Sistema de Castas Indiano – A canalhice em forma de costume

Mas não há nada mais interessante Índia do que o seu perverso sistema de castas. Hoje ele é totalmente proibido pelo governo e não encontra mais espaço na Índia urbana e moderna, mas ainda persiste com força em algumas regiões rurais da Índia. Como funciona o sistema de castas?
O sistema de castas se divide basicamente em quatro: Brahmin (professores e sacerdotes), Kshatriya (guerreiros), Vaishya (mercantes) e Shudra (trabalhadores, peões). Acredita-se que as diversas castas emergiram de diversas partes do corpo do Deus Brahma durante a criação. Os Brahmins emergiram da boca, portanto são os responsáveis por propagar o conhecimento e a fé hindu. Os Kshatriya emergiram dos braços, portanto são os responsáveis pelas armas e pela defesa do território. Os Vaishya, comerciantes, emergiram das coxas (só não sei qual a relação de coxas com mercantes, talvez porque os mercantes estejam sempre movimentando as mercadorias que abastecem toda a nação! Foi boa essa?) Por último, os Shudras emergiram dos pés de Brahma, logo são os responsáveis pelos trabalhos de peões.

A difícil vida dos Dalits, os “Intocáveis”!

Além dessas quatro castas, há a mais famosa de todas: A casta dos Dalits, mais conhecida como a casta dos “Párias” ou “Intocáveis”. Se cada casta provém de uma parte do corpo de Brahma, os Intocáveis provêm de abaixo dos pés de Brahma, ou seja, eles não são mais que lixos. Há eles restam os empregos menos nobres, tais quais desentupir esgotos e limpar latrinas e repúblicas de estudantes. Muitos dos Intocáveis há algum tempo atrás eram tribos nômades ou seminômades que eram obrigados a viver totalmente isolados da sociedade, assim como os leprosos eram tratados há algum tempo atrás na Europa. Hoje, como o sistema de castas é ilegal, o governo adota um sistema de cotas em cargos públicos, vagas nas universidades e cadeiras no Parlamento para os Intocáveis. Só pra vocês terem uma idéia, 50% dos empregos no governo são destinados aos mesmos.
Há algum tempo atrás, a casta que você nascia determinava como seria toda a sua vida. Até hoje, hindus conversadores só se casam com pessoas de mesma casta e um amigo indiano meu me falou que algumas pessoas quando vão comprar cigarros, ao perceberem que o dono de uma venda é de uma casta inferior, pedem pra eles jogarem o cigarro em cima do balcão e pegam o maço de cigarros com uma luva ou um saco plástico. Isso tudo só pra não ser “contaminado” pela casta do infeliz. Diga aí, rapaz!
Mas por que o sistema de castas é perverso? Cara, ele é perverso porque tem uma justificativa um tanto quanto “plausível” para explicar o porquê de hoje você ser tratado como lixo, porque eu devo tratá-lo como lixo e porque não adianta você lutar, afinal você merece ser tratado como lixo.
Se você, em sua vida passada, viveu uma vida pura, com caráter, respeitando a sua religião e ao próximo, você provavelmente reencarnará em uma casta superior e mais nobre. Agora, se você só aprontou na sua vida passada, roubou, matou, torceu pro Clube de Regatas Vasco da Gama ou pro Corinthias e todas essas paradas sujas, você reencarnará numa casta inferior e menos nobre. Logo, se hoje eu sou rico, tenho várias posses, respeito e uma vida confortável é porque na minha vida passada eu me “esforcei” para conseguir o que tenho. Você não, você é um lixo porque merece o que fez. Você apenas aprontou na sua vida passada, portanto mantenha-se no seu lugar, caladinho, lave as minhas latrinas e quem sabe se Brahman tiver piedade de você e esquecer todos os pecados da sua vida anterior, você pode nascer em uma casta mais digna. E NÃO OUSE ME TOCAR!!! Sacou, cara? Viu como a parada é perversa? Você cria um sistema de quase escravidão em que quem explora não sente o mínimo remorso disso e a pessoa que está sendo explorada aceita a sua posição na esperança de que na próxima vida será perdoado por todo o sofrimento dessa vida presente. Não é uma parada que revolta, cara?
As diversas minorias, mulheres, negros, homossexuais, sempre se juntaram e lutaram por direitos, porque, afinal não havia razão para serem tratados como segundo plano. O ponto é que por durante muito tempo os Intocáveis não puderam fazer nada, a não ser ficar no seu lugarzinho, limpando as suas latrinas, já que sua religião legitima isso. O máximo que alguns Intocáveis poderiam fazer era se converter em outra religião (como o Budismo) e assim seguir a sua vida em paz.

Quando a cultura se mistura com a baboseira

 Gente, claro que isso tudo é uma baboseira. Cultura o caramba! Isso é a mesma baboseira que a Igreja Católica pregava na Idade Média para legitimar algo parecido com o sistema de castas: O clero existe para rezar, a nobreza para lutar e os servos para trabalhar. O sistema de castas na Índia foi mais um sistema criado para legitimar a exploração do homem pelo homem, só que adentrou muito mais na sociedade do que qualquer outro. As pessoas que conheci de castas superiores eram gente boa pacas e não acreditavam mais nessa baboseira, mas via-se claramente a diferença de tonalidade de pele deles para a dos motoristas de Tuk Tuk. Os motoristas de Tuk Tuk e os mendigos eram da cor do Pelé. Uma menina que me hospedou em Delhi, com descendentes de casta superior, tinha a pele mais clara do que eu sem nunca ter tido um parente europeu na família. Não sei se é coincidência ou não tem nada a ver, mas há algum tempo atrás vi alguns estudos que sugerem que os arianos que pela Índia chegaram há muito tempo atrás, logo formaram a classe dominante e elaboraram esses sistema de castas pra legitimar o seu domínio, assim como a Igreja tentou fazer há algum tempo atrás. O por isso de hoje você ter um sistema que funciona tão eficientemente.

Gostou do post? Então curta nossa página no www.facebook.com/omundonumamochila para sempre receber atualizações.
Quer entrar em contato direto com o autor ou comprar um livro? Clique aqui e tenha acesso ao nosso formulário de contato!
Se gostou das fotos, visite e siga nosso Instagram para sempre receber fotos e causos de viagens: www.instagram.com/omundonumamochila
Quer receber as atualizações direto no seu e-mail? Cadastre-se na nossa mala direta clicando na caixa “Quero Receber” na direita do blog