Coisas que aprendi com o Chaves

Repasso e-mail que recebi esses dias e que achei bem interessante

O seriado chaves me ensinou muita coisa, tenho certeza que não seria essa pessoa boníssima se não fosse a turma do chaves, eu listei as 50 coisas que aprendi assistindo o seriado Chaves.
 
1. Seria muito melhor ter ido assistir o filme do Pelé.
 
2. As crianças mexicanas tem rugas.
 
3. JAMAIS encostar em alguém que esteja tomando um choque.
 
4. Seu Madruga paga o aluguel todos os meses. Por isso sempre deve 14 meses, não 15, 16, 17…
 
5. Brasília já foi carrão.
 
6. Não basta ser o maior professor do mundo. Tem que ter um pouco de pepsicologia.
 
7. Pessoas bebem leite de burra.
 
8. Existe uma fruta chamada tamarindo.
 
9. O Quico é emo.
 
10. Devemos deixar os outros fazerem nosso trabalho para evitarmos a fadiga.
 
11. A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena.
 
12. As tintas verde-limão são as mais baratas no México.
 
13. Trabalho não é a pior coisa do mundo. Pior é ter que trabalhar.
 
14. Uma epístola é uma carabina, só que menor.
 
15. Azul escuro em inglês é blue marinho.
 
16. Equilibrar cabo de vassoura com o pé é maneiro.
 
17. Deixar uma casca e banana no chão pode causar um grande acidente.
 
18. O segundo episodio do Guilherme Tell é o mais caro do mundo. Por isso o Sílvio Santos não comprou.
 
19. Alguns móveis são feitos de isopor.
 
20. Portas também.
 
21. Se me acordarem às 11h, tragam o café na cama.
 
22. Socos têm barulhos de sinos.
 
23. Sempre tem um filho da puta que rouba as moedas nas fontes dos desejos.
 
24. Leite é muito parecido com gesso.
 
25. “Quero ver outra vez seus olhos olhinhos em noite serena” é a talvez a única música mexicana que metade da população brasileira conheça.
 
26. Um cabo de vassoura com um lençol amarrado na ponta equivale a uma mala.
 
27. O pai do Quico na verdade está vivo, ele simplesmente fugiu de casa.
 
28. Alguns alunos são tão tímidos que nem os professores percebem sua presença em sala de aula.
 
29. Uma caveira significa prerigo. PRE-RI-GO.
 
30. Ninguém tranca as portas nas vilas mexicanas.
 
31. As marcas de catapora feitas com caneta hidrocor ficariam muito estranhas na TV Digital.
 
32. Qualquer McDonald’s da América do Sul lucraria caso vendesse o McSanduíche de Presunto.
 
33. Hector Bonilha é o Antônio Fagundes acima da linha do Equador.
 
34. As pessoas boas devem amar seus inimigos.
 
35. Deus é um cara legal por não deixar as vacas voarem.
 
36. Os carrinhos feitos com caixas de sapatos são os mais maneiros.
 
37. Não é indicado deixar uma máquina de lavar no meio da sala.
 
38. Nunca acredite em boatos de que seus ídolos morreram num acidente de avião.
 
39. Bolinhas de tênis de mesa são parecidíssimas com ovos.
 
40. Pirulitos podem ter o tamanho de raquetes de tênis.
 
41. O trabalho infantil é legalizado no México.
 
42. Os roteiristas da série não sabiam o que era a aritmética.
 
43. O estilingue pode ser uma arma mortal.
 
44. Tem vez que Acapulco é no Guarujá.
 
45. Se você é jovem ainda um dia velho será.
 
46. Pouco me importa se você quer. Compre.
 
47. Algumas pessoas são idiotas a nível executivo.
 
48. As dívidas são sagradas.
 
49. Se você quiser vir a ser alguma coisa, que devore os livros.
 
50. Se capivaras tivessem trombas seriam trapezistas em um circo tchecoslovaco.

 

 

Coisas que aprendi com o Chaves

Repasso e-mail que recebi esses dias e que achei bem interessante:


O seriado chaves me ensinou muita coisa, tenho certeza que não seria essa pessoa boníssima se não fosse a turma do chaves, eu listei as 50 coisas que aprendi assistindo o seriado Chaves.


