Comentários Comentados

Galera, mais uma vez desculpas por todo esse tempo sem postar.
Até o Bruno Bononi veio reclamar, como vocês podem ver aqui nesse postDomingo agora foi meu concurso, a batalha final. Como nao podia deixar de ser essa ultima semana foi um inferno e por isso nao deu pra eu postar nada. Alem disso, meu computador pifou e fique impossibilitado de postar. Instalei o Windows 7 nele e o bichinho ta rodando bem que um danado. Vou tentar pelo menos por algumas semanas retomar a normalidade dos posts. Devido ao grande numero de mensagens acumuladas, resolvi fazer uma sessao de comentarios comentados antes de postar sobre Praga.

1- Renato fez um CAMALHAÇO de perguntas:

Renato has left a new comment on your post “Comentário Comentados“:

Claudiomar, vou fazer ma viagem como a sua, então se vc puder me tirar umas dúvidas, ia ajudar muito.
1- Para ir de um país para o outro, como você fazia para conseguir os vistos? em cada país, vc ia na embaixada do país seguinte? como descobria onde ficavam as embaixadas? tem algum site com essas informações? por exemplo, se vc tava no vietnã e o próximo país seria o nepal, como você descobria onde conseguir o visto para o nepal?
2- quais foram todos os pontos de escala da sua passagem de volta ao mundo? não consegui achar n os arquivos…
3- além do japão, vc sabe de outro país que seja preciso tirar o visto aqui no brasil?
4- tem como vc fazer um resumo do que tinha na sua mala? por exemplo, vc ia lavando suas roupas toda semana? porque imagino que vc não tenha levado um monte de camisetas, meias e cuecas…
Enfim, desculpa as perguntas que pra vc podem parecer bobas, mas tô com essas dúvidas, e como minha viagem vai ser muito parecida com a sua, ninguém melhor que vc pra tirar essas dúvidas…
valeu desde já… e aguardo tua ajuda… abraço

a) – Renato, a maioria dos paises que visitei eu nao precisava de visto. Quando precisava, eu tirava na fronteira ou no aeroporto mesmo. Os unicos paises que eu precisei tirar visto com antecedencia foram os EUA, Vietna, India e Jordania. Mas isso é de boa, é só você ir em qualquer agência de turismo no país que você estiver que eles te informam certinho e te ajudam com isso.
b) – Escalas? Éguas cara… As 15 cidades que da minha passagem de volta ao mundo foram São Paulo- Los Angeles – Honolulu – Seul -Hong Kong – Bangkok – Delhi – Estocolmo – Varsóvia – Istambul – Capital da Eslovênia – Viena – Cairo – Zurique – Barcelona – Portugal – Brasília
c) – Tirar visto daqui do Brasil só o Japão mesmo
d) – Resumo da minha mala? Uma camisa de frio, uma calça jeans, cinco pares de meias, três calções, cinco camisas, sete cuecas, produtos de higiene pessoal, passaporte e livrinho de anotações.

2 – Mariana perguntou:

Nada a ver com o post, mas queria te perguntar uma coisa…
Estou indo pra India sozinha em outubro e queria saber se vc acha tranquilo eu viajar sozinha por lá. Já ouvi algumas histórias, mas será que tenho motivos pra me preocupar?
Desde já agradeço!
E parabéns pelo blog!

R – Mariana, as pessoas cansam de me perguntar isso e eu canço (canço com ç mesmo. Fui alfabetizado em inglês) de responder. Perigoso é o Brasil. Conheci dezenas de meninas viajando sozinhas pela Índia e elas me disseram que nunca tiveram problemas algum. O máximo de problemas que ocorreram com elas foram de alguns indianos querendo dar em cima delas, mas nunca de assédio sexual forte. Motivos pra se preocupar? Os únicos motivos que você deve se preocupar são com os lugares que você vai dormir, se são higiênicos, e, principalmente, com o que vai comer. Há uma piada que os mochileiros que viajam pra Índia contam que diz que em menos de uma semana na Índia já é possível conhecer a tal da “Delhi Belly” (barriga de Delhi), que é uma dor de barriga miserável que as pessoas costumam pegar assim que começam a comer as comidas da Índia e do Nepal. Mas tirando isso, não há muito do que se preocupar, apenas prepare-se para as dezenas de golpes que as pessoas tentarão aplicar em você todos os dias.


Bruno Bononi
I’m back!!!

\o/

Velho, de boa, eu tenho várias teorias mal formatadas sobre essas preserpadas envolvendo pessoas com dois cromossomos X:

i) Todas essas paradas aconteceram de verdade, mas você não publica no teu blog para não ficar veio para (ou com a ) tua patroa [sendo que ela sabe das histórias];

ii) As paradas aconteceram, tu pegou as minas, mas fica de bico fechado para a sua moça não descobrí-las;

iii) As paradas não aconteceram p. nenhuma e tu só faz graça aqui com os leitores para pagar de maranhense sexy latino…

iv) Tu narrou os acontecimentos exatamente como ocorridos (há!), demonstrando assim ser um homem de grande caráter, mas cujo saco deve estar latejando de dor desde então…

hehehehehe

Sério, por mais que tu não quisesse nada, teu organismo responde de uma maneira pré-programada e qualquer homem sabe qual a sensação (biológica) de ficar numa belo vácuo, no sentido depravado da palvra.

Eu pessoalmente acredito mais na teoria 4. 😉

Abraços fia.

Ps. postei na tua comu do orkut.

Ps2. O retorno triunfante aos comentários pede comentários gigantes. ^^;

 

Comentários Comentados

1 – Rita Araújo comentou no post “E mais uma noite em Bratislava”:

Eu acho que tu é que não sabes sambar muito bem …eheheh lol estou a brincar =D

Em relação a só encontrares rapazes que leem o Blog…pura coicidência. Pois também tens raparigas que o leem eheh.

Também fiquei curiosa por saber o que era aquele fogo todo =P

Beijos

R – Rapaz, rapariga é sempre algo que a gente anda procurando no Maranhão. Coisa boa demais, nesse mundo!! Agora sabendo que até rapariga já lê meu blog, agora é que a putaria desenfreada vai rolar mesmo! Hehehehehe

P.s: Brincadeirinha, gente! A menina é portuguesa. Rapariga em Portugal não tem o caráter depreciativo que tem aqui no Brasil. Rapariga por lá é basicamente o feminino de rapaz. Me lembra quando eu tava em Portugal e uma amiga minha viu uma foto de minha namorada e me falou: – Nossa, que rapariga bonita!! Tive que lembrar que estava em Portugal pra não sentar a mão nela.. uhaeuheauhaeuahe

2.1 – Anônimo comentou na nos comentários comentados:

ótimo blog! bons comentários!

postando so pela emoção de comentar os comentarios ja comentados kkk…

se ele comentar isso aqui, vai virar um comentário do comentário dos comentários ja comentados, ja pensou? e esse ciclo é infinito, nao tem vocabulo na gramatica que me segure, meu amigo!

