Jakarta – Onde quase fui fuzilado de bala

Cara, como falei, Jakarta não tinha muita coisa pra se ver não. Grande centro financeiro e lugar pra se fazer dinheiro, não para se passear. Os dias em que fiquei por lá, eu ficava sempre fica perambulando pela cidade procurando o que fazer e nunca achava nada demais.
Curti essa catedral no centro de Jakarta. E’ a catedral da foto que fica em frente a mesquita
Acabou que eu só me divertia mesmo jogando bola nos parques e fliperama nos shoppings (mermão, 20 centavos de real a ficha, ACREDITA? PARAÍSO!). Mas ainda rolaram alguns fatos engraçados.
Um dia desses tava voltando pra casa, depois de uma pelada. Tava andando pelas calçadas pra poder pegar meu ônibus e sempre me esbarrava em alguém e pedia desculpas (as calçadas são lotadas de gente). Só sei que uma hora, não sabendo porque, eu virei uma esquina e comecei a andar numa calçada que mais parecia um oásis! Ninguém andando nela e sem carros por perto buzinando. Comecei a pensar o que diabos tinha acontecido. Depois de alguns segundos me deliciando com tudo o que estava ocorrendo, comecei a pensar que aquilo não deveria ser um sinal muito bom, haja vista que se não tem ninguém na calçada, talvez seja porque a calçada É PRA NINGUÉM ANDAR, caramba! Antes de eu terminar este pensamento, ocorreu o inevitável!
Quando eu menos me espanto, aparece um Indonésio de uniforme, lááá longe! O único problema é que ele tinha um rifle na mão e vinha apitando e xingando! Cara, eu não sei se vocês sabem do que eu tou falando, mas um indonésio de rifle é muito mais assustador do que uma tailandesa de faca na mão no meio da noite (post antigo do blog). O caba veio pra cima de mim numa “vula” danada, gritando mais que viuva tirando o atraso! Tomei um susto tão grande que acabei caindo sentado, literalmente, com a bunda no chão! Na hora o primeiro pensamento que me veio foi:
– Pronto, ao invés de ter escrito na minha lápide “Foi poeta, sonhou e amou na vida” como Álvares de Azevedo, eu vou ter escrito “Nascido no Maranhão, crescido em Brasília, morto na Indonésia”.
Monumento `a liberdade proximo ao local que quase fui fuzilado
E o caba xingava, doido! O bicho nervoso que só gato em dia de faxina! Eu acabei ficando mais angustiado que barata de cabeça pra baixo! Depois dele muito me xingar, eu entendi que ele tava falando pra eu sair da calçada e ir pro outro lado da rua, já que me encontrava em frente ao palácio presidencial e por razões de segurança eles não permitem que pessoas trafeguem em frente ao mesmo!
Só sei que passado o susto, cheguei vivo em casa com o meu coração ainda palpitando. Depois eu so pensei:
– Pombas, mas custava colocar uma placa?

3 comentários em “Jakarta – Onde quase fui fuzilado de bala

  1. Essa baladinha ta parecendo um baile funk hein! Olha lá no fundo as minas dançando em cima da mesa! hahahaahaha

    Curtir

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkMeu, ler esse blog tem sido a minha diversao por esses dias“Nascido no Maranhão, crescido em Brasília, morto na Indonésia”.Adorei issoSou de bsb tb, agora so falta conhecer a IndonesiaE e claro o Maranhao ( pq ele deve ser realmente lindo)BjsssE nao mais uma vezParabens pelo blog!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s