Viajando pela Bolívia – e os perrengues?

Conforme já expliquei anteriormente, sair do Chile e entrar na Bolívia é como sair do céu para o inferno. A Bolívia é o país mais pobre e atrasado da América do Sul e isso se reflete na infraestrutura do país que é extremamente precária. Raríssimos lugares aceitam cartões de crédito e a internet que era fornecida em hotéis e albergues era geralmente de baixa qualidade (só funcionava durante a madrugada. Isso mesmo que você fosse só mandar e receber mensagem no Whatsapp). A higiene do país também é precária. Muitos mochileiros acabam tendo problemas com infecções alimentares e passando mal. Para evitar que eu fosse um deles, adotei o comportamento que chamo de “não fode”, ou seja, não como comida de rua, evito comidas gordurosas e de difícil digestão e só vou a restaurantes movimentados, cheios de gente (se um restaurante está cheio de gente comendo é um indicativo que ele pode ser bom. Além disso, se há muita gente comendo o tempo inteiro, é menor a probabilidade da comida estar a horas sendo exposta esperando algum trouxa) e bebo muita água. Mineral, obviamente. Esse tipo de comportamento me fez passar incólume pela Índia sem nenhuma dor-de-barriga, o que é raro.
Porém, isso não quer dizer que a Bolívia é um país a não ser visitado. Pelo contrário, a Bolívia é um dos países mais fascinantes da América do Sul e há muita coisa para se ver e fazer. Turismo de aventura, caminhada em montanhas, gastronomia diversa e, lógico, história, o que mais me interessa nos países.

Os flamingos a mais de 4.000 metros de altura!! Incrível!!
Guias no Salar de Uyuni
La Paz

Em um bar na balada de La Paz, umas das cidades com melhores vidas noturnas, se você pintava a cara, ganhava cerveja de graça. Well, so be it!
Na Bolívia, folhas de coca são servidas no café da manhã do hotel

Quando ainda estava no Brasil, todo mundo me falava que a Bolívia era um país extremamente estressante, que todo mundo ia ficar te abordando e enchendo o saco na rua pedindo dinheiro e querendo te enrolar. Dois amigos que conheci em Santiago me passaram um cenário apocalíptico em relação a Bolívia (cheque a história lendo aqui). Parte disso é verdade, os vendedores bolivianos foram os mais desonestos que pude conhecer em toda América do Sul, portanto todo cuidado é pouco. Mas, mais uma vez, é super de boa e está longe de ser a dor-de-cabeça que é viajar na Índia ou em outros países mais pobres.

Outra coisa que todos devem estar preparados para quando forem viajar à Bolívia e em parte ao Peru é para longas viagens de ônibus. Os dois países são tão montanhosos que das 10 cidades com mais de 100.000 habitantes do mundo oito estão na Bolívia e no Peru (as outras duas estão no Tibet). Às vezes quando você está planejando sua viagem, olha no mapa, vê uma cidade do lado da outra e pensa “nossa, é pertinho” e quando vê são 10, 12, 14 horas de viagem de ônibus, já que as estradas parecem uma concha de caracol margeando as montanhas. Em uma semana e meia dormi três vezes em ônibus, não porque queria economizar dinheiro, mas sim porque realmente não havia opção. Em um eu quase, literalmente, congelei, mas conto a história depois.

FOLHAS DE COCA NA BOLÍVIA – A CURA DE TODOS OS MALES – CHÁ DE BOLDO BOLIVIANO

Outra coisa engraçada para a Bolívia é que todo e qualquer problema por lá se resolve com folha de coca. Tá com dor-de-cabeça por causa da altitude? Masca coca. Tá com diarreia? Chá de coca. Tá com mal-estar? Chupa balinha de coca! Lá tudo se resolve na coca, fi. Parece até quando eu era criança e lá em casa, para toda doença, de gripe a tuberculose, a gente tomava chá de boldo.
Porém só uma dica. Masque, tome, guarde, faça o que quiser com as folhas de coca, porém, ao sair da Bolívia cheque todos os bolsos e canto da sua mochila para não trazer NADA que tenha coca na sua composição. Seja balas, chás ou até mesmo as folhinhas. Tá, tudo bem que você não fica nem um pouco alterado ou doidão mascando folhas de coca, tal qual você fica cheirando cocaína. Ainda assim, se você for pego na fronteira com folhas de coca vai depender do quanto o policial vai querer ferrar com sua vida. Se ele for de boa, vai te fazer só jogar fora. Se ele quiser mesmo botar para quebrar, ele vai te levar preso por tráfico de entorpecentes. Você vai ser solto depois, responder em liberdade e muito provavelmente absolvido, mas fica a cargo de cada um ver se vale a pena o risco e a encheção de saco para isso. E, sim, volto a reiterar. Mascar a folha de coca não dá nenhum barato, a garganta e a língua ficam um pouco dormentes e só. É parecido com tomar kava nas ilhas Fiji (se quiser ler o post que eu fiz sobre tomar kava em Fiji, clique aqui)

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s