Dias destruidores e Crush AUS

Sorry.. mas essa vai ser mais uma semana com dois blogs, o da semana passada e o da semana retrasada…

Caraca.. esse fim de semana (dias 12 e 13) adentrando até quarta feira foi o que eu digo de dias destruidores..

Tudo começou há algumas semanas atrás quando o nosso amigo Juliano começou a me contar que ele teria que levar o carro que ele trabalhava pra Brisbaine. Funcionava assim.. Juliano e mais uns 4 ou 5 amigos estavam trabalhando aqui em Sydney para um empresa de carros de Brisbaine, fazendo uns mapeamentos e tal.. Depois de terminado o serviço (que foi de duas semanas), o carinha ligou pra ele e pediu pra eles levarem os cinco carros de volta pra Brisbaine… Beleza.. combinaram que se o cara pagasse cem dólares por carro todo mundo ia descer em direção a Brisbaine…

De posse dos acontecimentos aproveitei e perguntei aos amigos se eu poderia adentrar em um dos carros e pegar essa carona, fazendo, digamos, um crush AUS… Os bichos disseram que não tinha problema e eu nem pensei duas vezes… pé na estrada e vamo embora!!! Antes de dar início a narração dos acontecimentos vamos primeiro dar nomes aos bois, digo, nome aos motoristas.. O carro que foi na frente foi o do Juliano, que havia conseguido o emprego pra galera, segundo carro foi dirigido pela gloriosa Marília, namorada do Juliano, que só havia dirigido uma vez um veículo com o volante no lado contrário e o terceiro carro foi dirigido pelo nosso fiel escudeiro e corintiano-da-fiel-e-chato-pra-cacete Yves!! No terceiro carro encontrava-se eu, Claudiomar, o Camõres da viagem, o narrador da aventura…

Inicialmente íamos ter duas viagens diferentes… Juliano e Marília que iam na sexta feira e eu e o Yves no domingo. Yves decidiu que só sairíamos no domingo em razão de que no sábado ocorreria uma rave que o mesmo estava louco para ir… Beleza.. até a quinta feira estava confirmado que iríamos pegar a estrada, no terceiro carro, eu, Yves e uma polonesa que estuda com a gente (que depois desmarcou conosco por enfrentar problemas em faltar o seu trampo no domingo).. Quando foi no sábado, qual não foi a nossa surpresa ao vermos Juliano presente na rave e nos falando que iria junto conosco no domingo… Beleza.. Rave como já deve ser do conhecimento da maioria das pessoas que lêem os meus boletins (inclusive da senhorita Irene), são conhecidas por serem festas altamente destruidoras, aonde as pessoas literalmente piram o cabeção e ficam despicoradas dançando músicas eletrônicas… Como não poderia deixar de ser, nossos amigos motoristas, no domingo, encontravam-se, utilizando um jargão popular, só o bagaço da laranja… Ironia do destino, eu, maranhense, sabido e esperto, O ÚNICO QUE NÃO IA DIRIGIR, no outro dia era o único que estava com a integridade física perfeita, haja vista que voltei cedo pra casa e dormir nove horas de um dia para o outro..

Beleza.. quando foi no outro dia foi só esperar a ligação da galera pra eu poder me encontrar com os carros pra podermos pegar a estrada… Nossa.. mas quando eu cheguei.. olhei a cara do Juliano, a CARA DO YVES!! Os bichos tavam com umas caras de acabados!! Na hora que eu vi a cara dos cidadãos que iriam dirigir os nossos carros por quase 1000 km de puro asfalto eu comecei a ficar mais arrependido que ateu no juízo final… Mas beleza, vamo pegar a estrada…

