Saindo do emprego

Já que estou quase pra ir embora, resolvi logo avisar a chefe da doceria pra ela não ter problemas em contratar uma nova pessoa para ficar no meu lugar. Eu já estava suspeitando e depois ela me confirmou que a minha saída vai dar um problemão pra ela, já que, achar alguém que deseja trabalhar como Dishwasher, recebendo o salário mínimo, nos Estados Unidos, está cada dia mais difícil.
Existe aquele velho clichê que alguns pseudo-intelectuais sempre colocam como se fosse um fato indiscutível. Há vários empregos que “americanos não querem trabalhar” porque são muito pesados e americanos são preguiçosos e frescos, portanto não querem fazer esse tipo de trabalho. Esse pensamento tem o seu quê de verdade, mas não porque, como pregam esses imbecis (na maioria professores de História ou Geografia do segundo grau), americano é preguiçoso, mas sim porque precisa ser muito burro pra poder querer trabalhar num emprego desses sendo americano.
Para exemplificar vou falar do meu perfil assim que cheguei aqui nos EUA. Brasileiro, com inglês macarrônico, visto de trabalho legal, mas temporário. No meu primeiro dia de trabalho não tinha casa, registro de trabalho, não tinha experiência e não conhecia ninguém. Apesar de todos esses problemas, em três semanas já tinha arrumado casa e trabalho de 40 horas por semana, super sossegado e que me paga 10 dólares por hora. Agora me responda, pra que diabos um americano, com todos os documentos, que conhece várias pessoas aqui na cidade (portanto se quiser arrumar trabalho é só ir perguntando pros amigos que rapidamente pode achar), tem inglês como língua mãe e pode trabalhar aqui pelo resto da vida (uma garantia importante pra quem vai contratar) vai querer trabalhar num emprego, que é pesado como sono de surdo, ganhando 8 dólares por hora? É CLARO que eles não querem trabalhar com isso. Se nem eu, que tenho visto de trabalho temporário queria um trampo desses, pra que um nativo vai querer se meter nessa?
O mais interessante não é isso, o mais interessante é que nem os amigos que moram comigo, que só podem trabalhar ilegalmente, querem trabalhar como Dishwasher. Porque eles não querem trabalhar como lavadores de prato? Apesar de ilegais, todos falam inglês muito bem, logo podem conseguir um trabalho igual ao meu do hotel ou como caixas de loja de conveniência. O contratante também pode se dar bem, já que pode adquirir mão-de-obra extremamente qualificada, educada e com um inglês satisfatório pagando um salário mínimo (já que como estão ilegais, eles aceitam trabalhar recebendo menos). No final acaba saindo bem pra todo mundo.
Deu pra entender? É por isso que só mexicano, totalmente ilegal, que acabou de pular o muro e não fala nenhuma palavra em inglês, costuma aceitar um trabalho como esse. Eu só aceitei esse trabalho porque eu já estava quase para ir embora dos EUA e ninguém ia me contratar pra trabalhar por apenas um mês em um trabalho razoável. Ainda sim, deixei bem claro pra dona da parada, que só aceitava trabalhar lá se recebesse um pouquinho mais que o mínimo, afinal, tenho meu orgulho, né?? Hehehehe.
Isso tudo, é pra demonstrar que fechar as portas do país a imigração de mão-de-obra barata, pode levar, a curto prazo, a uma crise na economia. Se passasse no Congresso aquela lei que os republicanos queriam aplicar, de que, estar ilegal no EUA passaria a ser crime, o país ia desforra. Hoje, se você é pego ilegal nos EUA, eles apenas te colocam numa caixa e te mandam pra casa. Se ficar ilegal nos EUA fosse crime, você ia ser pego, julgado e se condenado teria que pagar uma multa ou amargar uns meses na cadeia, o que faria muita gente voltar pra casa.
Se hoje já está difícil arrumar pessoas para trabalhar em serviços caros e mal pagos, imagina como seria se todos os ilegais voltassem pra casa? Além de faltar gente pra trabalhar, eles iam precisar pagar MUITO mais caro pros americanos aceitarem trabalhar com isso (se pagassem 12 dólares por hora pra lavar prato eu largava fácil o meu trabalho de recepcionista). Imagina os fazendeiros tendo que pagar 20 dólares por hora pra ter quem trabalhe na colheita? Isso ia aumentar consideravelmente o preço final do produto deles e seria impossível competir com um país como o Brasil que o salário mínimo pago em um mês é igual ao que eles pagam em três dias de trabalho…
Simples fechamento dos portões da imigração levam ao caos. Você pode até aumentar o salário da sua população média ou de baixa qualificação, mas perde muito em competitividade. Por isso que os governos dos países desenvolvidos tentam sempre controlar e chegar a um meio termo entre bons salários e competitividade.

Um comentário em “Saindo do emprego

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s