2.2 – Rita Araújo comentou no post sobre Budapeste:

Este homem é um espetaculo eheh…não morre lá no belo do tunel (ou levaste alguma mascara de oxigénio contigo????), ensina Salsa ao povo…é muito à frente eheh

Encontraste um compatriota meu eheh, tem mesmo cara de Tuga =D, a gente nunca engana lol

Beijossss

p.s. Já estava com saudades de ler as aventuras pá! =P

R – Eu vou dominar o MUNDO!! HUA HUA HUA (Risadas Maquiavélicas!!). E sim, virou um comentário do comentário dos comentários!! Isso é uma onda sem fim, amigo!

3.1 – Anonymous perguntou no post “E mais uma noite em Bratislava”:

vc não explicou o que é aquela coisa muito louca tocando fogo na terceira foto, fiquei curioso

3.2 – E Anonymous respondeu:

O palco pegando fogo:

http://www.youtube.com/watch?v=mDoODQ_6fD8

O nome do Pub em Bratislava é Alligator

R – Rapaz, eu acho muito engraçado quando essas coisas acontecem. De um cara deixar um comentário e vir logo outro embaixo pra poder responder. Essa do Pub, do cara saber o nome do lugar e ainda postar vídeo, confesso que me deixou meio impressionado 😉

4.1 – Bruno Bononi comentou no post”Hungria”:

Bacana o layout novo do Blog. Gostei Claúdio.

Ah, e se valer uma correção, você mandou uma redundância linda no início do texto. Hungria é um país europeu situado na europa, coisa do gênero.

E como você se esqueceu do John von Neumann como grande personalidade húngara? Se não fosse por ele, este blog, ou mesmo esta viagem não teriam existido!

hehehe

Só enchendo o saco mesmo. Procurei na Wikipedia para confirmar uma outra pessoa e descobri que o Von Neumann era húngaro, sem querer querendo.

^^

http://pt.wikipedia.org/wiki/Von_neumann

4.2 – Rita Araújo respondeu no mesmo post:

O que ele disse no inicio foi que a “Hungria é um país Europeu situado na Europa Central” lool.. Está bem escrito Bruno =P

Tavas distraido a ler =P

R – Professor Pasquale ficaria orgulhoso. Vai lá, agora corrige ela, tigrão!!! Eles que inventaram a língua!! Quero ver ter argumento agora!! uhaueheauheuhae

Oh Bononi!! Mas é claro! Como pude me esquecer do grande Von Neumann!?!? Um dos caras mais importantes da história da matemática. Valeu, Bruno, por ter citado o bicho!! Como eu podia ter esquecido!!

P.s: Alguém já ouviu falar deste corno na vida? Von Neumann?? Isso parece até nome de alemão! Nunca tinha ouvido falar, hehehe!!!

5 – Diego P. Rodrigues perguntou acerca desta camisa abaixo:

Onde é que tu arranjou essa camisa? kekekekeke Onde comprar? 😀

R – Taílândia, meu caro 😉

6 – Rob comentou no post “Hungria”:

Claudiomar, não sei se você já comentou, mas acho que o mais difícil nessa volta ao mundo toda não foram os apertos para conseguir cama e carona, nem as viagens pau-de-arara da Indochina ou do Oriente Médio, muito menos as gafes e as situações tensas ou estressantes.

Diga lá, o pior foi viajar sozinho a maior parte do tempo! Não foi não?

Cara, até eu que sou nerd quietão e tal ficaria deprimido se não tivesse alguém para poder comentar os causos na hora (ou até para ajudar, já que duas cabeças pensam melhor que uma), mas imagine você que é um esteriótipo de brasileiro extrovertido e boa praça. Diga lá, pessoas como a coração gelado e a polaca te salvaram a vida naqueles períodos da viagem né?

R – Cara, pior que não foi problema não. Eu viajava sozinho, mas sempre que chegava numa cidade nova conhecia alguém do Couchsurfing local e aí era só alegria. Eu viajava sozinho, mas a maioria do tempo eu sempre estava cercado de uma pancada de gente. Por isso que sempre era sussa… Como você mesmo falou, a Coração Gelado e a Gosia eu conheci por causa do Couchsurfing, né? 😉

1 – Rita Araújo comentou no post “E mais uma noite em Bratislava”:

Eu acho que tu é que não sabes sambar muito bem …eheheh lol estou a brincar =D

Em relação a só encontrares rapazes que leem o Blog…pura coicidência. Pois também tens raparigas que o leem eheh.

Também fiquei curiosa por saber o que era aquele fogo todo =P

Beijos

R – Rapaz, rapariga é sempre algo que a gente anda procurando no Maranhão. Coisa boa demais, nesse mundo!! Agora sabendo que até rapariga já lê meu blog, agora é que a putaria desenfreada vai rolar mesmo! Hehehehehe

P.s: Brincadeirinha, gente! A menina é portuguesa. Rapariga em Portugal não tem o caráter depreciativo que tem aqui no Brasil. Rapariga por lá é basicamente o feminino de rapaz. Me lembra quando eu tava em Portugal e uma amiga minha viu uma foto de minha namorada e me falou: – Nossa, que rapariga bonita!! Tive que lembrar que estava em Portugal pra não sentar a mão nela.. uhaeuheauhaeuahe

2.1 – Anônimo comentou na nos comentários comentados:

ótimo blog! bons comentários!

postando so pela emoção de comentar os comentarios ja comentados kkk…

se ele comentar isso aqui, vai virar um comentário do comentário dos comentários ja comentados, ja pensou? e esse ciclo é infinito, nao tem vocabulo na gramatica que me segure, meu amigo!

2.2 – Rita Araújo comentou no post sobre Budapeste:

Este homem é um espetaculo eheh…não morre lá no belo do tunel (ou levaste alguma mascara de oxigénio contigo????), ensina Salsa ao povo…é muito à frente eheh

Encontraste um compatriota meu eheh, tem mesmo cara de Tuga =D, a gente nunca engana lol

Beijossss

p.s. Já estava com saudades de ler as aventuras pá! =P

R – Eu vou dominar o MUNDO!! HUA HUA HUA (Risadas Maquiavélicas!!). E sim, virou um comentário do comentário dos comentários!! Isso é uma onda sem fim, amigo!

3.1 – Anonymous perguntou no post “E mais uma noite em Bratislava”:

vc não explicou o que é aquela coisa muito louca tocando fogo na terceira foto, fiquei curioso

3.2 – E Anonymous respondeu:

O palco pegando fogo:

http://www.youtube.com/watch?v=mDoODQ_6fD8

O nome do Pub em Bratislava é Alligator

R – Rapaz, eu acho muito engraçado quando essas coisas acontecem. De um cara deixar um comentário e vir logo outro embaixo pra poder responder. Essa do Pub, do cara saber o nome do lugar e ainda postar vídeo, confesso que me deixou meio impressionado 😉

4.1 – Bruno Bononi comentou no post”Hungria”:

Bacana o layout novo do Blog. Gostei Claúdio.