A viagem já começou bem… nós, coitados, estávamos mais por fora que bunda de índio e step de Jipe… só pra sair de Sydney levamos quase uma hora… a gente só sabia que tinha que pegar a droga da Habour Bridge e sair em direção ao norte de Sydney.. mas quem disse que a gente conseguia pegar essa bendita ponte? A gente só via a porra da ponte ao longe e nada de conseguir subir nela… Começamo a ficar mais angustiado que barata de cabeça pra baixo.. Depois de muito, mas MUITO tempo, aproximadamente uma hora e meia conseguimos, enfim, sair de Sydney… Beleza.. Agora só faltavam 950 km de asfalto para poder chegar em Brisbaine.. E lá vamos pegar a estrada.. Durante a viagem nada de interessante que mereça ser explicitado no nosso boletim, apenas vimos alguns cangurus LINDOSS!! Outros Coalas FOFFFÍÍÍSSIMOSSS!!! E um ornitorrico que era uma gracinha… todos, claro, com as cabeças devidamente esfoladas e os miolos expalhados pelo asfaltos, devido a tentativas, digamos frustadas, de tentar atravessar as roads da Austrália… Outro fato que fui notando (inclusive tirei bastante fotos) é que as margens das estradas australianas se parecem bastantes com as brasileiras.. aonde podemos ver a todo m

omento bois pastando ao longe.. característica da pecuária extensiva, que faz da Austrália a detentora do segundo maior rebanho bovino do planeta, perdendo só para o Brasil.. fato esse que faz esses filhas da puta daqui estarem comemorando aos quatros cantos do mundo os focos de febre aftosa achados no Brasil…


Depois de dez horas de viagem, conseguimos enfim chegar no nosso primeiro destino:0 Byron Bay. Cidade australiana situada no lado mais oeste do continente australiano e que possui um farol muito famoso (farol esse que jogava umas luzes nas nuvens e que eu e o Yves ficamos tentando seguir por alguns minutos à noite, achando que eram os refletores de alguma balada… uhauehae.. dá pra acreditar como algumas pessoas podem ser trouxas?). Beleza.. ao chegar em Byron Bay, Juliano por estar com uma namorada foi logo procurando um hotelzinho para poder dormir. Eu e o Yves por estarmos sem namorada (não.. ele é muito barbudo pra mim) resolvemos que iríamos era enfiar (ui!!!!) o carro embaixo de alguma árvore e dormir lá mesmo.. Beleza.. ficamos peruando por dentro de Byron Bay e acabamos achando uma árvore deveras aprazível e escondida e lá colocamos o carro e, digamos, tentamos dormir… Caraca.. eu nunca havia dormido dentro de um carro antes. Na teoria parece fácil, é só baixar o banco e já era.. mas na prática.. putz.. acordei no outro dia com a sensação que neguinho tinha me colocado dentro de um saco e me enchido de pancada.. Acordamos de manhã e já fomos descendo direto pro farol pra batermos algumas fotos.. 
Por não conseguirmos falar com nosso amigo Juliano abandonamos o mesmo (ou fomos abandonados como achar melhor) e caímos para o farol.. Chegando lá o lugar era sensacional, bonito, mas BONITO PRA CARALHO. Em matéria de beleza, chegava bem perto de São Luís (não tou exagerando, era bonito mesmo)… batemos algumas fotos, dei uma mergulhada no mar e claro, tentamos xavecar duas alemãs muito gatinhas, só que elas nem deram moral pra gente 😦 
Depois de algumas fotos, descemos para uma outra praia que tinha lá per

to pra, claro, ver a mulherada com o peito de fora e ficar com aquele olhar de cachorro vendo frango assado rolando no forno de padaria… Depois de uns banhos de mar, alguns peitos de fora e outras fotos do Pacífico, eu e Yves entramos em consenso que não teríamos mais nada pra fazer em Byron Bay.. Resolvemos então pegar o carro e descer logo para o nosso próximo destino, Gold Coast…


Gold Coast, depois de Sydney, era, de longe, a cidade que eu mais tinha vontade de conhecer aqui pela Austrália… caraca.. chegando lá… não precisa nem falar como foi, né? UM SACO!! A droga da cidade não tinha nada pra se fazer.. parecia Peruíbe-SP… Cidade minúscula e sem nada pra se olhar. Só encostamo o carro na beira-mar, sentamo na areia e ficamo uns vinte minutos vendo as ondas (porque nem mulher com os peito de fora tinha naquela praia nojenta)… Beleza… depois de uma hora lembramos da Bianca, uma amiga nossa que tinha prometido que ia ligar pra outra amiga dela que morava em Gold Coast pra perguntar se a gente podia ficar na casa dela por alguns dia (tipo assim: – oie, margareth, tudo bem? Quanto tempo.. você poderia enfiar dois marmanjos na sua casa por uma noite?), beleza… mandamo uma mensagem pra ela falando “acabamo de chegar em gold coast” e o que ela responde? IIuuuppiii!! uhaeuhaeuhae… só isso.. a gente achando que ela ia pôr algo como, beleza, vou ligar pra minha amiga ou alguma coisa assim.. ela só manda um desse… depois de uma hora, sem casa pra ficar em gold coast, resolvemos ir embora direto pra Brisbaine…

