pq a noite vou para a facul (Direito). Morro de rir lendo e na minha opinião a história do “chinês e o facão” é a mais engraçada/bizarra. No mapa da agenda do meu trabalho tenho assinalado os países que vc já passou!! Hahahaha eu sou muito ocupada aqui sabe!!!!Bjãooooo Gabi-Sorocaba/SP

    Curtir

  5. eu tb fiz um mochilao pela India, eu em 22 dias de viagem eu devo ter gastado 250 dólares…. teve dia q eu peguei trem e paguei 2 dólares uma viagem de 100km, fui na cachorreira com a galera do mal… acho q os caras nunca tinham visto um louco q nao fosse indiano naquele vagão (o da classe mais fajuta). p terem uma ideia antes mesmo do trem parar a galera ja se amontoa na frente da porta e vao se jogando p dentro….. eh nego carregando saco de arroz nas costas, mulher carregands as cria no braço… meu irmao, outro mundo.. ja q to aki vo faze a propganda tb… http://rafaeldpp.blog.terra.com.br nao eh o Mundo numa mochila mas um dia chegamo la….. (mas n de trem indiano) digo outra coisa, se o Brasil tivesse trem q nem os bixo tem, a gente ia conhece o país mto melhor.. apesar de tu ta falando que a Europa deixo a desejar boto fe q o cara vai achando q eh a disneylandia, 1º mundo..q porra, o lance eh se enfia no camboja memo, passa perrengue na Indonésia.. viagensinha 5 estrelas p europa soh se eu ganhasse na promoção.

    Curtir

  6. Oi, Amor!Adorei o post sobre a Índia, conheci um indiano e e ótimo conhecer sobre a cultura de alguém que vc conhece.II – Letras, principalmente, literatura dá dinheiro, sim e são estes profissionais que, se bem qualificados, fazem a diferença de uma nação. Acho que o ápice da discussão também não deve ser a quantidade de dinheiro que você pode “fabricar” com seu dineiro e sim a diferença que você ao seu país, lê-se aqui, povo. Não achei essa crítica legal.III – Um operador de telemarketing ganha em média R$ 506, sem descontos. Todavia, possui algumas regalias como plano de saúde e odontol´goco. Ah! Hoje opta-se por atendetes que estejam cursando nível superior!Te Amo!!

    Curtir

  7. Olá Claudiomar,Não fostes muito feliz na sua escrita “Eles não perdem tempo criando esses cursinhos “véi besta” como história, literatura ou relações internacionais em suas universidades.” – Acho q vc não se expressou muito bem… vc não pode comparar o Brasil ( país do futebool ) com um país aonde o esporte nacional são jogos matemáticos; sabemos q os indianos sempre estão no topo nas competições internacionais de matemática… por isso eles estão canalizando o que já é praticamente nato pra ele, ou seja,cada dia mais investindo na fabricação de softwares.Continuo gostando do seu blog e até mais …Ethianne Lucena

    Curtir

  8. a Índia parece ser extremamente fascinante (apesar da minha antiga professora de história do 3º ano já ter ido lá e ter odiado), já estudei um pouco sobre a Índia e Gandhi óh! =]e aqui em São Luís-MA, no colégio! ^^bem interessante essa também do turismo médico!Mas e aí, vamos ter mais posts sobre a Índia?;*

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s