1. Seria muito melhor ter ido assistir o filme do Pelé.


2. As crianças mexicanas tem rugas.


3. JAMAIS encostar em alguém que esteja tomando um choque.


4. Seu Madruga paga o aluguel todos os meses. Por isso sempre deve 14 meses, não 15, 16, 17…


5. Brasília já foi carrão.


6. Não basta ser o maior professor do mundo. Tem que ter um pouco de pepsicologia.


7. Pessoas bebem leite de burra.


8. Existe uma fruta chamada tamarindo.


9. O Quico é emo.


10. Devemos deixar os outros fazerem nosso trabalho para evitarmos a fadiga.


11. A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena.


12. As tintas verde-limão são as mais baratas no México.


13. Trabalho não é a pior coisa do mundo. Pior é ter que trabalhar.


14. Uma epístola é uma carabina, só que menor.


15. Azul escuro em inglês é blue marinho.


16. Equilibrar cabo de vassoura com o pé é maneiro.


17. Deixar uma casca e banana no chão pode causar um grande acidente.


18. O segundo episodio do Guilherme Tell é o mais caro do mundo. Por isso o Sílvio Santos não comprou.


19. Alguns móveis são feitos de isopor.


20. Portas também.


21. Se me acordarem às 11h, tragam o café na cama.


22. Socos têm barulhos de sinos.


23. Sempre tem um filho da puta que rouba as moedas nas fontes dos desejos.


24. Leite é muito parecido com gesso.


25. “Quero ver outra vez seus olhos olhinhos em noite serena” é a talvez a única música mexicana que metade da população brasileira conheça.


26. Um cabo de vassoura com um lençol amarrado na ponta equivale a uma mala.


27. O pai do Quico na verdade está vivo, ele simplesmente fugiu de casa.


28. Alguns alunos são tão tímidos que nem os professores percebem sua presença em sala de aula.


29. Uma caveira significa prerigo. PRE-RI-GO.


30. Ninguém tranca as portas nas vilas mexicanas.


31. As marcas de catapora feitas com caneta hidrocor ficariam muito estranhas na TV Digital.


32. Qualquer McDonald’s da América do Sul lucraria caso vendesse o McSanduíche de Presunto.


33. Hector Bonilha é o Antônio Fagundes acima da linha do Equador.


34. As pessoas boas devem amar seus inimigos.


35. Deus é um cara legal por não deixar as vacas voarem.


36. Os carrinhos feitos com caixas de sapatos são os mais maneiros.


37. Não é indicado deixar uma máquina de lavar no meio da sala.


38. Nunca acredite em boatos de que seus ídolos morreram num acidente de avião.


39. Bolinhas de tênis de mesa são parecidíssimas com ovos.


40. Pirulitos podem ter o tamanho de raquetes de tênis.


41. O trabalho infantil é legalizado no México.


42. Os roteiristas da série não sabiam o que era a aritmética.


43. O estilingue pode ser uma arma mortal.


44. Tem vez que Acapulco é no Guarujá.


45. Se você é jovem ainda um dia velho será.


46. Pouco me importa se você quer. Compre.


47. Algumas pessoas são idiotas a nível executivo.


48. As dívidas são sagradas.


49. Se você quiser vir a ser alguma coisa, que devore os livros.


50. Se capivaras tivessem trombas seriam trapezistas em um circo tchecoslovaco.


Banco imobiliário

Repassando um artigo interessante…

“Banco Imobiliário é um clássico no mundo dos jogos de tabuleiros, com sucesso reconhecido por várias décadas em todo o planeta. É um jogo razoavelmente simples: depende um bocado da sorte, mas ter uma estratégia pode ajudar bastante o jogador a chegar à vitória. Como boa parte dos jogos que se prezam, é possível tirar do Banco Imobiliário boas lições para a vida – principalmente, para a vida financeira de alguém.

A primeira dessas lições diz respeito à dependência do salário. No início, o jogador começa com pouco dinheiro e somente pode ver seus rendimentos aumentarem com o salário, que é ganho após cada volta completa no tabuleiro. No início, você precisa jogar para ganhar dinheiro: cair numa casa errada pode ser um complicador enorme, porque pode implicar dívidas sérias que comprometem o futuro financeiro no jogo. Se o jogador cair em casas azaradas, em que ocorrem eventos de dívidas (pagar impostos ou contas absurdas e caras), pode perder boa parte de seu capital. Ou seja, ser ativo é arriscado, mas é necessário, porque senão o dinheiro não entra.!”