Ao chegar em Brisbaine já estávamos mais preparados… tínhamos o telefone de uma amiga de um brother que havíamos conhecidos a dois dias atrás aqui em Sydney (é, as casas que a gente arruma pra dormir são cabulosa mesmo).. chegando em Brisbane já fomos logo ligando pra coitada… mas claro, antes de ligar pra mulher vem aquela pergunta básica: Será que ela é gatinha? Yves, coitado, já não tinha muitas esperanças… na hora que ele perguntou pro nosso amigo como a menina era o cara só emendou um: EU ACHO QUE TU NÃO VAI GOSTAR MUITO!! Caralho.. o cara não emendou nem um “simpática” ou coisa parecida… foi logo um “EU ACHO QUE TU NÃO VAI GOSTAR MUITO”.. CARACA!!! DEU ATÉ MEDO NA HORA QUE O YVES ME FALOU ISSO…

Beleza, depois de dois dias dormindo em carros e, claro, fedendo mais que o quarto dos chineses (afinal estávamos sem tomar banho esses dias) recebemos a nossa primeira boa notícia… NO DIA QUE A GENTE CHEGA EM BRISBAINE ligaram numa delegacia de polícia de Brisbaine avisando que havia uma bomba implantada em um dos ônibus da cidade.. qual a atitude mais inteligente a se fazer? Claro.. a que eu tenho certeza que você pensou.. É SÓ PARAR, UM POR UM, TODOS OS ÔNIBUS DE UMA CIDADE DE 500 MIL HABITANTES e pedir pra todos os passageiros descerem pra assim podermos achar o ônibus que teoricamente estava mais bombado que o emanuelzinho.. Resultado, Brisbaine parou e no serviço que a Renata (a dona da casa) trabalha, SÓ FOI ELA!! Logo ao invés da nossa amiga sair de lá às 8 ou 9 da noite ela só ia sair 11 DA NOITE!!! Pra melhorar ainda mais a situação, no outro dia teríamos que acordar ÀS 5 DA MANHÃ, horário que a nossa amiga teria que acordar pra poder ir no seu trabalho de outro dia… E ela ainda veio com um papo de pá e tal, porque vocês não procuram um albergue? Vai ser melhor pra vocês e talz… Aí enchemos gloriosamente o nosso peito e só mandamos um digníssimo: FUDEU!! Tínhamos 3 escolhas na parada: Dormir no carro e ficar mais um dia sem tomar banho (é sério, a coisa tava ficando séria), pagar 40 dólares, por cabeça, pra dormir em um albergue fedorento ou ir pra casa dessa mulher, dormir no sofá, mas poder tomar um banho? Depois de algum tempo debatendo (afinal ainda era 8 da noite e a mulher só ia sair de lá às 11) eu e o Yves chegamos a conclusão que estávamos na merda… Mas beleza, na hora lembrei de um antigo provérbio encorajador chinês (que já é passado há mais de 5 mil anos de pai pra filho) que questiona: O que será um peido para quem já se encontra devidamente cagado? 
Optamos por ficar na casa da nossa amiga mesmo.. esperamos ela sair do trabalho e fomo

