Chapéu de otário é marreta? It’s not my fuck problem!!

Caraca tou pra completar 2 meses que já cheguei aqui na Austrália. Posso dizer que cada dia que passa é flagrante o “melhoramento” do inglês que sai das minhas cordas vocais. Já consigo falar bem no telefone (conseguindo até anotar endereços) e me comunicar com todos os tipos de pessoas, menos é claro, com o chef lá da cozinha que eu tou trabalhando. E aqui começa a nossa história…

era uma vez um prezado maranhense que feliz com a sua contratação no team work do nosso amigo chef do alabama, começou a escrever com toda felicidade para os seus amigos no blog que a época de vacas magras havia passado.

É.. passar até que já passou. Com a grana que recebi lá do chef já consegui até, PASMEM!!!! JÁ POSSO ATÉ PAGAR UMA PASSAGEM DE ÔNIBUS!!! Nossa… por um momento eu até me esqueci do prazer que era… você aqui, tendo que andar attéééé lááááá do outro lado. Simplesmente faz aquele sinal mágico com o braço, apenas o estende por alguns segundos e aquele mercedes-benz, monstro de cavalos-força, simplesmente pára ao seu lado como um cavalo domado. Você adentra em seu interior, olha nos olhos do motorista e apenas fala: I’m going to the opera house, ele responde algo como: one dolar and fifty cents, você coloca a mão no bolso QUE AGORA TEM DINHEIRO (!!), Dá a quantia ao mesmo, senta-se no último banco alcochoado do ônibus e como mágica você chega, não mais em uma hora, em dez minutos, e não mais suado, mas com um certo “frio” (afinal o busão tem “arcon”)… é.. tem coisas na vida que seu parco dinheiro consegue pagar, mas pra todas as outras existe o Jonas…

só uma nota do autor pra galera que ficou meio por fora quando eu falava sobre o “pegar ônibus” aqui em Sidney. Em Sidney, os ônibus não tem cobrador e nem catraca, só tem o motorista. Então quando você vai pegar bus você pode fazer três coisas, comprar um cartão (vários tipos: cartao de dez créditos, de vinte créditos, cartão pra usar durante uma semana…) e passar na máquina que tem logo ao lado do motorista. Não tendo o cartão, diga ao motorista aonde você vai e assim o bicho calcula quando dá e te cobra, você paga e recebe um recibo. Não tendo cartão nem dinheiro tente entrar voado, sentar lá atrás e não pagar nada… Pros cariocas ixpiertos que tentam burlar o sistema e entram sem pagar ou então falam que vão descer duas paradas a frente quando na verdade vão descer em Melbourne, só um aviso. De vez em quando sobem os RANGERS (que apesar do nome pomposo, são um bando de tiozão gordo e velho) e mandam parar o ônibus e saem conferindo a passagem de um por um. Quando um cara desses sobe e você não pagou a passagem, só restam duas opções: 1 – fazer cara de bosta e dizer que não sabia, chorando pro bicho não te dar uma multa (que custa a bagatela de 200 dólares) 2- puxar o bigode dele pra baixo, dá um cutucão na nuca do tiozão e outro chutão no coração pra ocasionar uma parada cardíaca e assim quando o mesmo apagar você sai em retirada. Aqui não tem conversa, tou cansado de ver os bichos multando geral quando entra no busão…

As vacas magras até que já passaram por um instante, mas em compensação, no serviço, não tem dia em que eu não pego bordoada.. afe maria.. mas também… minha vida inteira eu nunca achei que ia ter que lavar um prato… mas voltando… o bicho até que no começo tinha alguma paciência, mas agora eu não posso perguntar nada pro bicho que o cidadão já vem na bordoada… parece até o James do carwash.. uhauheauheuhae.. eu já percebi que o problema não são as pessoas que me empregam, mas sim eu, que nasci incompetente pra ficar lavando pratos e afins, arf… Pelo menos a TCHECA é uma doçura em pessoa. Ela tenta o máximo que pode pra me fazer fugir das bordoadas do chef, me dá umas dicas e talz. Quando vê que eu tou fazendo algo de errado já dá um sinal com aqueles belos olhos azuis pra eu parar de fazer.