Ah, e se valer uma correção, você mandou uma redundância linda no início do texto. Hungria é um país europeu situado na europa, coisa do gênero.

E como você se esqueceu do John von Neumann como grande personalidade húngara? Se não fosse por ele, este blog, ou mesmo esta viagem não teriam existido!

hehehe

Só enchendo o saco mesmo. Procurei na Wikipedia para confirmar uma outra pessoa e descobri que o Von Neumann era húngaro, sem querer querendo.

^^

http://pt.wikipedia.org/wiki/Von_neumann

4.2 – Rita Araújo respondeu no mesmo post:

O que ele disse no inicio foi que a “Hungria é um país Europeu situado na Europa Central” lool.. Está bem escrito Bruno =P

Tavas distraido a ler =P

R – Professor Pasquale ficaria orgulhoso. Vai lá, agora corrige ela, tigrão!!! Eles que inventaram a língua!! Quero ver ter argumento agora!! uhaueheauheuhae

Oh Bononi!! Mas é claro! Como pude me esquecer do grande Von Neumann!?!? Um dos caras mais importantes da história da matemática. Valeu, Bruno, por ter citado o bicho!! Como eu podia ter esquecido!!

P.s: Alguém já ouviu falar deste corno na vida? Von Neumann?? Isso parece até nome de alemão! Nunca tinha ouvido falar, hehehe!!!

5 – Diego P. Rodrigues perguntou acerca desta camisa abaixo:

Onde é que tu arranjou essa camisa? kekekekeke Onde comprar? 😀

R – Taílândia, meu caro 😉

6 – Rob comentou no post “Hungria”:

Claudiomar, não sei se você já comentou, mas acho que o mais difícil nessa volta ao mundo toda não foram os apertos para conseguir cama e carona, nem as viagens pau-de-arara da Indochina ou do Oriente Médio, muito menos as gafes e as situações tensas ou estressantes.

Diga lá, o pior foi viajar sozinho a maior parte do tempo! Não foi não?

Cara, até eu que sou nerd quietão e tal ficaria deprimido se não tivesse alguém para poder comentar os causos na hora (ou até para ajudar, já que duas cabeças pensam melhor que uma), mas imagine você que é um esteriótipo de brasileiro extrovertido e boa praça. Diga lá, pessoas como a coração gelado e a polaca te salvaram a vida naqueles períodos da viagem né?

R – Cara, pior que não foi problema não. Eu viajava sozinho, mas sempre que chegava numa cidade nova conhecia alguém do Couchsurfing local e aí era só alegria. Eu viajava sozinho, mas a maioria do tempo eu sempre estava cercado de uma pancada de gente. Por isso que sempre era sussa… Como você mesmo falou, a Coração Gelado e a Gosia eu conheci por causa do Couchsurfing, né? 😉

Comentários Comentandos

Cara, essas histórias de Bratislava tão dando pano pras mangas, né? Mermão, como teve gente comentando nesse post, principalmente pra me zuar, claro.

Comentários sobre o “gato vegetariano”

1 – Paulistana has left a new comment on your post “Couch em Bratislava“:

Claudio, pode ser que o gato dela comia ração vegetariana, já ouvi falar disso. Verdade que vc nao perguntou pra ela se ele comia carne ou nao? Fiquei curiosa.

E dá vontade de ir pra lá só pra conhecer essa balada, que foda!

Abs paulistanos

2 – Bruno Bononi has left a new comment on your post “Couch em Bratislava“:

Cara, por mais favorável que eu seja ao vegetarianismo/veganismo, preciso admitir:

O povinho chato!! Puta merda. Não poder sequer comer carne na casa da mulher é foda. Tipo, será que ela leva REALMENTE uma vida 100% vegan? Não consome nada de origem animal?

E se a cidadã realmetne força o pobre do gato a mesma dieta, ela é uma imbecil.

No mais, puta idéia genial uma balada num bunker. Mas a parada tinha alguma ambientação que lembrava a um bunker/ abrigo anti-guerra nclear, ou era uma balada “normal”?

Abraços

3 – A torneira ficava sempre aberta ou o gato tinha hora para beber água??? [2]

outra: o que o gato comia, afinal?

R – Cara, eu realmente esqueci de perguntar na hora pra ela essa parada. Beleza, ela é vegetariana e talz. Mas e o gato dela, o que ele comia? Eu não sei se ele comia ração de origem animal não, mas do jeito que a mulher era fanática (me lembrou um couch que eu fiquei em goa), eu não duvido que ela tivesse achado alguma ração vegetariana apenas para gatos. E outra, a torneira não ficava aberta não. O gato dava um jeito de beber água em algum lugar e, caso houvesse alguém em casa, o gato quando queria beber água, ficava do lado da pia esperando que alguém abrisse a torneira para ele beber. Era engraçado como ele sabia que alguém abriria a torneira pra ele caso ele ficasse na pia.

E sim, a balada no bunker foi doida demais…


4 – maricotinha has left a new comment on your post “Couch em Viena”:

O que você vai fazer quando terminar de escrever no blog? Cair na estrada de novo?

R – Bem, primeiramente estudar pra concurso. Passando, volto a viajar novamente 😉


Comentários sobre a “maneira de acordar” na Eslováquia..

5 – G.Aragao has left a new comment on your post “Couch em Bratislava“:

Eai Claudiomar….

No apice da estoria vc vem de novo vem com essa de deixar para a prox!!! PQP assim vc vai a galera de curiosidade.

Eai qual vai ser?

1) pegou as duas

2) Pegou uma de cada vez?

3) pegou soh uma?

4) dormiu abracadinho com o gato e o Hugo??

heheheh

Abracao

6 – Name has left a new comment on your post “Couch em Bratislava“:

Claudiomar acordará desorientado junto com o seu velho amigo e amante que ja estava esquecido nas suas memorias, o kanguru que havia estrupado ele e sua amiga

7- Anônimo comentou:

resposta da pergunta acima:

dormiu abracadinho com o gato e o Hugo

(ele tem namorada, galera! Não sei o que aconteceu por lá, porém – pelo menos na história oficial – será esse o desfecho)

R – Cara, é engraçado como esses posts mexem com o imaginário da galera. É cada um que me aparece. Até o canguru neguinho achou de postar nos comentários… Pra quem não entende nada sobre esta história do Canguru, favor checar os comentários deste post.

8 – E por último, Bruno Bononi has left a new comment on your post “Acordando na Eslováquia”:

“(…) Pense que nos desenhos animados, quando alguém está nervoso, eles sempre dão a dica de imaginar que todo mundo está pelado. Pode ser que dê certo…’. Tentei fazer isso, mas depois de uns dois minutos, er… digamos, diria que não ajudou nem um pouco… O jeito foi pedir licença e inventar pra elas que ia tomar um banho…”

Sei… banho. Maranhense negando fogo para tudo o que era européia, tava numa seca desgraçada (o canguru não ligara mais desde então), se depara com duas eslovacas semi-nuas e começa a imaginá-las peladas. Detalhe que tinha acabado de acordar, e é de conhecimento popular que muitas vezes nós homens acordamos em “estado de continência”.