s falar com a mesma.. a menina era mó gente boa.. começamos a conversar com ela e descemos pra algumas pontes de Brisbaine pra poder tirar algumas fotos a noite e coisa parecida… quando fomos perguntar a ela sobre terça feira (o outro dia que teoricamente iríamos dormir lá) ela só responde… EU (reparem a ênfase no eu) vou para uma festa amanhã e EU vou dormir por lá, mas eu conheço um albergue bem baratinho que vocês podem ficar.. uhaeuhauehaeuehu.. pô, a mina o tempo todo queria enfiar a gente em um albergue.. conversei com o Yves e entramos de comum acordo que seria melhor caparmos logo o nosso gato e descer pra Sydney já no outro dia… quando foi de manhã, apesar de toda a nossa torcida macabra pra mulher perder o horário, acordamos 5 da manhã e fomos dar um rolê por Brisbaine.. fora alguns parques e prédios nada mais de tão interessante… destaque no ponto que estávamos procurando no mapa ALGO QUE FIZESSE VALER O ESFORÇO DE TER CHEGADO EM BRISBAINE e vimos que lá havia um tal de uma “praia artificial” (Brisbaine não tem praia). Não passava de um lugar cheio de água parada com um bando de areia em volta com no máximo 20 metros de extensão.. NEM ONDA TINHA.. apesar de não haver ninguém tomando banho naquilo, dois salva-vidas se fazia presentes para garantir os seus dólares..


Depois de nossa frustada ida à nossa praia artificial, resolvemos comprar nossa passagem e descer logo pra Sydney pra ver se pelo menos conseguiríamos nos livrar de uma falta na escola.. entregamos o carro e fomos para o Aeroporto.. chegando lá, nosso amigo Yves ainda se encontrava com um potão imenso de vinho disposto a ficar louco dentro do avião a qualquer custo… O único problema é que aqui em Sydney é passível de multa se você for pego consumindo bebidas alcoolicas no meio da rua (você só pode beber em casa ou dentro de bares)… Logo tivemos que nos esconder para o nosso querido amigo Yves terminar de entornar o seu jarro de vinho… corremos pro estacionamento do aeroporto e enquanto ele ficava bebendo eu ficava olhando procurando algum guardinha que pudesse nos arrumar problemas… O único problema é que a porra da torneira do vinho era ruim demais e, quando aberta, o vinho não fluía direito, ele meio que pingava.. quando percebemos que essa farofa (hum, farofa, que saudade!) ia levar umas duas horas pra terminar, resolvemos largar de mão e jogar o vinho fora… Beleza… corremos de volta para o aeroporto e ficamos esperando o nosso avião.. Enquanto estávamos aguardando começou a bater uma fome, resolvemos comer alguma coisa antes do avião, só pensando em comer alguma coisa antes pra depois poder completar com a comida de bordo… Quando a gente entra no avião eu comecei a ficar felizão… ôba.. o avião tem fone de ouvido, vou poder ouvir música!!! Beleza.. quando eu menos espero, passa a aeromoça com um fone de ouvido na mão, quando eu vou pedir ela só emenda.. claro.. SÃO CINCO DÓLARES!! Caraca TUDO NO AVIÃO ERA PAGO!!! Eu perguntei se tinha algo pra comer e ela só me trouxe o cardápio… 9 DÓLARES POR UMA QUENTINHA DE AVIÃO!! VOCÊ PAGARIA NOVE DÓLARES PRA COMER COMIDA DE BORDO? Caraca, que vontade de arremessar a aeromoça pela janela na hora que ela chegou com aqueles cardápios.. Refrigerante, Comida, CORBERTOR, TAPA-OLHO!! TUDO PAGO!! Destaque para um Yves muito doido, falando pra mim que ia passar a mão na bunda da aeromoça toda vez que ela passava e eu lá preocupadinho de ele realmente passar e ir todo mundo em cana.. beleza.. chegamos de boa em sydney e eu ainda dei uma passada na casa dele.. depois voltei pra casa CANSADAÇO de duas noites dormindo mal… só tomei banho (CLARO!) e capotei na cama… pensando comigo.. AMANHÃ EU VOU DORMIR ATÉ 2 DA TARDE… Ledo engano, quando foi no outro dia a agência só me liga SETE DA MANHÃ me chamando pra trabalhar… nem a tarde eu ia poder dormir, já que ia trabalhar no jogo da austrália contra o uruguai..


mas isso fica pro próximo blog porque esse já tá imenso..

abraço

Um comentário em “Dias destruidores e Crush AUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s