Nota do autor 2: pra galera que assistia cavaleiros do zodíaco.. não sei se vocês lembram do treinamento do Ikki, quando o mesmo virou Ikki de Fênix, na terra do fogo, aonde o tempo todo o mestre dele (aquele endiabrado lá que não lembro o nom), judiava o Ikki, maltratava, espancava, dava bordoada e o tempo todo o Ikki ficava puto, mas quando ele pensava em desistir vinha a filha do mestre, a Esmeralda e falava aquelas palavras doces para o Ikki e o bicho voltava a treinar… A TCHECA tá sendo minha Esmeralda, uhauheauehauehauh, toda vez que o chefzão vem me dando uma bordoada, ela vem e fala com a voz doce… uhaheaheeh, mas vamo lá… vou ficar com essa porra desse chefe até eu conseguir outro emprego.. arf..

assim que o jonas chegou aqui na austrália, há mais ou menos um mês atrás, me ocorreu algo que eu pensei em postar pra galera ficar sabendo. Mas depois, claro, desisti pelo fato de que esses dias, como já havia dito posts atrás, soube que a senhorita irene virou frequentadora assídua do meu blog, portanto esses tempos estou maneirando nos “puta-que-pariu”, “caralho”, “vai tomar no cú”, “se fuder, que merda” e afins. Pois é… assim que o Jonas chegou aqui na austrália, eu levei o mesmo para o carwash dos infernos (aquele, veeelhoo, dos tempos do playboy afegão.. é.. essa história faz tempo) e fui lá pra poder receber. O cara não me pagou e tive que voltar outro dia e pá pá pá.. não faz importância… pois é, após eu falar com os caras do carwash, peguei o Jonas (ui) e levei ele embora pra casa… no caminho de casa, passo em frente a um caixa eletrônico e penso, porque não pegar o meu extrato? Mas sabe aquela idéia que você tem, MAS QUE NÃO SERVE PRA NADA? EU SABIA QUANTO TINHA NA PORRA (caralho, mandei outro palavrão, foi mal, senhorita irene) DO CAIXA ELETRÔNICO, SABIA QUE TINHA 240 DÓLARES. Pois é, porque não conferir o extrato que eu já sabia quanto era? Eis que pego o meu extrato e confirmo o que já sabia, meu 240 dólares AINDA estavam lá. No outro dia no metrô, o Jonas pede uma grana emprestada pra mim, e eu falo, não tem problema Jonas, eu simplesmente pego na minha conta e.. e.. CADÊ O MEU CARTÃO DO BANCO? Mas desencanei, eu achava que tinha esquecido em casa. Pois é, sem problema, dei pra ele algum dinheiro que tinha no bolso e fomos pra circular quay pra eu e o Jonas tirarmos a velha foto clichê da Ópera House. Chegando em circular quay, passamos em frente a uma agência do meu banco e resolvemos entrar lá pra eu poder sacar sem precisar de cartão do banco, chegando lá quando cheguei no caixa e pedi pra mulher pra eu poder sacar minha grana, só dei meu passaporte e corri pro abraço (no Jonas, claro, a mulher tava detrás de um caixa). Quando não me espanto a mulher só me fala: Senhor, o senhor está sem fundos. ÃHN?!?! Pedi pra ela me mostrar meu extrato e lá tinha… um saque de 20, outro de 20, outro de 20 e UM ÚLTIMO DE 240 DÓLARES!!! Eu, pronto, só faltei morrer na hora!!! Mas de boa, como diria minha mãe, tem coisas que só acontecem comigo… Mas como alguém poderia sacar sem a minha senha? Simples, aqui os caixas eletrônicos são diferentes dos do brasil. No brasil, qualquer coisinha que você vai fazer, eles pedem sua senha antes de você falar o que quer fazer e outro na hora que for fazer o saque ou afins, aqui não, eles só pedem no começo e depois que você faz a operação, ele pergunta se quer continuar e por alguns segundos você pode continuar antes do sistema ficar off… Logo, o que aconteceu? Eu enfiei o cartão no caixa e esqueci no mesmo. O cara que veio atrás de mim, nem se preocupou, RAPIDAMENTE só clicou sim na hora que perguntava se você queria continuar a operação (afinal eu só tinha tirado o histórico) e correu pro abraço (não no Jonas porque ele não tava mais lá). Ainda bem que essas coisas, de roubar as pessoas na cara dura, só acontecem no Brasil e nunca acontecem em países de primeiro mundo.

