Istambul

Se fosse possível definir Istambul com apenas uma palavra, a mais próxima que eu conseguiria achar seria “fantástica”. Uma cidade tão curiosa que é a única capital de um país que se situa em dois continentes diferentes ao mesmo tempo!!
Poucas cidades no mundo foram tão disputadas por tantos povos diferentes e trocaram de mãos como Istambul. Istambul era Bizâncio quando foi tomada por Roma. Depois mudou seu nome para Constantinopla e por muito tempo foi capital do Império Romano do Oriente e do Império Bizantino. Se a queda de Roma, em 476, é considerada como um marco de divisão entre a Idade Antiga e a Idade Média, a tomada de Constantinopla, em 1453, pelos turco-otomanos marca a divisão da Idade Média para a Idade Moderna.
Estreito de Bósforo
Toda essa importância deve-se a sua posição estratégica importante. Istambul fica situada no Estreito de Bósforo, que separa geograficamente a Europa da Ásia. Possuir o domínio sobre o Estreito é praticamente possuir a Europa a seus pés. Se você parar para pensar, todos esses impérios citados, assim que assumiram controle sobre Bósforo, “pegaram um naco” considerável da Europa para si. Como pode ser visto abaixo os Impérios Romano, Bizantino e Turco Otomano nos seus auges.
Império Romano

Império Bizantino e Império Romano do Ocidente

Império Turco Otomano

Possuir o Estreito de Bósforo sobre o seu domínio também significava controlar uma importante rota comercial. O Estreito é porta de entrada para o Mar Negro, que se estende sobre diversos países tais como Ucrânia, Rússia, Bulgária, Romênia, Geórgia… Importante lembrar que um dos motivos que levaram os portugueses a contornar a África em direção à Índia foi a tomada de Constatinopla, já que os turcos elevaram absurdamente o preço das especiarias.
A tomada de Constantinopla foi uma das batalhas mais épicas de toda a humanidade. Constatinopla era uma barreira tão inexpugnável que apesar do Império Bizantino não ter a muito tempo a força que possuía durante a queda de Roma, centenas de anos se passaram até que a cidade fosse tomada. Árabes, mongóis, hunos, russos, ávaros, diversos povos que aterrorizaram a Europa, destruíram os seus impérios e levaram ao completo desespero dos Europeus (os forçando à construção de milhares de castelos para se proteger) não conseguiram tomar Constantinopla. Os árabes inclusive conseguiram tomar Jerusalém. Isso se deve principalmente a suas gigantescas muralhas, a praticamente a impossibilidade de sitiar a cidade (já que ela era cercada por mares) e também a uma substância química que só os bizantinos tinham conhecimento que simplesmente esfacelava os barcos inimigos em batalha (que curiosamente era chamada de “fogo grego” e até hoje divide os especialistas sobre o material utilizado), a correntes que era utilizadas entre um lado e outro do estreito e que, quando levantadas, rachavam os barcos inimigos ao meio e colocavam todo mundo pra nadar.
Ilustração de como era Constantinopla em 1453. Preste atenção nas correntes. Abaixo, as diversas muralhas que cercavam Constantinopla. Detalhe que “Wall” em português significa “muralha

Os turcos também sofreram pra poder conseguir tomar a cidade. Pra falar a verdade, os bizantinos há algum tempo já vinham perdendo territórios para os turcos na região que hoje é a atual Turquia. Só que, tomar Constantinopla não seria tão fácil quanto. Com uma tecnologia muito superior, os turcos possuíam a “Grã Bombarda” um canhão gigantesco de bronze com oito metros de comprimento e 7 toneladas. Eram necessários mais de 60 bois e 200 homens pra poder carregar o monstro. Durante o dia, Constatinopla era incansavelmente bombardeada pelas catapultas e canhões dos turcos. Durante a noite, a cidade inteira tentava desesperadamente reconstruir as suas muralhas com sacos de areia e pedras.

O fim todo mundo já conhece e eu até já adiantei. Apesar da heroica resistência dos bizantinos, os turcos enfim conseguiram adentrar os muros da cidade e trucidaram quem eles conseguiram encontrar, script comum em todas as conquistas de cidades sitiadas durante a história.
Enfim, eu poderia ficar durante horas, dias, anos contando as histórias de Istambul. Assim como Roma, cada esquina, cada rua, cada prédio, cada mesquita pode carregar consigo anos de batalhas, glórias, sofrimentos e história! Com certeza uma das minhas cidades preferidas…

8 comentários em “Istambul

  1. Coimentário mega-ultra-rápido!

    Curti o post pra cacete Maranhão! Eu nem sabia o quão importante fora Constantinopla para o desenvolvimento Ocidental, e mundial, de maneira geral (malsz aí a cacofonia).

    E espero ancioso pelo fim da saga na índia, que o Senhor bem se lembra que ficara incompleta.

    Abraços

    Curtir

  2. Pôr já estou sentindo saudade da polaquinha… será que vai rola uma turquinha.
    Então maranhão, não esquece de falar dela, afinal isso também é cultura.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s