Sei o que você foi fazer nesse “banho” Sr. Claudiomar. Deve ter deixado o colega de viagem em carne viva.

Isso mais o episódio da mina tendo orgasmos com a tua poderosa massagem deve ter garantido suas noites solitárias pelo resto da viagem, só rebocando a parede dos banheiros alheios.

hehehehe

Só tu mesmo…

Abraços

R – E precisa de comentários?? hehehehe…

Comentários Comentados

1) Contra comentou/perguntou no post sobre Roma:


Nossa, andar de moto ess adistância toda??

Isso que é pique…

E pdoe ter certeza, a idéia de ir caminhando, já deve ter sido cogitada.Já já você encontra alguém huahua.

E po Claudiomar, não me respondeu uma pergunta que fiz la nos posts do Líbano.
Você sofreu algum tipo de discriminação ou agressão pro parte de nacionalistas/neo nazistas em algum momento da viagem??

R – Cara, foi mal por não ter respondido a tua mensagem antes. Algumas pessoas fazem perguntas, eu deixo pra responder depois, embola tudo e no final acaba que eu esqueço de comentar umas perguntas por aí. Foi por isso.

Mas então, “Contra”, respondendo sua pergunta. Cara, eu não cheguei a sofrer qualquer tipo de problemas com neonazistas quando estava viajando não. Pra falar a verdade eu não lembro é nem de ter visto algum deles por todos os países que viajava. Indo mais longe ainda, acho que a única vez que realmente lembro de ter visto alguns caras metidos a skinheads, neo-nazistas ou algo assim na minha vida foi uma vez quando estava numa praia no Maranhão e começou a passar uma parada gay por lá. Lembro que a gente ficou assistindo a parada (velho, é algo bem engraçado) e depois de um tempo apareceram uns caras, que eu não tenho A MÍNIMA IDEIA de onde, com umas roupas cheias de espinhos, cabelos raspados e começaram a seguir a parada de uma maneira meio provocativa, mas nada ocorreu. Isso foi uma ÚNICA vez, no MARANHÃO, que eu vi algo parecido e depois nunca mais. Eu achei até engraçado isso. Viajei pela Europa, pela Alemanha e nunca me senti um dedo ameaçado, mas no Maranhão essas figuras me aparecem. Não sei, acho que a mídia meio que exagera demais acerca dessas paradas de neo-nazistas na Europa. Uns três ou quatro malucos resolvem fazer uma passeata ou algo assim, os holofotes caem em cima deles e lá vai a gente ficar com medo. Neonazistas tem em todo canto, até em Israel, dá só uma olhada nessa reportagem aqui. Eu acho que é por isso que algumas pessoas tem algum receio. O único país que eu ouvi falar que parece que você precisa ter cuidado quando viaja é a Rússia, principalmente Moscou, mas isso eu só ouvi falar.

2) @Ronaldo_Castor comentou no post de “Florença” sobre o fato de eu ter preferido ir dormir do que descer pra ir ver uma mulher que estava embaixo do prédio e que provavelmente queria me dar uns pegas:

Maranhão… não necessariamente nesta ordem:


1º – a mulher do cara do absinto (até compreensível);
2º – a “lésbica” que viajava com você;
3º – Espanhola dando moral e vc não desce…

Sei não… acho que o tal do guaraná jesus ta virando fanta mesmo

hehehehe
Abraço

2.1) Junior também comentou”:


Rapa… teu histórico com a mulherada na viagem ta afro-brasileiro…
DORMIR? mulher no ponto, so pra vc correr pro abraço e tu QUER dormir? eh pra kbar… ehui aeh aeiuhaeiaeh

R – Cara, eu vivo dizendo que o fato de eu escrever sobre as minhas “não-pegadas” na Europa vão acabar me rendendo fama de baitola aqui por esse blog. Essa galera não perdoa mesmo. Mas enfim, eu falei e repito, eu não me arrependo nem um pouco de ter deixado de ir lá embaixo pra poder ficar com a mulher. No outro dia estava bem disposto em Veneza e foi super da hora! Se pudesse faria de novo! E pode me chamar de viado o tanto que quiser, hahahaha.

3) Laíse has left a new comment on your post “Encontros inusitados“:

Eu sou menina e já faz um bom tempo que eu leio seu blog 😀 se a gente se esbarrar por aí pode ter certeza que eu tiro foto contigo hehehe, aproveitando que é o meu 1º comentário aqui posso te perguntar se foi difícil largar o teu emprego pra começar a viajar?? porque agora eu to parada mas talvez essa semana eu já comece a trabalhar numa empresa onde eu tenho chance de progredir…mas assim como vc eu tenho esse sonho de volta ao mundo, então uma hora eu vou ter que escolher…eu sei que emprego publico da pra ficar afastado por 2 anos mas privado no way…


Que conselho vc me daria??


Abraços Gaúchos pra ti 😀

R – Olha só, rapaz! Não é que mulher também lê esse blog aqui? Então, Laíse, você não deixou muitas informações acerca de você, mas presumo que você seja uma pessoa jovem. Laíse, você nem trabalhando está e está com receio de sair viajando por aí? Ãhn? Como assim!?!?!?? Sério, essa é a hora perfeita pra você botar a mochila nas costas e sair por aí viajando. Se não for agora vai ser quando? Quando você tiver casada? Com filhos? Quando estiver idosa? Acho que às vezes a gente fica postergando as coisas que queremos fazer por um receio que nem sabemos qual e quando vemos, a vida já passou. É sempre bom lembrar que a vida não é tão longa e cada dia que passa você adquire mais responsabilidades. Vai, viaja! Quando você voltar você consegue outro emprego! Você vai ter uma experiência de vida impressionante além de que vai voltar falando um inglês rasgado, o que é muito valorizado num país que é MUITO difícil achar alguém que fale uma segunda língua. Eu não pensaria duas vezes se fosse você. Quando chegar, você vai ficar um pouco na merda, como eu fiquei, mas vê que depois você estabiliza sua vida novamente e já vai querer voltar a viajar 🙂


4) Marcos has left a new comment on your post “Áustria“:

Tinha que ser um nordestino mesmo para não achar nada demais em Viena.

4.1) Bruno Bononi has left a new comment on your post “Áustria“:

Só uma pequena correção aí caro Maranhão.

O Beethoven (Estou falando desse homem aqui http://en.wikipedia.org/wiki/Ludwig_van_Beethoven ) nasceu na Alemanha. Atual cidade de Bonn, que por sinal foi capital da Alemanha Ocidental durante a Guerra Fria.

A época do nascimento, pelo que li, lá era o Sacro império Germânico.