Mas e aí? Como proceder agora? Fomos na recepção do banco e falamos com uma mulézinha lá. Ela só olhou pra mim com uma cara de professor pardal e falou: LET’S INVESTIGATE. Nossa, mas pense num menino que deu muita, mas muita vontade de rir da cara daquela vaca (Tá vendo mãe? Não falei piranha, falei vaca, tou ficando melhor nisso)? Beleza, deu pilhas e pilhas de formulários pra nós preenchermos (que no final quem preencheu foi o Jonas, afinal o inglês dele era muito melhor, eu só assinei) e no final, quando eu achei que tava tudo terminado, a mulher me fala que aquilo tudo só teria validade se fosse assinado por um juiz devidamente Australiano!!!! E eu só pensei: Aonde diabos eu vou achar um juiz australiano? No estádio (tá galera, essa piada foi fraquinha, mas tinha que ter pra dar mais enfâse)? Eis que do nada, mas DO NADA MESMO, o carinha que tava do lado da gente era um JUIZ AUSTRALIANO, DÁ PRA ACREDITAR? E o cara vendo meu desespero foi lá e assinou, foi só agente virar as costas e as asas deles saíram pra fora do paletó e o bicho voltou pro céu, afinal aquele cara só podia ser um anjo. No final, mais tranquilo, comecei a falar com o Jonas e ficar rindo. Quando eu achava que tudo já tinha terminado, a mulé ficou injuriada e vira pra mim e fala: Você acha isso engraçado? Isso não tem nada de engraçado, isso aqui é sério! Nossa que vontade de enforcar aquela sem-modos (ah, vai tomar no cú, pô, mãe, vou mandar um palavrão. Vontade de enforcar aquela MAL COMIDA!!)

21 dias depois que era o prazo máximo que o banco me deu pra poder completar a “investigação” eu vou de novo em outra agência pra saber como anda o meu processo, o que eu descubro? NÃO HAVIA NENHUM PROCESSO MEU ROLANDO NO BANCO, DÁ PRA ACREDITAR? A mal comida simplesmente não mandou o meu processo, simplesmente isso. E eu pensei, ah, eu nem queria mesmo, 240 dólares pra mim não dá pra nada, só pra viver quase duas semanas. Mas aí, o que fazer? Lá vai o pobre do Jonas preencher novamente pilhas e pilhas de formulários, só que dessa vez sem juiz australiano pra poder assinar. Depois de passar a injuriação pela mulher não ter mandado o meu processo para a matriz do banco, ou seja, eu ter sido feito de palhaço por aquela Piauiense (nossa, peguei pesado), comecei a pensar que aquilo poderia rodar ao meu favor, afinal, se eles não devolvessem o dinheiro eu enfiava um processo neles aqui na austrália (é… aqui tudo é processo). Cinco dias depois os bichos me pagaram. Eita felicidade!! Mas como felicidade de pobre maranhense dura pouco, já tive que parte da grana pra pagar o alguel.. eita vida..