Quem tiver interesse em ler o artigo inteiro, favor clicar aqui

Boletins da Copa

Itamaraty quer Dunga para tratar de relações com Estados Unidos

Dunga a poucos minutos de dar o primeiro tabefe no presidente Obama BRASÍLIA – Em entrevista coletiva realizada à tarde no Itamaraty, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que ficou bastante impressioado com a postura firme como Dunga tem lidado com a imprensa burguesa e revelou que pretende convidá-lo para ser o principal diplomata responsável pelas relações bilaterais Brasil-Estados Unidos. “Como diz o nosso presidente, durante tempo demais abaixamos a cabeça para o nosso irmão do norte. Chegou a hora de conversar de igual para igual. O Dunga possui o tom certo”, explicou. Ao perceber que o repórter da CNN, John Ewyng, anotava suas palavras num caderno de notas, Amorim fuzilou-o com os olhos e perguntou se ele estava com algum problema. Ao receber uma resposta negativa, Amorim deu um sorriso irônico e sussurrou as palavras “mother fuckers” e “yankees go home” perto do microfone.


A Doutrina Dunga, como vem sendo chamada a nova estratégia diplomática brasileira, já começa a influenciar a política externa brasileira. O ator Alexandres Frota foi enviado para o Reino Unido, onde defenderá os interesses nacionais junto ao governo conservador do Primeiro Ministro David Cameron, ou “aquela bichinha”, como prefere chamá-lo Frota. O apresentador de televisão Wagner Montes será nosso representante em Israel, onde prometeu “meter o pipoco” em quem falar mal do Irã.

Todos serão subordinados a Dunga, e enquanto estiverem no serviço diplomático terão de renunciar ao sexo, às bebidas e aos bons modos




Pesquisadores revelam presença de Mick Jagger em eventos históricos

WISCONSIN – Historiadores do departamento de futilidades da Universidade de Wisconsin levantaram a participação de Mick Jagger em eventos históricos ao longo das décadas. Nos últimos anos, Jagger investiu em ações da British Petroleum, tornou-se fã de Rubens Barrichelo, abriu um Hotel na Grécia e torceu sistematicamente para o Vasco da Gama, sempre que o time de São Januário chegava a uma final. Questionado sobre a suposta fama de pé-frio do líder dos Rolling Stones, o guitarrista Keith Richards declarou que “desde a década de 60, Jagger acredita, sistematicamente, que a banda não durará mais dois ou três meses”.


Mick Jagger no carro de JFK, em Dallas



Jagger troca idéias com um assessor de Kennedy: “O presidente estava relutante, mas eu disse a ele que a previsão do tempo era de um dia magnífico. Dallas é uma cidade muito simpática e arejada, com um povo curioso e atento às coisas do espírito. Veja lá, por exemplo, um belo depósito de livros.”


No Maracanã, 1950



Apressado para entrar no belo estádio recém-inaugurado, Jagger confirmou que a festa do título será no Cassino da Urca. “Já marquei com Vicente Celestino, Silvio Caldas, Ciro Monteiro e Ivon Curi”, disse, e garantiu que o seu coração estava com o escrete brasileiro. “Nem sei se o Uruguai realmente existe…”


Troianos recebendo o cavalo de Tróia



“Deixei claro aos meus amigos Troianos, com que cerro fileiras nessa guerra, que temos de lutar por uma cultura de paz e não podemos dar as costas para gestos de boa vontade”, explicou Jagger, ajudando a empurrar o cavalo para dentro da cidade sitiada.


Em Wall Street, 1929



Geralmente não dou conselhos financeiros, mas desta vez não tem erro: quem quiser fazer um pé de meia para o futuro deve comprar ações. 1929 é o ano. Eu recomendo”, disse Jagger, feliz ao ver velhinhas trocando suas economias por derivativos de bancos endividados.


Na batalha de Waterloo


Logo depois de ser indiciado por consumo ilegal de drogas na Inglaterra, Mick Jagger se refugiou no sul da França, onde compôs o disco Exile on Main Street. Quando soube que as forças reacionárias de George III estavam prestes a atacar Napoleão, o artista tomou uma caleche para Waterloo com o intuito de cantar para as tropas. “Estou com vocês, Cidadãos!”, declarou Jagger, antes de incendiar a soldadesca com Running Out of Luck.