No mais, puta merda, falar que Viena é só mais uma cidade européia é mesmo foda. Teu negócio é mesmo um burrico, um canguru apaixonado. Ou mesmo um indiano bem bigodudo.

hehehe =P

Abração

R – Cara, esse post eu achei até engraçado. Tiveram três comentários e os três foram só pra me xingar pelo o que eu falei de Viena. De eu não ter gostado de lá e não ter achado nada demais. Eu vi que todo mundo me xingou e o caramba, mas ninguém acabou falando o que de tão fantástico tem por lá. Ainda fico esperando o que há pra um mochileiro fazer de tão interessante naquela cidade. Ir a cafés? Óperas? Balés? Desfiles de Moda? Museus de Arte Moderna? Ah, pera lá, cara! Viena pode até ter um outro prédio legalzinho pra se bater uma foto, mas nada que se compara com os outros locais que eu passei e que já postei no blog. Viena tem show de ping-pong? Tem construções milenares? Tem uma pirâmide no meio da cidade como em Cairo no Egito? Dá pra mergulhar no meio de recifes como em Ko Tao na Tailândia? Tem visões de perder o fôlego como em Bali? O que diabos tem nessa cidade que valeria eu pagar uma passagem de avião direto do Brasil pra lá pra poder passar uma semana? Não tou falando que não vale a pena visitar. Se você tiver ali pelo caminho, vale até dar uma passada, mas mudar todo o roteiro como eu fiz pra poder viajar a Bali ou faria pra viajar a Dubai aí já é demais, né? Por essas e outras que eu falo, Viena pra mim é só mais uma capital européia. Bate uma foto de uma igreja gigantesca aqui, um ou outro palácio ali e segue, próxima cidade. Nada que me faria suspirar ou ter planos de voltar pra lá um outro dia.

E sim… Eu confundi Mozart com Beethoven. Mozart que é austríaco… Falha nossa! 🙂

Obs: Tirinhas da piada do Djalmão, não sei quem já conhecia…

Comentários Comentandos

A Paulistana disse tudo.

hehehehehe

Cara, deixa eu te fazer um pergunta. Mas o negócio é sério mesmo, daí se quiser esponder na sessão “Comentários Comentados” ou por outro meio, agradeceria de verdade.

Ano que vem pretendo passar uns 5/6 meses na Alemanha, estudando lá (intercâmbio pela Faculdade mesmo). Daí o lugar que eu pretendo ir já vi que é meio embassado de arranjar moradia estudantil.

Daí, pão-duro/pore como sou, estive matutando: será que rola de conseguir moradia via couch surifing por quase meio ano?

No caso, lá na região de Frankfurt, vi que é bastante movimentado no http://www.couchsurfing.org mas 6 meses eu tô ligado que é embassado.

Enfim, la pergunta: na tua experiência (melhor brazuca rankiado), você acha que rola de descolar um couch desses? Ou um bem bolado, do tipo eu ajudar nas despesas extras, ou conseguir uns 2 por 3 meses…

Só.

De resto valeu a menção lá nos Comentários Comentados.

E Parabéns atrasado. O/

Abração

R – Cara, isso é um negócio meio complicado. Couchsurfing em si é uma ferramenta mais para algo temporário, pra quem tá viajando e talz. Eu já vi história de neguinho hospedando alguém por até dois meses (eu mesmo hospedei um cara um mês e meio), mas isso é meio raro. Eu diria até impossível, se tu não conheceres a pessoa. Um semestre já não é mais um “intercâmbio de culturas em si”. Um semestre é já MORAR com a pessoa. Aí eu já acho inclusive abuso. A maioria da galera do couchsurfing, pelo o que eu pude ver, acha que o ideal é que alguém peça um couch com duas semanas de antecedência e queira ficar entre quatro ou cinco dias (de preferência fim de semana). Geralmente mais do que isso a galera já começa a embassar..

2 – Flávia perguntou:

Olá Claudiomar,

Eu irei para o Egito em julho e não sei se até lá vc já vai ter postado sobre esse país, então eu já gostaria de te peguntar se vc me indica algo em especial para fazer lá, algum lugar específico pra ir, se vc tem alguma dica e tal… com excessão das coisas básicas como visitar as pirâmides, ver os camelos…

Abraços,

Flávia

R – Cara, se eu pudesse indicar um lugar, com certeza eu diria pra você ir a Dahab. É uma cidade egípcia que fica no Mar Vermelho. Eu achei MUITO da hora. Foi um dos melhores mergulhos que eu pude fazer enquanto estava viajando. Além dela, também, claro, gaste MUITO tempo em Cairo. Fique, quatro, cinco, seis dias caminhando pelos cafés da cidade, suas mesquitas milenares, sua história latente em cada esquina. Cairo por muito tempo foi considerada a capital do mundo islâmico, rivalizando até com Meca e Medina. Portanto, tempo lá você não vai perder. Há também Alexandria, que eu não fui, mas ouvi falar bem dela.

3 – Anônimo perguntou:

Se foi Outono, então, provavelmente entre final de setembro inicio de outubro. Pois não parece muito frio.

Mas, na independente de vc te passado o rodo ou não nas loira. As minas dão mole pros latinos? mas na real, Polonesa, Thecas… é moleza arrastar na baladas?

Para um paraiba, do teu naipe, quais as chances de se dar bem. De cada dez tentativas, quantos tocos vai tomar?

R – Cara, um maranhense, desse naipe aqui, 1,60m de pura emoção. Pode colocar aí que você se surpreenderia… E sim, cara, elas dão um certo mole pra gente. Quando entramos na balada costumamos até chamar a atenção, se for com uma camisa do Brasil então… Lá todo mundo é meio que muito parecido. Branquelão mesmo. Quando aparece um maranhense, moreno de cabelo escuro, rapaz… Fica mais bandeado que peru em véspera de Natal. Vai por mim, lá é bem legal…

4 – Júnior comentou:

ehuie he ih eiuhe e… Cara na europa… um bando de mulhe do lado e quer ficar dormindo… tem gente que só batendo mesmo =P

4.1 Anônimo comentou:

Maranhão

é melhor vc mandar um post novo pois os kara vão ficar te zoando.

Tambem, vc dar motivo, não pega as gringa ainda fica de graça com jumentinho, ovelhinha… A galera da tua região já tem fama de gostar de uma cabritinha

R – Rapaz, olha como esse povo é maldoso… Eu tenho que tomar cuidado com as palavras quando escrevo por aqui. Qualquer deslize, neguinho já chega matando. Não se pode estar cansado, que você é baitola!Não pode se envolver em atividades lúdicas nas montanhas da Eslovênia que a galera já acha que você tá querendo fazer um jumentinho a tucupi. Sério, eu acho que vou eu ter que flexibilizar uma das regras do meu blog, que é de não falar das meninas que apareceram por aí, porque senão vão acabar achando que eu sou é viado… Ou Zoófilo…

Tá, mas não vou mentir… Eu ri bastante desses comentários… Hahahahahah. Pra quem não sabe das fotos que eles estão comentando, vão elas abaixo:

5 – Guilherme Aragão comentou:

Eai Claudiomar!!

