Varadero

Varadero é mais conhecida como a gringolândia cubana. É basicamente uma praia com hotel para tudo que é lado, a grande maioria all inclusive, e com um bando de gringo indo a desforra. Na verdade, eu inicialmente não estava planejando viajar para lá, pois isso não é muito minha praia. Acabei mudando um pouco de ideia quando comecei a ver os pontos de mergulho que haviam por lá e que efetivamente me fizeram mudar de ideia. O problema é que tudo por lá era muito caro.
Resolvi seguir de qualquer forma já que não tinha muitas escolhas a fazer e Varadero estava no caminho de volta para Havana. Falei com o pessoal da Casa Particular em Santa Clara que estava indo para Varadero e eles me indicaram uma casa particular por lá.
Só que desde o começo eu já não gostei muito da ideia. Primeiro que ninguém ia me buscar na rodoviária e o que mais gostava de Casas Particulares é a situação de não ter que me preocupar de barganhar com taxista (que eu ODEIO!). Além disso, eles ainda iam me cobrar 25 CUCs, de longe a Casa Particular mais cara de todas! Não fui gostando muito da ideia, mas fui levando, afinal, não queria gastar muita grana.
Em Cuba é assim. Se o motorista quer fumar um cigarrinho, ele para o busão e desce. Os passageiros que esperem… Quem achar ruim que pegue o volante e siga em frente
Momento Silvio Santos com o jogo “Qual é a música” rolando no resort
 
No caminho, pedi para o motorista do busão me largar próximo ao endereço. Desci do ônibus e aconteceu uma das coisas que eu mais gosto em viagens. Quando você desce do ônibus, olha para um lado, olha para o outro e não vê NADA! Sim, ele me largou no meio do nada. Lembrou-me meu primeiro dia em Santa Bárbara. Bola para frente. Desci e fui na Casa Particular, era até legalzinha, mas, pombas, 25 CUCs é muita grana. SEM CAFÉ DA MANHÃ! Segui para um hotel all inclusive que eu sabia que havia por perto e descobri que lá o preço era de 49 CUCs, só que com todas as refeições e bebidas, inclusive eles serviam em um bar na praia. Ah, amigo, era 50 reais de diferença. O hotel não era nenhuma maravilha, paredes descascadas e talz, mas pelo menos o quarto estava limpo e o banheiro, o mais importante, também. Negócio fechado.
Pros fluentes em russo, é só escolher o passeio que mais lhe agrada…

Mas o mais interessante mesmo do hotel era que ele era CHEIO de russos. Mas eram russos para tudo que era lado. Era tanto russo que os avisos do hotel eram em espanhol e russo, nem em inglês tavam escrito. Bem, eu só achei graça, mas realmente fiquei impressionado com essa particularidade. Confesso que no começo até dava um medo de um deles sair com uma Kalashinikov e sair metendo bala em todo mundo.
 O problema foi que acabei ficando forever alone já que ninguém desses malditos falavam inglês ou espanhol. Além de russos, também tinham franceses, que são lendários em sua habilidade de não saber falar inglês. Na primeira noite eu enchi a cara de coca cola, já que no outro dia iria mergulhar e, bem, como já expliquei algumas vezes, mergulho é um esporte de risco e portanto não se deve consumir bebidas alcoólicas um dia antes de ir a 30 metros de profundidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s