Problemas culturais em Praga – Nosso amigo lambedor de selos

Obs: Pra não deixar o post só com texto corrido e assim ficar maçante, ilustrei o post com algumas fotos tiradas de Praga sem relação com o narrado.
Ao chegarmos em casa, nos deparamos com o nosso outro amigo couchsurfer que já se encontrava dormindo.
Bem, amigo couchsurfer é uma maneira de falar, afinal o cara foi, sem sombra de dúvidas, uma das pessoas que mais me marcou em toda minha viagem de volta ao mundo, depois, claro, do turco de bangkok (pra quem ainda não leu a história do Ping-Pong tailandês e o turco favor clicar aqui, aqui e, por último, aqui. Uma das melhores histórias da viagem, sem noção). Me marcou por que era gente boa? Não, mermão! Simplesmente porque o cara foi um dos couchsurfers mais, com o perdão da palavra, ESCROTOS que eu pude conhecer em toda minha vida. Cara, couchsurfers em si são pessoas bem cosmopolitas, gente boa, abertas, extrovertidas. Pessoas que você se sente bem convivendo junto. Até porque pra você aceitar hospedar ou ser hospedado por estranhos você tem que ser uma pessoa, no mínimo, mente aberta.

Couchsurfers em Praga

 

Foi por essas e outras que esse cara realmente me impressionou. Quando nos conhecemos o cara já não quis nem muito papo pro nosso lado. Falou que era da Itália, falou “oi” pra mim e pros outros couchsurfers da casa e foi pro mundinho particular dele sem falar com ninguém. Por mim, de boa, achei que o cara era autista e não ia ser por causa disso que eu iria me desentender com ele.

Fui conhecê-lo de verdade quando eu e Gosia chegamos de noite depois de uma balada. Imaginem a cena de volta de balada: Você chega conversando com a pessoa ao seu lado comentando tudo que aconteceu na noite. Comigo e Gosia não foi diferente, com o agravante que eu não costumo ser um cara lá muito silencioso. Entrei tagarelando na sala. O cara tava dormindo no sofá e na mesma hora já deu um pulo e começou a fazer “Shhiii, Shiiii” pra gente. Beleza, como tava errado resolvi falar mais baixo e comecei a conversar quase que sussurrando com a Gosia. Rapaz, pra que? O cara invocou!! Pra cada palavra que saía sussurrada da minha boca, o cara mandava um “Shhii” na minha cara. Eu já tava puto com ele devido ao fato do “senhor Shii” não ter cedido o sofá para a Gosia dormir e ter deixado a mina dormir em cima do carpete (pô, cara. Ela era uma mina. Custava nada o cara ser cavalheiro e deixar ela dormir no sofá). Mas enfim, já tinha percebido que ele era sacana e caras sacanas a gente responde com sacanagem. Não, gente, não tou falando do tipo de sacanagem que vocês estão pensando! Eu não ARRANQUEI a roupa da mina no meio da sala ou tirei o meu calção e pulei pra cima do pobre rapaz que dormia de bruços, indefeso a qualquer ataque homosexual de minha parte. A sacanagem que eu fiz foi continuar conversando com a Gosia, deve vez em um tom mais alto só pra irritá-lo cada vez mais. Pode parecer pouco, mas o cara ficou TRANSTORNADO fazendo “SHHII” sem parar!! Parecia até um pneu furado!! Fiquei até com medo de tanto ele botar ar pra fora, acabar morrendo sufocado. Enfim, o coitado só foi dormir depois que eu tive a minha vontade sádica aliviada e enfim parei de encher o saco dele. Mas digo que foi divertido, viu??

No outro dia, não dormimos em casa, dormimos na casa do Yan, mas ao chegarmos nos foi dito que as duas francesas que estavam ocupando a cama de casal iriam embora. Na hora eu pensei: – “Pô, legal, vai vagar uma cama de casal. Vai fechar certinho. Dorme eu e a Gosia na cama de casal e o italiano mala continua dormindo no sofá cama”. Na verdade o que eu pensei foi o que toda pessoa normal pensaria, não? Pois é! Você já sabe a resposta!! Na noite que chegamos em casa depois da nossa última balada, quem a gente encontra dormindo na cama de casal, estirado que nem um calango atropelado:

A) A Xuxa
B) A Chun-Li
C) O italiano.