Estive sumidos dos comentarios e dos comentarios comentados, mas queria avisar que estou de volta!!! Passei uma semana lendo os posts antigos e agora ja estou a par do Blog!!

Como sempre… super interessante/engracado e informativo!!!

Abracao
GAragao


R – Seja bem-vindo, rapaz. Achei que você não estava mais lendo o blog 😉

Comentários comentados

1 – Bruno Bononi comentou:

Pergunta meio óbvia (ok, pergunta TOTALMENTE óbvia e desnecessária), mas mandarei só pelo humor:

Não rolava o esquema carona amigo que você usou lá na Polônia/Leste Europeu?

Tipo, dispensava o turco mala e usasse a minazinha eslovaca como chamariz, ia angariando caronas até Istambul.

^^

Qualquer diferença sócio-cultural entre Polonia e a região fronteiriça entre Síria e Turquia é desprezível no exemplo.

hehehehehe

Abraços fi

R – Rapaz, se eu tivesse uma eslovaca como chafariz, acho que a última das minhas intenções seria descer com ela pra Istambul, não acha? Acho que eu iria procurar era ficar logo com ela lá pela Europa Oriental mesmo, hehehe. Além do mais, é complicado pra quem possui passaporte brasileiro ir da Europa Oriental para Istambul de carona. Os países no caminho não mais pertencem à União Européia e por isso precisaria de vistos para alguns lugares. Por isso foi mais fácil fazer isso de avião mesmo 😛

2 – Anônimo comentou no post “Eslovênia”:

Essa viagem parece o livro Mil e uma noites… não acaba nunca, rs!

R – Rapaz, e se eu te falar que provavelmente agora que chegamos na metade dos posts, você acredita?

3 – Janine comentou no post: “Procurando lugar pra ficar em Beirute…“:

oi
Já faz algum tempo que eu acompanho o blog, mas não tinha postado. Só que dessa vez não dava para deixar passar. É que eu acho que conheço o cara que vc conversou no bar. Qndo eu estava no colégio, tinha um cara que dirigia a oficina de jornalismo que eu participava. Ele tinha descendência libanesa, tava fazendo jornalismo na época e agora ele era correspondente da BBc no Líbano. Ah o nome dele era Tariq Saleh. Será que é o mesmo?…

R – Caraca, Janine, tu acreditas que é ele mesmo?? Coloquei o nome dele no google e acabei achando uma entrevista que ele concedeu e algumas fotos. Rapaz, é o bicho mesmo!! Coincidência, né?? Ta aí o nome do cara que eu falei no post sobre Beirute, galera. Acabei me encontrando com o grande “Tariq Saleh”, as fotos vão abaixo e o link da entrevista é esse aqui:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/treinamento/ult76u351458.shtml.

O cara é tão chique que até verbete na wikipedia ele tem, se liga: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tariq_Saleh\

4 – Anônimo comentou no post “Problemas com tradução”:

MARANHÃO VC AINDA TÁ VIVO????????????

Jota09 perguntou no post “Problemas com tradução”:

Cara, faz tempo que acompanho seu blog e queria fazer uma pergunta. Estou planejando fazer uma viagem como a sua, só que menor. Meu roteiro é Indonésia, Malásia, Tailandia, Camboja, Vietnã, Laos, Burma e Índia. Desculpe pela pergunta indiscreta, mas quanto você gastou mais ou menos nestes países? Parabéns pelo seu blog e vê se para de sonhar com o kanguru e seja mais ”ativo”no seu blog.

Abraço

Anônimo comentou no post sobre Istambul:

Sem comentarios…

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ

R – Cara, esses dias realmente eu andei vacilando com vocês. Esse último mês foi realmente bem complicado. Teve uma vez que eu deixei um intervalo entre os posts de quase uma semana e meia e outro de mais de uma semana. Bem, eu não sei se isso pode resolver alguma coisa, mas o fato é que eu tenho que pedir desculpas. Esses últimos dias foram um tanto quanto complicados aqui. Estava estudando forte pra um concurso do Ministério do Planejamento e não obtive êxito. Depois que saiu o resultado eu realmente fiquei bem chateado e passei alguns dias sem querer fazer nada. Só ficava em casa deitado, vendo TV, dormindo e coisas assim. Fiquei bem abatido e não estava muito a fim de fazer nada. Depois de um tempo assim, que ocorreram ao mesmo tempo dos atrasos nos posts, que eu fui reparando que se continuasse dessa maneira o máximo que eu conseguiria era entrar em depressão ou ficar mais gordo do que estava. Por isso esses dias eu resolvi dar uma guinada, voltei a estudar, entrei numa academia e logo, logo, voltarei a trabalhar, estou apenas esperando ser chamado em um outro concurso que passei dentro das vagas, mas que paga 1/3 do concurso que eu estou estudando. Enfim, percebi que pior do que fazer coisa pra cacete, é ficar sem fazer nada. Ficar sem fazer nada só me deixava MUITO pior. Vou tentar postar pelo menos duas vezes por semana, palavra de escoteiro.

Além do problema do concurso o que me abateu também foi que por um tempo parecia que ninguém mais tava lendo aqui. Até a galera que costumava comentar por aqui, o Bruno, a Maricotinha, a Paulistana etc. não estavam deixando mais nada de comentários. Aí foi que eu fiquei puto mesmo. Falei pra mim mesmo que se ninguém comentasse nada, eu também não ia escrever 😉 Pode parecer frescura, mas ficar escrevendo com a sensação de que ninguém está lendo é um saco. Se for pra ser assim eu vou escrever é um diário ;P

Enfim, entre mortos e feridos, peço desculpas pela demora e vou tentar não atrasar mais…

Comentários Comentados

1 – Aiana perguntou no post “Perambulando por Antália”:
Só tem polonesa nesse mundo?
R – Tem que ver na Polônia como é cheio…
2 – Paulistana perguntou:
Oi, Cláudio! Sim, eu continuo lendo e acompanhando, apesar de comentar menos 😉

Vim comentar porque agora me surgiu uma dúvida, sabe?
Como era a questão da alimentação na sua viagem. Você comia mais na casa dos couchsurfers ou mais fora? Você gastou muita grana com comida ou preferia comer “mal”?

Abraços paulistanos 🙂
R – Caraca! Ela ainda está viva! Achei que a Paulistana já tinha se esquecido deste humilde blog. Então, a alimentação dependia do lugar, mas geralmente eu, assim que chegava a um país, comprava um saco de arroz, alguns legumes, um tipo de carne (geralmente frango) e ficava cozinhando em casa mesmo… Comia um pratão de comida antes de sair de casa (geralmente umas 10 da manhã) e quando chegava em casa de noite comia novamente. Era a maneira mais barata que havia de gastar menos sem ter que sofrer alguns riscos desnecessários. Além de que eu comia bem 😛
3 – Joao Paulo has left a new comment on your post “Saí no jornal :)”:
Olá Claudiomar,

Acabei chegando ao seu seu blog novamente através da matéria no Correio, eu costumava acompanhá-lo em 2007, quando estava com uns planos de mochilar por aí. Acabei perdendo o link do blog e agora passarei a acompanhá-lo novamente. Mas pelo que percebi, você anda meio que “aposentando” tua mochila, para se dedicar a vida dos concursos. Quando voltará a ativa? E sobre as análises socioeconomicas das regiões visitadas, você as formalizou em um artigo, algo do tipo, ou serão divulgadas somente no blog? Sou estudante de Relações Internacionais e Ed.Física, achei interessante as análises, principalmente as sobre o “American Way”. Penso em fazer umas viagens parecidas, “a la claudiomar”, você acha que devo primeiro terminar as graduações ou fazer nas férias?

