Marrakesh – A chegada mais estressante do Marrocos

Cheguei ao aeroporto de Marrakesh quase onze da noite e fui pegar um táxi. Já de saída, tive que quase sair na porrada com o taxista para ele me cobrar o preço que era TABELADO no aeroporto. Ele obviamente ele dizia que não iria fazer porque era a noite. Fui deixado na entrada do centro histórico de Marrakesh e ele me disse que dali não poderia me levar, que não passava mais carro e que era só seguir em frente que estava tudo bem.
Tentei discutir, mas ele quase não falava inglês e não adiantou. Eu ia ter que, de qualquer jeito, achar o meu albergue. Na hora que eu paguei o taxista outro cara já voou em cima de mim e começou a gritar. Dizia que iria me levar a meu albergue… pelo mesmo preço que paguei ao táxi. Obviamente falei para ele que não iria dar dinheiro a ele e o mandei ir pastar. Obviamente ele disse que eu não iria conseguir chegar a meu albergue. Obviamente o ignorei. Obviamente ele ficou me seguindo e gritando no meu ouvido que ele podia me levar. Obviamente aquilo foi me irritando. Depois de quase 30 horas entre deslocamentos para aeroportos, voos, esperas em conexões, novos voos, eu estava cansado e, obviamente, irritado. Obviamente o figura continuou gritando no meu ouvido e obviamente não parecia querer me deixar em paz. Pensei que no Marrocos eles podem ter problemas com qualquer coisa, menos com armas de fogos e também que, segundo li, a zona turística de Marrakesh passa semanas sem casos sérios de violência.
Virei e com, sangue nos olhos, comecei a gritar com ele para ele me deixar paz. Mas gritando a plenos pulmões. Obviamente eu NUNCA faria o mesmo em qualquer cidade do Brasil, mas no Marrocos era de boa. Gritei, gritei, gritei o mais alto que pude e comecei a peitar ele. Não foi preciso se preocupar muito em fazer isso. Foi só deixar a raiva ir embora. Eu acho que ele meio que não esperava aquilo, ficou assustado e resolveu me deixar em paz. Um problema a menos. Rapaz, eu fiquei tão bravo que me lembrou algo parecido que ocorreu em Varanasi na Índia (confira a história aqui)
O ruim é que continuava o meu problema principal: Como diabos eu iria chegar no meu albergue? Estava escuro e a parte histórica, a Medina, é assustadora a noite, pois consiste de vielas escuras, labirínticas e claustrofóbicas sem nenhuma sinalização. Saí andando a esmo até que cheguei à praça principal. Bem, eu sabia que o albergue era próximo a praça principal. Comecei a perguntar aos vendedores das lojas vi que estava chegando perto.
Quando percebi que estava chegando bem perto um cara gritou lá de trás “Amigo, você está perdido? Posso te levar para onde está procurando”. Pronto, outro daqueles.
Por mais que eu tentasse, o bicho não me deixava em paz e ficava gritando que me levaria de graça. Fiquei ignorando e ele gritando “Amigo, não quero nada! Só quero lhe ajudar! Não vou lhe cobrar nada” – enquanto eu pensava que esse de graça iria me render pelo menos um assalto. Acabou que teve uma hora que eu parei, virei para ele, falei que eu REALMENTE não tinha dinheiro algum e ele falou que ainda assim só queria me ajudar.
Ele me levou por aquelas vielas e eu só pensando nos meus rins. No final me deixou na porta do albergue e começou um longo discurso de que ele era árabe, que os muçulmanos não são os israelenses para serem traiçoeiros, que eu podia sempre confiar nos marroquinos. Eu agradeci e apertei na mão. No final, ele gritou “Brasil! Esqueci de te falar, se você quiser comprar haxixe, pode falar comigo!”.
Sim, ele era traficante de haxixe. Toda hora que eu saía do albergue, dia ou noite, tava o cidadão na mesma esquina vendendo seu produto.
Trabalhador…
Pelo menos me levou até o albergue. Duvido que um israelense faria isso de graça (/ironic).
Vielas de Marrakesh. Meu albergue tá lááá no fundo da foto. Como eu iria achar isso no escuro?
Engraçado de Marrakesh é que, apesar de ser difícil passar entre as vielas, isso não é um problema para os caras da motos. Cara, às vezes cê tá andando no meio do mundaréu de gente, loja… E quando vê passa uma motinha tirando fino de você. Olha só a velocidade desse cara se metendo no meio de todo mundo. Eles são meio doidos por lá mesmo
Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila

Um comentário em “Marrakesh – A chegada mais estressante do Marrocos

  1. Parabens pelo seu blog. Leve divertido. E fala exatamente na linguagem ao qual sempre pensamos!!! Continue sempre a escrever!!! Queremos mais!!!:)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s