Acho que vocês acertaram a resposta. Ah, cumpade. Nessa hora eu perdi a cabeça. Pensei em montar de pancada no cara pra ver ele se ajeitava, mas tive uma ideia melhor. Separei um calção ridiculamente pequeno, que mais parece uma cueca samba-canção, entrei no quarto vestindo só aquilo (imagina a cena sexy), e cutuquei ele:

– Ow, ow, afasta aí cara
– Slergherhaham (ele rosnou ainda dormindo)
– OW MEU, DÁ ESPAÇO
– Ãhn? O que? (Ele foi acordando)
– AAAAHHHHH!! QUE DIABO É ISSO (ele falou assim que acordou e viu meu corpinho sexy quase que só de cueca. Acho que no mínimo ele pensou… Bem, você sabe…)
– Uai, cê não deitou na cama de casal? Cê tá achando que vai dormir sozinho? Vamo, dá espaço aí que eu vou dormir com você
– Não, não!! Sai daqui!! Eu vou dormir sozinho.
– Ah, mas é folgado mesmo!! Ah, vai não, brother!! Pode dar espaço aí que eu não vou dormir no chão não! Essa cama tem lugar pra dois!!
– Não, não!! Sai daqui!!
– Mermão, eu não tou pedindo, eu tou FALANDO que eu vou dormir aí – e já pulei na cama.

Ele ainda que tentou ficar pegando mais do que a metade da cama pra ele, mas foi suficiente só umas três encoxadas minhas pra ele ir chegando pro lado. Como eu vi que não ia ser tão fácil tirar ele da cama, fingi que comecei a dormir e comecei a fingir que roncava MUITO alto!! Depois de uns dez minutos se chacoalhando de raiva mais que Lada numa pirraça, o italiano enfim deu o braço a torcer e foi dormir na sala. Gosia, claro, fingiu esse tempo todinho que tava tomando banho e quando ele pulou fora da cama, esperei uns dez minutos, coloquei minha roupa de volta e fui avisar a Gosia que tinha conseguido arrancar o mala da cama. Yes! Conseguimos mais um dia dormir em uma cama de casal. Algo que numa viagem como essa não era nada fácil, já que na noite passada eu já havia até dormido em cima da toalha no melhor estilo “couch no Vietnã”.

O Parlamento Tcheco. Reparem nas suas mais do que famosas esculturas

 

No outro dia, conversando com a host eu comecei até foi a criar pena do cara. Meio que comecei a entender como alguém podia ser tão casca-grossa como ele.

O que é brutalidade para você?

 

Gosia, eu e a grande maioria dos couchsurfers buscam em suas viagens fazer novas amizades, conhecer lugares novos, farrear e coisas assim. O que toda pessoa normal busca, correto? Pois é! O nosso amigo não! No começo achei que ele tinha ido a Praga como todo mundo pra poder comparecer ao encontro do Couchsurfing. Ledo engano. Cara, pra que o figura tava viajando? Álcool? Sexo? Arquitetura Gótica? Não, nenhuma das anteriores! O figura estava em Praga pra… COMPRAR SELOS!! Isso, comprar selos!! Há algo mais interessante a fazer em Praga do que comprar selos? Mulheres, bebida, festas? Bah, isso é coisa pra frutinhas!! Macho que é macho compra selo, rapaz!!

Não se esqueça de sempre levar as crianças à Praga

 

Depois que a minha host me contou isso, eu até comecei a entendê-lo! Enquanto nós, seres humanos normais, ao viajar utilizamos nossa língua pra degustar uma cerveja ou pra conversar (Pra não dizer o mínimo. Sim, pense até onde a sua mente poluída pode te levar e você saberá em que sentido eu quis dizer “usar a língua”), o cidadão utiliza a língua para… Lamber selos… Depois dessa qualquer um perdoaria um figura desses, não é não?

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.

Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!

Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog

10 comentários em “Problemas culturais em Praga – Nosso amigo lambedor de selos

  1. “Ele ainda que tentou ficar pegando mais do que a metade da cama pra ele, mas foi suficiente só umas três encoxadas minhas pra ele ir chegando pro lado.”

    Saudades do canguru australiano, fala aí!

    Curtir

  2. “mas foi suficiente só umas três encoxadas minhas pra ele ir chegando pro lado”

    Ma oe!

    uasudhuahshduashudhuashdhuahsudhahsdhas

    Curtir

  3. Boa Claudiomar!!
    Estava fazendo falta posts com estorias engracadas!!

    Eai… vai ter post com tanto detalhes da sua “dormida” com a Gosia quanto o seu aconchego com o italiano lambedor??? hehehe

    Abracao!!

    Eai como foi o concurso? Sei que o blog eh pra contar suas aventuras mundo a fora, mas creio que a galera ficaria feliz em saber como seus planos estao indo!!

    Curtir

  4. Hahaha, pô maranhense, conhece tanta gente e não percebe que tu encontrou o Sheldon do BigBang Theory?

    Sem dúvida era algum nerd chato que não gosta de “clubbers drogados” e está usando sofás alheios para economizar.

    Bom, diversidade é diversidade.

    Curtir

  5. Claudio

    Vc acha que poderia continuar indefinidamente com a sua viagem? Digo assim, nao acredito que antes de ir a uma viagem dessa vc possa ter uma noção exata de quanto vai gastar.

    Eu sei que vc pensou nisso, pensou em nao voltar!! Vc acha que era possivel, realizavel?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s