Bem, chega de perguntas.

Belo trabalho, parabéns e boas provas.
R – Rapaz, esse mundo dos concursos tá complicado, viu? Tou indo do jeito que dá. Estava estudando pro concurso de EPPGG e havia passado em 60 (eram 100 vagas). Na segunda fase obtive uma das PIORES notas que a galera tirou (sério, até hoje eu não entendo como pude ir tão mal). Somando as duas provas eu ainda fico nos classificados, mas na posição 173, longe das vagas. Mas pelo menos classificado. Agora tou estudando pra um outro de mesmo salário (12.500 reais) e que vai ocorrer no próximo sábado. Tou estudando INSANAMENTE e por isso tá ficando cada vez mais difícil atualizar o blog. Mas assim que eu passar num concursos desses eu volto a ativa, hehehehe.
4 – Jv perguntou
Que países faltam ainda você escrever?
R – Cara, em ordem? Líbano (próximo post), Eslovênia, Itália, Vaticano, Áustria, Eslováquia, Hungria, Egito, Israel, Palestina, Jordânia, Suíça, Espanha e Portugal. Além do Norte da Índia que eu deixei pra poder escrever depois, mas que é realmente MUITO interessante!
Além dessa ele fez outras perguntas:
1. Você fez toda sua hospedagem pelo Couchsurfing?
Bem, dos 32 países que eu visitei, o único que eu não fiquei no couchsurfing foi a Jordânia. Uma amiga minha pagou o hotel pra mim. Vocês vão ouvir falar bastante dela no post da Palestina.
2. Pela europa, como vc se locomoveu?
Fi, de todo jeito. Avião, trem, carona, busão… Do que você imaginar… Mas a maioria por avião mesmo, já que a minha passagem de volta ao mundo tinha sete paradas na Europa.
3. Na Europa, caso vc tenha ido no inverno, levou alguma roupa especial?
Não cheguei a pegar inverno brabo por lá não
4. Seu round the world foi pela star alliance?
Sim 🙂
Abraços maranhenses, galera!

Comentários Comentados

Esses dias eu fui abrir a minha caixa de e-mail e percebi que havia quase VINTE e-mails que eu havia separado pra poder fazer a sessão “comentários comentados”. Caraca, acho que é bom eu começar a respondê-los. Vamos lá, vamos começar:
1 – Anônimo perguntou:
Maranhão

Quando vc estava em varsóvia, onde dormiu?
A polaquinha não deu abrigo para vc?
R – Cara, assim, o “abrigo” que eu gostaria MESMO que ela me desse quando eu estava na Pôlonia realmente acabou não ocorrendo, mas se você fala “abrigo” no sentido de casa ou teto pra ficar, não foi necessário. Nesse um mês que eu fiquei em Varsóvia eu estava dormindo na casa da Karolina, uma amiga minha polonesa que eu havia conhecido na Austrália e que foi personagem de histórias engraçadíssimas que ocorreram comigo como nesses posts aqui, aqui e aqui.

2 – Otávio perguntou:
Cludiomar,

Estou pensando em ir pra India e janeiro e passar uns 25 dias por lá. Eu tava pensando em visitar Delhi, Agra,Fathepur Sikhri, Jaipur e Varanasi. Vc tem algum “guiazinho” q vc preparou desses lugares (tipo o q fazer, onde comer, onde ficar…) q vc possa compartilhar. Se tiver, me avisa q te dou meu e-mail…

Abraços

Otávio
R – Cara, enquanto eu estava viajando na Ásia eu comprava livros-guias mesmo, pois os caras batiam xérox dos originais e vendiam MUITO barato pra gente. Mas posteriormente eu comecei a utilizar mais foi o Wikitravel.com mesmo. Esse site da internet semelhante à Wikipedia é uma mão-na-roda pra quem anda viajando. Bicho tem informação sobre quase todas cidades do MUNDO INTEIRO, explicando onde ir, onde ficar, onde comer e etc. Quer ver? Coloque a sua cidade no www.wikitravel.org e vê o que aparece! É impressionante!
Dessas cidades que você falou eu só não fui em Sikhri e Fathepur. Todas as que você quer viajar são muito interessantes e valem a viagem, apesar de eu achar que em nenhuma delas é necessário ficar mais do que duas noites pra poder curtir legal. Se pudesse eu sugeriria a você que fosse a Goa e também a Amritsar no norte da Índia, dois dos locais que eu mais gostei de visitar.
3 – Anderson Weimar comentou:

po cara.

vamos sentir muita falta da loirinha que te safou pacas viu?

se nao fosse por ela o que seria de vc hein?

hauahuahaua
cara sou seu fã incondicional.
serio mesmo.
desde que eu conheci o blog alguns meses atras toda vez que entro na net leio um pouco.
e toda vez é todo dia mahhh.
sou do ceara e tenho mo vontade de fazer isso que vc fez.
quem me apresentou o blog foi uma ex(que deus a tenha).
mas pra alguma coisa a bichinha serviu.
hahauahauah
(ela ainda vive).
mas maluco é serio.
se peder mandar uma braço p esse seu fã agradeçoo.
anderson weimar
R – Hum… Um abraço pra você, Anderson Weimar???
Gente, eu tou me sentindo no programa da Xuxa: Eu quero mandar um beijo pro meu pai, pra minha mãe… Hahahahaha
4.1 – Camila perguntou no post sobre “Antália”:
Maranhão, e como ficam as mulheres nesse país moderno? Contaí, porque pensei em viajar pra esses lados, mas tenho medo.
4.2 Paulistana fez uma pergunta parecida no post sobre Istambul:
Cara, tenho horror a barganha, a ficar lá horas falando e rebatendo preços, gosto é de ver logo o produto etiquetado num preço justo!

Isso foi o que mais amei no Canadá, lá o preço era um só pra todos. Agora um cara me puxar pelo braço pra entrar na lojinha, ficar perguntando quanto quero pagar, ficar querendo discutir o preço… nossa, é pedir pra eu ir embora.

