E onde vamos ficar em Munique?

Após várias risadas durante o caminho, enfim conseguimos chegar à Munique. O nosso amigo romeno, que era o dono do carro, estacionou em um subúrbio a mais ou menos uns 30 minutos de Munique e falou que iria ficar por lá. Gosia, eu e o alemão Negão, que se chamava Robin, tivemos que pegar um trem em direção ao centro, onde ficava localizado o flat do Robin. 
Pegamos o trem e, no caminho, eu e Gosia nos lembramos de algo: Er… onde iríamos dormir? Dentro do trem que nós fomos nos tocar que nos havia sido oferecido uma CARONA pra Munique e não UM COUCH pra poder ficar por lá. Ups, “Houston, we have a problem”. De boa, cara, era simples, o Robin era um couchsurfer, ele deveria estar pensando, instintivamente, que iria nos hospedar, bastava nós confirmarmos que ficaríamos no apê dele que tudo ficaria certo.
Quando estávamos pra descer do trem, fomos lá pra confirmar com Robin se ele iria nos hospedar (pô, doido, em momento ALGUM, O DIA INTEIRO, ele havia nos perguntado onde iríamos passar a noite). Qual a resposta? Ele na maior tranquilidade respondeu: “- Uai, vocês não procuraram um couch pra vocês ficarem aqui não?”.
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
DUUHHH!!
Jesus!!
– Não, Robin, a gente jurava que tu ias hospedar a gente!
– Pô, brother, no meu apê não dá pra ficar não! É uma quitinete minúscula e já tem um cara ficando por lá!!!
– Uai, mas o que a gente pode fazer agora?
– Ah, cara, sossegado! Lá em casa tem um pc com internet!! É só vocês conectarem na internet e ficarem pedindo couch pelo Couchsurfing.org que num instante vocês conseguem um lugar pra ficar.
Falando assim até parece simples, né? O problema é que o Couchsurfing.org é um site parecido com o Orkut. Você faz seu perfil e uma ou, no máximo, duas vezes por dia, vai checar se tem mensagem pra você pra assim responder os pedidos de couch. Só pra vocês terem uma ideia, eu quando viajava, começava a pedir couch com um antecedência de pelo menos uns cinco dias!! E só depois de uns dois ou três dias de “manda e-mail pra cá, recebe e-mail daqui, responde dali” que eu conseguia um lugar pra ficar! Quantas horas nós teríamos de antecedência pra pedir um couch?? Mermão, acho que umas duas no máximo! Já era umas seis da noite e do lado de fora tava um frio de lascar!! Albergue? No way, uma cama de albergue, da mais barata, custava 20 euros!! CADA UM!!! Depois da multa, agora não ter onde dormir. Essa carona REALMENTE estava nos saindo muito cara!

Outono em Munique

Beleza, ficar chorando é que não ia resolver nada. Chegamos ao apê do Robin, que realmente não tinha espaço pra colocar um colchão nem no banheiro, e começamos a mandar pedidos desesperadamente pro máximo de pessoas que podíamos!! Postamos na comunidade de Munique pedindo ajuda pra qualquer pessoa que fosse pra poder nos hospedar pelo menos por uma noite. Por meio de uma ferramenta do site, que você pode selecionar apenas os perfis que estão online (ou seja, as pessoas que naquele EXATO momento estão checando suas caixas de mensagens do Couchsurfing), nós começamos a mandar e-mails. E foram essas mesmas que nós começamos a, desesperadamente, mandar pedidos a torto e direito.
Nessas horas que eu penso que o Couchsurfing é um site abençoado, viu brother? Caraca, velho, mas não deu nem 15 minutos chegou uma mensagem no telefone da Gosia!! Um cara mandou uma mensagem pra gente dizendo que era pra nós irmos encontrá-lo numa estação de metrô particular, que em uma hora ele estaria lá nos esperando! Sério, fiquei impressionado!! Pô, nem albergue você consegue achar tão rápido numa cidade!! Fiquei impressionado como alguém pôde nos responder tão rápido!!!
Agradecemos ao Robin pela carona, pela internet e fomos pra estação de metrô pra poder nos encontrar com o figura. Vocês nem fazem noção da presepada que o cara era…
Qualé, mermão? Vai encarar?

11 comentários em “E onde vamos ficar em Munique?

  1. PERGUNTA PARA COMENTARIOS COMENTADOS:
    Claudiomar… ja faz algum tempo que voce terminou a sua viagem e com certeza nao tem como voce lembrar de todos os detalhes/presepadas que acontecaram. Como voce fez para “guardar” todas essas estorias? Voce tinha um journal? gravava os acontecimentos num tape recorder?
    Abracao!!

    Curtir

  2. Realmente, casa costume ser importante.

    E aposto que dessa vez você não tentou dar uma de malandrops e foi para a tal estalçao particular de metro sem pagar o ticket. Nada como a dor no bolso para ensinar-nos algo. ^_^

    Abraços

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s