mas a melhor de todas não foi essa, a melhor foi eu, um dia desses, desesperado sem emprego, comecei a mandar currículo pra tudo e pra todo canto. Eu, maranhense versátil, fiz currículo pra tudo: cleaner, kitchen hand, designer (!!!), peão, pedreiro, empregado doméstico (é, meu orgulho cada dia que passa tá mais baixo)… Pois é… mandei currículo pra todo canto, quando não foi outro dia, recebi uma chamada pra fazer entrevista de emprego, perguntei pra mulher o que era e entendi ela falar que era pra ser de designer. Chegando lá, quando fui ver, parecia uma agência de emprego, aí na hora eu saquei, ah.. é pra ser kitchen hand. Preenchi o formulário. No lugar de botar experiência, claro, botei toda experiência que tenho como assistente de chef no brasil, afinal trabalhei durante dois anos como tal no “Boteco do Seu Edilson”, onde claro, se a pessoa quisesse alguma referência poderia ligar para o número do celular do emanuelzinho (um brother de brasília.. uhaeuhuaeh, valeu emanuel, tou colocando o número do teu cel pra galera ligar daqui da austrália, se algum dia um australiano te ligar, saiba que teu nome é seu Edilson!!). Na hora da entrevista a mulher me pergunta sobre experiencia e eu so emendo: Eu já trabalhei bastante de kitchen hand, eu praticamente era o chef da cozinha, fazia tudo, e pá e não sei mais o que e ela pergunta o que acha que pra mim seria mais importante no ambiente de trabalho.. só respondo… não… que precisa ser limpo e pá pá pá, afinal você tá preparando coisas pra outras pessoas comerem e ainda por cima cada um tem uma saúde diferente e pá pá pá, se alguém ficar doente você pode ser processado e tudo isso em ingles… meu inglezao ta ficando bom… Mas eu não entendia porque diabos a mulher não parecia ficar satisfeita com o que eu falava pra ela, até que na hora que eu me dou conta, que pergunto pra ela qual era o emprego que ela tinha pra mim, ela só responde: VENDENDOR DE CELULAR!! HUHAUUHAUEH… eu claro, só pedi autorização pra defecar e fui embora.. CARAMBA! COMO EU IA ADIVINHA QUE ERA PRA VENDEDOR DE CELULAR? Eu dava 240 dólares roubados pra quem tirasse uma foto da cara de bosta que eu fiz pra mulher quando ela me falou que o trampo era pra vender celular.. uhauehaueuea.. tem coisas que só acontecem comigo mesmo…

e hoje… vou lá no carwash pra ver se eu enfim consigo receber a porra do dinheiro que o cara devia me pagar.. afinal, trabalhei por sete horas no primeiro dia e não recebi nada (as cinco primeiras horas seriam de “training”, logo só teria que receber as duas últimas) e outras horas lá que ele devia me pagar… eis que chego lá às cinco, o gordo sem-piroca só vai me atender às 7 e só me pergunta: Do you have the receive? Eu só digo… claro que não, nunca me deram recibo nenhum, então ele só vira pra mim e fala: It’s not my fuck problem (!!!!!). É.. já dizia um velho ditado maranhense: chapéu de otário é marreta… Mas deixa o bicho… se ele acha que vai sair barato, ah.. isso não vai… os poucos dias que eu trabalhei lá eu vi as cagadas que ele anda fazendo pelo carwash, cagadas do tipo não pagar os funcionários utilizando a conta do governo (tax file number, depois eu explico mais direitinho o que é), logo o safado não tá pagando imposto nenhum… se Al Capone foi pra cadeia porque não pagava imposto de renda, não vai ser esse gordo-esloveno-sem-piroca que vai me passar a perna… vou fazer um dossiê bonitinho e só vou deixar no departamento de imigração daqui da austrália.. uhauheauheau… vai levar ele e uma galera pro buraco, inclusive os funcionários e claro.. O JAMES!!!!!!!.. uhauheuheu… lá só tem esloveno mesmo… vou ensinar pra ele que a rapadura é doce mas não é mole. Mas claro, só vou fazer isso quando tiver pra ir embora do Brasil, afinal, o bicho tem todos os meus dados lá no carwash, inclusive aonde eu moro… vai que o bicho vai me visitar com um trabuco na mão?

e por último, já que não postei nada sobre os chineses aqui vai uma curiosidade… depois de descobrir que chinês come uma comida mais fedida que pequi e que eles só comem de boca aberta fazendo aquele leve barulho de BLOSH, BLOSH, BLOSH, tipo vaca mascando no pasto, descobri que nosso amigo Penny toda vez que vai no banheiro passar um fax, leva na mão um papel higiênico e um maço de cigarro… CACETE!! O BICHO FUMA QUANDO TÁ NO BANHEIRO, DÁ PRA ACREDITAR? Uuhauheu… muito engraçado.. depois a gente abre a porta do banheiro e é só aquela sauna.. fumar cagando é a primeira vez que vejo..



abraços maranhenses


e ah.. só… pra verem algumas fotos minhas daqui de sidney…



primeira foto: foto da tvzona de 29 polegadas que eu falei no último post que tinha achado na rua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s