Mas enfim, adorei o post!
Agora deixa eu te perguntar Claudio, sempre tive um pé atrás com a Turquia porque tenho a impressão que lá os caras são meio doentes por mulher. Eu até tenho um amigo turco que é gente boa e não me olha como se fosse um pedaço de carne, mas já ouvi tantas histórias de umas minas horrorosas que foram pra Istambul (via couchsurfing) e só caras respondiam os tópicos pra sair, caiam matando em cima, convidando pra passear no carrão deles, pra se hospedar na casa deles…etc. Confirma?
R – Camila e Paulistana, várias meninas sempre vem falar comigo com essa preocupação e com esse receio de viajar sozinhas, se isso não é perigoso ou algo do tipo. O que eu vou responder pra vocês é o que eu sempre respondo quando sou confrontado com este tipo de pergunta: Perigoso é o Brasil! Se vocês sentem receio de serem estupradas, atacadas, surrupiadas ou o que for, sintam isso no Brasil!! Em nenhum dos países por onde viajei me senti com aquela sensação que temos no Brasil que a qualquer momento podemos ser assaltados, roubados ou algo assim. Tirando uma outra mina mais espevitada que olhava esse “pedaço de mau caminho” aqui não tive problemas maiores. O que eu escuto muito são as minas reclamando quando viajam na Índia, na Turquia e em países árabes de caras o tempo todo dando em cima delas. Mas é de boa, você apenas fala um não que os figuras já seguem o caminho deles e param de lhe importunar. Muito melhor do que aqui quando você sai nas baladas e não-raro os caras ficam puxando vocês pelo braço. Mas como eu já falei nesse post aqui, cenas no mínimo “exóticas” podem ocorrer.

5 – Anônimo perguntou:
Vc comia muito mal na Turquia?

Qual país vc comeu melhor?

abraços
R – Cara, na Turquia eu não comia muito mal. Primeiro que eu quase sempre cozinhava em casa quando estava em Istambul e Antália, mas além disso, a Turquia é a terra do Kebab, ou do churrasco grego como conhecemos aqui no Brasil. Putz eu curtia DEMAIS comer isso por lá.

E o país que eu comi pior? Bem, cara, acho que a dobradinha Nepal-Índia é insuperável. Mermão!! Saca só essas histórias aqui e aqui e tire as suas conclusões…

Comentários Comentados

Galera, esse feriado passei em uma fazenda. Sem internet, telefone e qualquer contato com o mundo civilizado. Acabei atrasando os posts, desculpe 🙂
Na foto eu e Emanuelzinho, um dos parceiros de viagem, na fazendo do glorioso Brunão…

1 – Anonymous comentou no post “A caminho de Munique”:
Grande Maranhão!
Já tem um tempo que leio o blog e queria perguntar algo, mas me sinto meio tímida… Bem, vamos lah, estou pensando em viajar pela África durante uns seis meses… Queria saber como é a questão da saudades.. é foda mesmo.. bate quando não tah tendo graça a lambuja.. como é isto e como foi para vc?
Valeu Velho!
R – Rapaz, saudade não costuma ser um problema tão sério não. No começo, quando você está se adaptando a tudo (arrumar casa, arrumar emprego, não conhece ninguém) é realmente complicado e você realmente sente MUITA falta da vida na sua casa. Você sente saudade da sua vida mansa e começa a se perguntar: O que diabos eu vim fazer aqui? Isso aconteceu comigo e fica bem claro em um dos posts que fiz ainda na Austrália (clique aqui) quando havia acabado de chegar. No post dá pra ter uma ideia do que eu tou falando. Sinta o sentimento de arrependimento e desespero carregados em cada palavra. Mas, cara, depois dos primeiros meses, quando você já está instalado, já tem emprego, amigos e começa a viajar, pô, aí fica mais de boa porque a saudade dos pais, dos amigos do Brasil é vencida pela excitação de conhecer novos lugares, novas pessoas, viajar, sair pra balada. No final você acaba esquecendo as partes ruins da viagem e vendo que o balanço foi MUITO positivo.
2 – Anônimo comentou:

Oi
Agora que o dólar está 1,70 , era hora de você pegar de novo a estrada!
R – Rapaz, se a galera que lê o blog fizer uma vaquinha, juro que eu faço isso por vocês. Porque ainda que o dólar esteja 0,50 o salário é raso e a grana é complicada, hehehe.
3 – Anônimo perguntou:

Maranhão
Essa polaquinha faz o que da vida?
Trampa, estuda…e o restante da galera que vc conheceu?
A coração gelado,o indiano que o recebeu…Como eles ganham a vida?
R – Cara, a Gosia, na última vez que falei com ela, tava ainda estudando e terminando a universidade. O Avinash também. A Coração Gelado hoje tá na Coréia do Sul dando aulas de inglês e fazendo o pé-de-meia dela por lá. Ela me falou que fazia uma grana boa trabalhando com isso e até me convidou pra ir lá pra Coréia dar aula também, mas, logicamente, não aceitei, ehehehe. Uma hora a gente tem que começar a levar a vida a sério, né?
4 – Thiagones postou em Free Hugs em Praga:
Versão espírito de porco do Free Hugs:
5 – G. Aragao comentou no post “Er… casa sempre é importante…”:
PERGUNTA PARA COMENTARIOS COMENTADOS:

Claudiomar… ja faz algum tempo que voce terminou a sua viagem e com certeza nao tem como voce lembrar de todos os detalhes/presepadas que acontecaram. Como voce fez para “guardar” todas essas estorias? Voce tinha um journal? gravava os acontecimentos num tape recorder?
Abracao!!
R – Vê que o cara foi bem direto, né? Botou logo nominalmente “PERGUNTA PARA COMENTÁRIOS COMENTADOS”. Cara, isso foi um percalço que tive no início da viagem. No começo eu apenas decorava as histórias e o que eu ia lembrando eu ia anotando. Isso era um problema muito complicado porque sempre que eu escrevia assim, umas semanas depois eu acabava lembrando de histórias que eu não havia postado. Devido a isso, no Camboja fui numa birosquinha e comprei um caderninho de anotações. Nele eu ia anotando algumas coisas pra sempre lembrar das histórias. Logicamente eu não anotava as histórias inteiras, mas apenas palavras que me fariam lembrar delas e assim reproduzí-las. Por exemplo eu anotei “Sede da BWM” para poder me lembrar da visita à sede da BMW. Assim, um ano depois, quando eu escrevi sobre Munique, eu consultei o caderninho e lembrei que eu deveria escrever sobre a visita à sede da BMW em Munique. E assim eu vou lembrando de centenas de histórias diferentes mesmo um ano depois delas ocorrerem. Antes de fazer o próximo post acerca do fim da carona até Varsóvia, eu vou, dou uma consultadinha no caderninho e começo a escrever. O que ocorreria se eu perdesse esse caderno? Meu amigo, não quero nem pensar nisso, hahahah

Caderninho com todas anotações das minhas viagens

Página com anotações sobre a Suécia. Alguém consegue decifrar algo?
6 – Anonymous comentou acerca dos BMWs no post “Munique”:

Aposto que o maranhense se tremeu todo só de chegar perto daqueles BMW
^_^
R – Hahahaha. Que é isso, rapaz? O carro é que tremia perto do maranhense aqui. Por pouco eles não me convidaram pra poder ficar de modelo lá apresentando os BMWs…